Bullying escolar: uma análise de caso por meio da estatística

Marilene Vale dos Santos, Marina Rodrigues Maestre

Resumo


Bullying pode ser definido como todas as formas de atitudes agressivas, intencionais e repetidas, que ocorrem sem motivação evidente, adotadas por um ou mais estudantes contra outro(s), causando dor e angústia, e executada dentro de uma relação desigual de poder. Tal prática costuma ocorrer, com mais frequência, durante a adolescência, período de desenvolvimento da personalidade e caráter do indivíduo e é na escola onde isso é mais perceptível. O trabalho teve como objetivo utilizar a estatística com alunos das séries finais do Ensino Fundamental, identificando o perfil dos adolescentes quanto às variáveis sociodemográficas, aos arranjos familiares e à presença do bullying, as relações sociais e os impactos causados pela violência. Responderam a um questionário 246 alunos de uma escola pública no Município de Corumbá (MS), divididos em turmas do sexto ao nono ano. O questionário aplicado foi elaborado com questões objetivas com a intenção de obter informações para que pudesse traçar o perfil dos alunos da escola, e outra parte sobre o bullying. Para verificar a relação entre as variáveis foi utilizado o teste não paramétrico Qui-Quadrado. O resultado da pesquisa mostra que a preocupação da equipe pedagógica não faz sentido quando acreditam que os fatores para tanta agressividade sejam ocasionados pela composição e renda familiar. Já um ponto positivo é que alunos que estão sujeitos a serem vítimas de bullying se sentem a vontade de delatar isso aos responsáveis pela escola, o que traz um pouco de segurança.

Palavras-chave


Violência; Adolescente; Escola; Qui-Quadrado; Independência

Texto completo:

PDF

Referências


ABRAPIA - ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PROTEÇÃO À INFÂNCIA E ADOLESCÊNCIA - Programa de Redução de Comportamento Agressivo entre Estudantes. 2000.

ALVES, R. A forma escolar da tortura. Jornal Folha de São Paulo. São Paulo, 2005.

BRASIL-MEC. Secretaria de educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais. Matemática (5a a 8a séries e Ensino Médio). Brasília MEC/SEF, 1998.

CALLEGARI-JACQUES, S. M. Bioestatística: Princípios e Aplicações. Porto Alegre: Artmed, 2003.

FANTE, C.; PEDRA, J. A.. Bullying escolar: perguntas e respostas. Porto Alegre: Artmed, 2008.

LOPES, N. A. A. L. Bullying: comportamento agressivo entre estudantes. J. Pediatr., Rio de Janeiro, v.81, n.5, 2005.

MELO, S. A.; SARDINHA, M. O. Jogos no ensino aprendizagem de matemática: uma estratégia para aulas mais dinâmicas. Revista F@pciência, Apucarana, v. 4, n. 2, p. 5-15, 2009.

R CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. 2017. URL http://www.R-project.org/.

TRIOLA, M. F. Introdução à Estatística. Rio de Janeiro, LTC. 2008.