Modelos Aditivos Generalizados para locação, escala e forma na análise do número de lesões corticais em pacientes com esclerose múltipla

  • Ricardo Rasmussen Petterle Universidade Federal do Paraná - UFPR
  • Lucas Formighieri

Resumo

A esclerose múltipla (EM) é uma doença inflamatória crônica autoimune que causa desmielinização e neurodegeneração no sistema nervoso central. Há crescente interesse em investigar variáveis associadas ao número de lesões corticais na EM. Nesse contexto, o objetivo deste artigo é analisar a relação entre o número de lesões corticais com a idade, graduação EDSS e tempo de doença em pacientes com esclerose múltipla. Para tanto, foram analisados 30 pacientes portadores de EM. A análise foi conduzida via modelos GAMLSS. Foram testadas quatro distribuições de probabilidades para a variável resposta. Os resultados mostraram que a distribuição Poisson Gaussiana Inversa foi mais adequada para análise dos dados, sendo possível modelar seus parâmetros de média e de dispersão em função de covariáveis. De maneira geral, os resultados indicam que os pacientes com maior quantidade de déficits neurológicos (representado por valor mais elevado na graduação EDSS), mais jovens e com maior tempo de doença são os que mais apresentaram lesões corticais.
Publicado
08-01-2017
Seção
Applied Statistics