Aplicação de Análise de Correspondência e Escalonamento Multidimensional para formação e avaliação de diferentes perfis para pessoas com deficiência, sem deficiência e qualidade de vida

  • PAULO TADEU MEIRA SILVA DE OLIVEIRA EESC/STT-USP
Palavras-chave: Pessoas com deficiência, Análise de Correspondência Múltipla, Escalonamento Multidimensional, Análise de Agrupamento, Distância e Similaridade

Resumo

É de conhecimento público e notório, que desde dos tempos de antanho, pessoas comdeficiência apresentam mais dificuldades de que pessoas que não apresentam deficiências em termos dealcançar um melhor nível de instrução e de trabalho, por existirem barreiras que impedem sua melhorparticipação, o que dificulta a obtenção de perspectivas melhores, mais duradouras, de melhor qualidadede vida e de terem as suas vozes ouvidas. Também é sabido que ser pessoa com deficiência podesignificar altas taxas de prevalência, números crescentes, experiências diversas e populaçõesvulneráveis. Esses fatores resultam em condições de saúde precária, rendimento educacional inferior,menor participação econômica, taxas mais altas de pobreza, maior dependência e restrições a suaparticipação na sociedade. Utilizou-se o Censo Demográfico do IBGE de 2010 para avaliar ahomogeneidade e a formação de diferentes perfis de variáveis e itens relacionados a educação, família,trabalho, condições de moradia, outros bens e qualidade de vida em função das diferentes deficiências.Sabe-se que quanto menor a distância ou maior a proximidade entre variáveis ou itens, mais próximostendem a ser os seus perfis. Em vista disso, neste artigo, avaliou-se a homogeneidade através de técnicasde Análise de Correspondência, Escalonamento Multidimensional e Análise de Agrupamento. Dessesestudos foi possível concluir que quanto maior a severidade das diferentes deficiências e a suaquantidade, pior tende a ser: qualidade de vida, condições de moradia, de trabalho e condiçõesestruturais, maior número de filhos, e, menor: renda e poder aquisitivo.

Biografia do Autor

PAULO TADEU MEIRA SILVA DE OLIVEIRA, EESC/STT-USP
Possuo graduação em Estatística pela Universidade de São Paulo (1997), mestrado em Estatística pela Universidade de São Paulo (2001), em que trabalhei com modelos de calibração comparativa, doutorado em Estatística pela Universidade de São Paulo, concluído com obtenção do título de doutor (2008), em que trabalhei com modelos de epistasia utilizando modelos de busca quase ótima denominado algoritmo genético. Entre dezembro de 2008 e novembro de 2011 fiz estágio de pós-doutorado no IPEN –Instituto de Pesquisas Energéticas e Nucleares, em São Paulo, em que trabalhei com análise multivariada em técnicas de classificação como cluster, componentes principais, análise fatorial e análise discriminante, bem como em problemas que envolviam dados discrepantes, com financiamento da FAPESP e desde junho de 2015, faço estágio de pós doutorado na EESC-USP/ET – Escola de Engenharia de São Carlos da Universidade de São Paulo no departamento de Engenharia de Transportes.

Referências

AGUIAR, C.C. et al. Instrumentos de avaliação de qualidade de vida relacionada à saúde no diabetes Mélito.

Arquivos Brasileiro de Endocrinogia e Metabologia, v.52, n.6, p.931-939, 2008.

ALVES, E.F. Qualidade de vida: considerações sobre os indicadores e instrumentos de medida. Revista Brasileira

de Qualidade de Vida. UTFPR. v.3, n.1, p.16-23, 2011.

BEH, E.J. Simples correspondence analysis: a bibliographic review. International Statistical Review, v.72, n.2,

p.257-287, 2004.

BENZÉCRI, J.P. Correspondence Analysis Handbook. New York, Dekker, 1992. 665p.

BUCCIANTI, A., Mateu-Figueras, G..; Pawlowsky-Glahn, V. Compositional Data Analysis in the Geosciences

from Theory to Practice, Geological society Special 264, 2006. 212p.

CARVALHO, J. O. F. Soluções tecnológicas para viabilizar o acesso do deficiente visual à Educação à Distância

no Ensino Superior. Faculdade de Engenharia Elétrica e Computação, UNICAMP, Campinas-SP, 2001. 221p.

CARVALHO-FREITAS, M.N. A inserção de pessoas com deficiência em empresas brasileiras – um estudo sobre

as relações entre concepções de deficiência, condições de trabalho e qualidade de vida no trabalho. Tese de

doutorado em Administração de empresas, UFMG, Belo Horizonte - MG, 2007.315p.

DIAS, L.P.F. Inclusão social de cidadãos portadores de deficiência(s) residentes no Concelho de Miranda do

Douro. Relatório de Estágio para obtenção de Grau de Mestre de Educação Social. Escola Superior de Educação

de Bragança, Bragança, Portugal, 2011.110p.

DOMINGOS, M.A. Sentidos e significados produzidos por alunos e professores no cotidiano numa escola do

sistema regular de ensino a partir da inclusão de alunos portadores de necessidades educacionais especiais.

Dissertação de Mestrado, Faculdade de Educação, PUC-MG, Belo Horizonte MG, 2006. 373p.

FÁVARO, L.P.; ELFIORE, P.; SILVA, F.L.; CHAN, B.L. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada

de decisões. Editora Campus, Rio de Janeiro-RJ, 2009.1216p.

FERREIRA, D.F. Estatística Multivariada. Editora UFLA, Lavras-MG, 2008. 661p.

FERRO, F.F. Instrumentos para medir a qualidade de vida no trabalho e a ESF: uma revisão da literatura.

Dissertação (Especialização em atenção básica em saúde da família), Universidade Federal de Minas Gerais,

Brumadinho, 2012. 92p.

FIGUEIRA, E. Caminhando em Silêncio. Giz Editorial e Livraria Ltda. São Paulo – SP, 2008. 182p.

GARCIA, V.G. Pessoas com deficiência e o mercado de trabalho – histórico. Tese de Doutorado, Instituto de

Economia – UNICAMP, Campinas – SP, 2010. 199p.

GREENACRE, M.J.; NENADIC, O. CA: Simples, Multiple and Joint Correspondence Analysis. R package

version 0.33, 2010.

HAIR, J.F.; BLACK, W.C.; BABIN, B.J.; ANDERSON, R.E.; TATHAM, R.L. Multivariate Data Analysis.

Prentice Hall. www.mvstats.com, 2018. 832p.

HAWKING, S.W. World report on disability. World Health Organiation, Genava, Switzerland, 2011. 331p.

HIRSCHFELD, H.O. A connection between correlation and contingency. Proc. Cambridge Philos. Soc. v. 31, p.

-524, 1935.

JONHSON, R.A.; WICHERN, D.W. Applied Multivariate Statistical Analysis. Prentice-Hall., 2002. 773p.

KRUSKAL, J.B.; WISH, M. Multidimensional Scalling. Sage Publications. Belmont, CA, USA.1978. Visto em

https://www.scirp.org/(S(351jmbntvnsjt1aadkposzje))/reference/ReferencesPapers.aspx?ReferenceID=1849276

LATTIN, J.; CARROLL, J.D.; GREEN, P.C. Análise de dados multivariados. Cenage Learning, São Paulo, Brasil,

455p.

LEBART, L; MORINEAU A; WARWICK, K. Multivariate descriptive statistical analysis. New York, Wiley,

231p.

MAGALHÃES, M.N.; LIMA, A. C. P. Noções de Estatística. EDUSP, São Paulo-SP.2009. 392p.

NANLY, J.F. Métodos estatísticos multivariados. Bookman, terceira edição, Porto Alegre-RS. 229p.

MENDES, I. O deficiente físico ao longo da história. Visto em http://www.ibamendes.com/2011/02/o-deficientefisico-

ao-longo-da.html no dia 01/03/2015, 2011

OLIVEIRA, P.T.M.S. Pessoas com deficiência: o que encontramos por trás da inclusão. In: XXI SINAPE, ABE,

Natal-RN, 2014a.

OLIVEIRA, P. T. M. S. People with disabilities: some analyzes of the results of the 2010 Population Census and

new challenges. Journal of Mathematics and System Science v.4, p.231-243, 2014b.

OLIVEIRA, P.T.M.S. Pessoas com deficiência: questão de risco sob aplicação de regressão logística politômica e

sob visão epidemiológica. In: XV Escola de Modelos de Regressão, no período entre 2 a 5 de março de 2015.

Centro de Convenções UNICAMP, Campinas-SP, Brasil, 2015.

OLIVEIRA, P. T. M. S. Análise de perfis e de confundimento para qualidade de vida: pessoas com deficiência e

raça. In: 62 RBRAS e 17 SEAGRO, Lavras-MG, 2017.

OLIVEIRA, M.R.; ORSINI, M. Escola de avaliação em qualidade de vida em pacientes brasileiros após acidente

vascular encefálico. Revista Neurociências, v.17, n.3, p.255-262, 2008.

PACÍFICO, E.F.; TEIXEIRA, C.S.; SANTOS, A. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Ver. Bras.

Educ. Fis. Esporte, São Paulo, v.26, n.2, p.241-250, 2012.

PEREIRA, É. F.; TEIXEIRA, C. S.; SANTOS, A. Qualidade de vida: abordagens, conceitos e avaliação. Rev. bras.

educ. fís. esporte, vol.26, n.2, p. 241-250, 2012.

PRADO, M.V.B. Métodos de Análise de Correspondência Múltipla: estudo de caso aplicado à avaliação da

qualidade do café. Dissertação de Mestrado em Estatística e Experimentação Agropecuária, Universidade Federal

de Lavras, Lavras-MG, 2004. 76p.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical

Computing, Vienna, Austria. 2013. ISBN 3-900051-07-0, URL http://www.R-project.org/.

SCHMIDT, D.R.C.; DANTAS, R.A.S.; MARALE, M.H.P. Qualidade de vida no trabalho: avaliação científica na

enfermagem brasileira. Acta Paulista de Enfermagem, v.21, n.2, p.330-337. 2008.

SILVA, O.M. A Epopeia Ignorada. CEDAS, São Paulo-SP, 1986. 470P.

TORGERSON, W.S. Theory and methods of scaling. Wiley, New York, USA.

WARD, J. Hierarquical grupping to optimize na objective function. Journal of the American Statistical

Association, vol. 58, p. 236-244, 1963.

WORLD HEALTH ORGANIZATION. Training manual on disability Statistics. United Nations Economic and

Social Commission for Asia and Pacific, 2008. 229p.

Publicado
29-07-2019