Índice de massa corporal de adoloescentes e atividade física: um estudo de caso com diferentes abordagens de análise

  • Helen Maria Pedrosa de Oliveira
  • Eric Batista Ferreira Professor Adjunto III Instituto de Ciências Exatas Universidade Federal de Alfenas

Resumo

O número de pessoas acima do peso vem crescendo muito nos últimos anos e parte disso de deve à má alimentação da população aliada à falta da prática de exercícios físicos regulares. O trabalho de Costa (2010) apresenta um experimento que relaciona o Índice de Massa Corporal (IMC) com a prática de atividade física de adolescentes em Portugal. O objetivo deste trabalho é apresentar diferentes abordagens analíticas deste mesmo experimento. Tais reflexões são fundamentais no planejamento e consequente análise de experimentos similares. Há indícios para crer que o IMC pode ser diferente entre homens e mulheres e, além isso, como não é foco principal a comparação dos gêneros, talvez seja mais aconselhado analisá-los em dois experimentos distintos. Ainda, a prática de atividade física não interferiu no IMC dos adolescentes.

Biografia do Autor

Eric Batista Ferreira, Professor Adjunto III Instituto de Ciências Exatas Universidade Federal de Alfenas
Doutor em Estatística e Experimentação Agropecuária com Pós-doutorado em Estatística Multivariada
Publicado
22-01-2015