Modelo de distribuição de probabilidades para o número de bolas chamadas até que alguém "bata'' em um bingo convencional

  • Pedro Ferreira de Lima Universidade Federal Rural de Pernambuco/Universidade Regional do Cariri
  • Cláudio Tadeu Cristino Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Paulo Renato Alves Firmino Professor da Universidade Federal do Cariri e Colaborador do Programa de Pós-Graduação em Biometria e Estatística Aplicada da Universidade Federal Rural de Pernambuco
  • Cícero Carlos Felix Oliveira Doutorando pelo Programa de Pós-Graduação em Biometria e Estatística Aplicada - UFRPE, professor de estatística do IFCE - Campus Crato
Palavras-chave: Bingo, modelos probabilísticos, simulação, bolas chamadas

Resumo

Este trabalho tem como objetivo a obtenção de um modelo de distribuição de probabilidade para a variável aleatória que conta o número de bolas chamadas até que alguém bata em jogos de bingos convencionais. Partindo de um modelo básico desenvolvido para um bingo com exatamente uma cartela, foi utilizada a distribuição do mínimo de 'n' variáveis aleatórias independentes para expandir o modelo proposto para 'n=200', 'n=1000', 'n=2000', 'n=5000' e 'n=10000' cartelas. A partir de uma rotina no software R, foram simuladas 200 execuções do bingo para os diversos números de cartelas       acima citados. Com os resultados obtidos, foram realizados testes de aderência de Kolmogorov-Smirnov para verificar a qualidade do modelo desenvolvido. Todos os modelos testados foram aprovados ao nível '\alpha = 0,05'. O trabalho é finalizado fazendo-se uma comparação entre as principais medidas de tendência de centro: média, moda e mediana, calculadas quando são utilizadas as distribuições empíricas     obtidas a partir das simulações e a teóricas construídas. Também foi observado que as diferenças entre as distribuições, tanto as diferenças absolutas, quanto as diferenças relativas, são bem pequenas, reforçando o que havia sido concluído anteriormente.

Biografia do Autor

Pedro Ferreira de Lima, Universidade Federal Rural de Pernambuco/Universidade Regional do Cariri
Aluno do programa do Programa de Pós-Graduação em Biometria e Estatística Aplicada - UFRPE/Recife-PE,           professor adjunto pela URCA/Juazeiro do Norte-CE
Cláudio Tadeu Cristino, Universidade Federal Rural de Pernambuco
Professor do Programa de Pós-Graduação em Biometria e Estatística Aplicada-UFRPE

Referências

BUSSAB, W. O. e MORETTIN, P. A., Estatística Básica- 5ª ed., São Paulo: Saraiva, 2006.

CHUNG, K. L. - A course in probability theory third edition, Standford University, Academic Press, San Diego, USA, 2001

LANGSETH, H. & LINDQVIST, B., - Competing Risks for Repairable Systems: A data study, Journal of Planning and Inference, vol 136(5), 1687-1700, 2005

MAGALHÃES, M. N. Probabilidade e Variável Aleatória, 2ª ed., São Paulo: EDUSP, 2006.

R CORE TEAM. - R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. 2012. ISBN 3-900051-07-0, URL: http://www.R-project.org/.

Publicado
11-11-2015
Seção
Applied Statistics