Ajuste de modelos não lineares para descrição do fruto cajá-manga

Kelly Pereira de Lima, Elias Silva de Medeiros, Felipe Augusto Fernandes, Victor Ferreira da Silva, Augusto Ramalho de Morais

Resumo


A cajá-manga é muita apreciado no Brasil, consumindo in natura ou na forma de produtos, principalmente, polpa congelada, bebidas, doces, sorvetes e picolés, além disso sabe-se que esse fruto é altamente perecível e com curto período de comercialização. Desta forma, estudar a curva de crescimento vegetal é útil para auxiliar a elaboração de métodos de manejo para detectar a época de colheita. Com relação a curva de crescimento destaca-se o uso de modelos modelos não linear. Este trabalho teve como objetivo comparar e ajustar modelos não lineares em dados da massa do fruto cajá-manga ao longo dos dias. Para isso, foram utilizados dozes períodos de coleta (40, 60, 80, 100,120,140,160,180,200,220,240 e 260). Foram utilizados os modelos não lineares Logístico, Gompertz e von Bertalanffy para descrever o fruto cajá-manga. Os parâmetros dos modelos foram estimados pelo método de mínimos quadrado usando algoritmo de Gauss-Newton. Os critérios de informação de Akaike corrigido e coeficiente de determinação ajustado foram usados como critérios de escolha dos modelos que melhor se ajustaram aos dados. Além disso, as análises foram realizadas no software R.  Os resultados obtidos mostram que o peso assintótico foi de 97,843 a 109,801 g. Dentre os modelos ajustado, conclui-se que o modelo Gompertz é adequado para a descrição do fruto cajá-manga.

Palavras-chave


Anacardiaceae; Spondia; Curva de crescimento vegetal

Texto completo:

PDF

Referências


BARBOSA, K.B; COSTA, N.M.B; ALFENAS, R. C. G.; DE PAULA, S. O.; MINIM, V.P.R; BRESSAN, J. Estresse oxidatio: conceitos, implicações e fatores modulatórios. Revista de Nutrição, Campinas, n.23, v.4, p. 629-643, 2010.

MALHADO, C. H. M. et al. Growth curves in Dorper sheep crossed with the local Brazilian breeds, Morada Nova, Rabo Largo, and Santa Inês. Small Ruminant Research, v. 84, n. 1-3, p. 16-21, 2009.

MAZUCHELI, Josmar; ACHCAR, Jorge Alberto. Algumas considerações em regressão não linear. Acta Scientiarum, v. 24, n. 6, p. 1761-1770, 2002.

MILLER, A.; SCHAAL, B. Domestication of a mesoamerican cultivated fruit tree, Spondias purpurea. Proceeding of the National Academy of Science of the United States of America, v. 102, n. 1, p. 12.801-12.806, 2005.

SATURNINO, H.M.; GONÇALVES, N. P., Spondias: umbu, cajá-manga, cajá e seriguela.Informe Agropecuário, Belo Horizonte, v.32, n.264, p.101-113, 2011.

SILVA, Thays Lorrayne Lavrinha e et al. Physicochemical characterization and behavior of biocompounds of caja-manga fruit (Spondias mombin L.).Food Sci. Technol., vol.38, n.3, p.399-406, 2018.

SOARES, E.B.; GOMES, R.L.F.; CARNEIRO, J.G.M.; NASCIMENTO, F.N.; SILVA, I.C.V.; COSTA, J.C.L. Caracterização física e química de frutos de cajazeira.Revista Brasileira de Fruticultura, v. 28, p518-519, 2006.

SORATO, A. M. C. et al. Análise do crescimento vegetal por meio de modelo não linear via regressão isotônica .Revista da Estatística da Universidade Federal de Ouro Preto, v. 3, n. 3, p. 139-143, 2014.

SOUZA, G. de S.Introdução aos modelos de regressão linear e não-linear. Brasília: EMBRAPA-SPI, 1998.

SOUZA, F. X. de. Spondias agroindustriais

e os seus métodos de propagação. Fortaleza: EMBRAPA-CNPAT: SEBRAE-CE.EMBRAPA-CNPAT. Documentos, v.27 1998. p.26.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. 2019. ISBN 3-900051-07-0, http://www.R-project.org/.