Matemática Dinâmica para compreender a função exponencial

  • Taís Aparecida Faria Universidade Federal de Alfenas
  • José Carlos de Souza Júnior Universidade Federal de Alfenas
  • Andréa Cardoso Universidade Federal de Alfenas
Palavras-chave: Formação de professores, informática educativa, GeoGebra.

Resumo

O estudo da função exponencial, como um tipo particular de função real, é recomendado para o Ensino Médio brasileiro. A importância desse conteúdo estruturante deve-se a sua aplicação como modelo para fenômenos de crescimento. Porém, na prática escolar, a função exponencial tem sido tratada superficialmente, sem ênfase às diferentes representações, conceitos associados e aplicação aos problemas reais. A utilização de programas de Matemática Dinâmica (MD) para a construção do conceito de função exponencial possibilita compreender o comportamento gráfico, os intervalos de variação, os interceptos e os extremos dessa função. A MD também permite estabelecer a relação entre os coeficientes da representação algébrica da função e as características da curva geométrica que a representa. Frente ao problema foi desenvolvido um curso voltado para a formação inicial e continuada de professores de Matemática. O curso teve como objetivo utilizar as potencialidades do GeoGebra para o estudo da função exponencial, oportunizando a demonstração de propriedades da operação de potenciação, a extensão desta aos números reais e a reconstrução do conceito geral de função como variação de grandezas, conhecimentos que talvez não tenham sido consolidados na trajetória escolar dos professores. O objetivo deste trabalho é discutir os resultados do curso realizado junto a 20 licenciandos em Matemática e 3 professores atuantes em escolas públicas de Alfenas-MG. Assim, como resultado da análise qualitativa dos dados, constatou-se a eficácia da MD como recurso educacional inserido na metodologia investigativa das representações em Matemática junto aos professores em formação.

Referências

ALMOULOUD, S. As transformações do saber científico ao saber ensinado: o caso do logaritmo. Educar em Revista, Curitiba; Brasil: Especial. p. 191-210, 2011.

BASSO, M; NOTARE, M, R. Pensar-com tecnologias digitais de Matemática Dinâmica. RENOTE. Porto Alegre: V. 13, n. 2, 10 p. 2015.

BENEDETTI, F C. Funções, software gráfico e coletivos pensantes. 2003. 316 f. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), Instituto de Geociências e Ciências Exatas, Universidade Estadual Paulista, Rio Claro, 2003.

BRASIL. Orientações curriculares para o Ensino Médio: Ciências da natureza, matemática e suas tecnologias. Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica. Brasília, 2006.

BRASIL. Portaria no 096, de 18 de julho de 2013 - Normas do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação a Docência (PIBID). Brasília: CAPES, 2013.

CHAVES, M. I. de A.; CARVALHO, H. C. de. Formalização do conceito de função no ensino médio: uma sequência de ensino-aprendizagem. In: Encontro Nacional de Educação Matemática, VIII,, 2004, Recife. Anais. Recife: SBEM, 2004, 18 p.

FRAIHA-MARTINS, F.; GONCALVES, T. V. O. Informática na educação matemática e ciente ca dos anos iniciais de escolaridade: um estudo sobre as pesquisas da área de ensino de ciências e matemática. Revista Ensaio, v.14, n.3, p. 313-331, Belo Horizonte, set/dez 2012.

GOMEZ, P. Tecnolog a y educacion Matemática. Revista Informática Educativa, UNIANDES LIDIE, 10, p. 93-11. 1997.

IEZZI, G.; DOLCE, O.; MURAKAMI, C. Fundamentos de Matemática Elementar. 9. ed. São Paulo: Atual, 2004.

KURSIARK, R. S. et al. A Utilização do Software GeoGebra no Ensino da Geometria Plana: Uma Experiência PIBID. In: Seminário Nacional de Inclusão Digital, 3, Passo Fundo. Anais... Passo Fundo: Universidade de Passo Fundo, 2012, 9 p.

MINAS GERAIS, Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais. Conteúdo Básico Comum: Matemática, Ensino Fundamental e Médio. Belo Horizonte: SEE, 2007.

PAIAS, A. M. Diagnósticos dos erros sobre a Operação Potenciação aplicado a alunos do Ensino Fundamental e Médio. 2009. 219 p. Dissertação (Mestrado em Educação Matemática), Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo, 2009.

PAIS, L. C. Didática da Matemática: uma análise da influência francesa. 2.ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2001.

PARANÁ, Secretaria de estado da Educação do Paraná. Diretrizes curriculares da educação básica: Matemática. Paraná: SEE, 2008. 82 p.

PIRES, C. M. C. Das prescrições curriculares ao currículo praticado nas aulas de Matemática do Ensino Médio. In: Encontro Nacional de Educação Matemática, XI, Curitiba. Anais...Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná, 2013. 15 p. 2013. ISSN 2178-034X

SAO PAULO, Secretaria Da Educação do estado de São Paulo. Proposta Curricular do estado de São Paulo: Matemática, Ensino Fundamental, ciclo II, e Ensino Médio. São Paulo: SEE, 2008. 6 pp.

SIQUEIRA, D. A. de; BEUST, A. C. O ensino de funções através da interpretação gráfica. Disciplinarum Scientia, v. 9, n. 1, p. 5-66. Santa Maria, 2008

Publicado
13-12-2016
Seção
Mathematics Education