Análise Fatorial e Estatística Espacial dos Crimes Registrados em Municípios de Mato Grosso

  • Névio Lotufo Neto Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental, Instituto de Física, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá/MT.
  • Nadja Gomes Machado Campus Cuiabá-Bela Vista, Instituto Federal de Mato Grosso, Cuiabá/MT
  • Elkeaeer de Souza Peres Ruvieri Curso de Bacharelado em Estatística. Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Cuiabá/MT
  • Juliana Barbosa da Silva Lotufo Programa de Pós-Graduação em Física Ambiental, Instituto de Física, Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá/MT
  • Luciana Vilela Pereira Laub Curso de Bacharelado em Estatística. Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Cuiabá/MT
  • Kuang Hongyu Departamento de Estatística. Universidade Federal de Mato Grosso – UFMT, Cuiabá/MT
Palavras-chave: criminalidade, análise de componentes principais, análise fatorial, estatística espacial.

Resumo

A criminalidade é um dos problemas que mais afeta a sociedade atualmente, de tal modo, o número de bens subtraídos, de feridos e mortos vem crescendo no decorrer dos anos em todos estados do Brasil. O presente estudo teve como objetivo analisar dados de crimes em municípios do estado de Mato Grosso por meio de técnicas estatísticas. Para esse fim, aplicou-se a técnica multivariada de análise fatorial a fim de se obter um resumo e escores dessas variáveis que combinadas com a estatística espacial servem para ilustrar a situação espaço-temporal desses crimes em relação à área de estudo. As técnicas multivariadas aplicadas foram eficientes, pois conseguiram reduzir as 16 (dezesseis) variáveis estudadas compostas por diferentes tipos de crimes para apenas 3 (três) fatores e a estatística espacial identificou regiões críticas para cada fator.

Referências

ARAÚJO, E. C.; URIBE-OPAZO, M. A.; JOHANN, J. A. Modelo de regressão espacial para estimativa da produtividade da soja associada a variáveis agrometeorologias na região oeste do estado do Paraná. Eng. Agric., Jaboticabal, v. 34, n. 2, p. 286-299, abr. 2014.

BATITUCCI, E.C. 2007. As limitações da contabilidade oficial de crimes no brasil: o papel das instituições de pesquisa e estatística. São Paulo em Perspectiva, 21(1): 7-18.

BRITO, L. T. L.; SILVA, A. S.; SRINIVASAN, V. S.; GALVÃO, C. O.; GHEYI, H. R. Uso de análise multivariada na classificação das fontes hídricas superficiais da Bacia Hidrográfica do Salitre. Engenharia Agrícola, v.26, n.1, p.58-66, 2006.

CÂMARA, G. et al. Análise espacial de áreas. Análise espacial de dados geográficos. 1ª ed. São José dos Campos: INPE, 2002.

CERQUEIRA, D.; LOBÃO, W. Determinantes da criminalidade: Arcabouços teóricos e resultados empíricos. Revista de Ciências Sociais, 47(2):233-269, 2007.

DASSOW, C.; COSTA, R.M.G.S.; Figueiredo, A. M. R. 2012. Nexus Econômicos, 10: 1-24.

FARIAS, C.A.; FIGUEIREDO, A.M.; LIMA, J.E. 2008. Dependência Espacial e Análise de Agrupamento de Municípios para Diferentes Tipos de Crime em Minas Gerais. Reuna, 13 (3): 67-83, 2008.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP / DATAFOLHA. Pesquisa Instinto de Vida - 2017. Disponível em [http://www.forumseguranca.org.br/publicacoes/pesquisa-instinto-de-vida/]. Acesso em: 10 outubro 2018.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP. 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2017. 107 p.

HAIR JUNIOR, J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

KAISER, H. F., The varimax criterion for analytic rotation in factor analysis. Psychometrika, 23, 187–200, 1958.

KING, G. How not to lie with statistics [Online]. Disponível em: <http://gking.harvard.edu/files/mist.pdf> Acesso em: 02 nov. 2018, 2001.

MACEDO, D.A. Fronteira Brasil – Bolívia em Mato Grosso: segurança pública, desenvolvimento social e a construção da identidade nacional. Revista Brasileira de Estudos de Defesa, 4(2): 219-239, 2017.

MACHADO, L. V.; BOARINI, M. L. Políticas Sobre Drogas no Brasil: a Estratégia de Redução de Danos. Psicologia: Ciência e Profissão, 33(3), 580-595, 2013.

MANLY, B. F. J., “Multivariate Statistical Methods: a Primer”, 3ª. Edição, Chapman & Hall/ CRC, 2004.

MARQUES, A. F. Aplicação da análise multivariada na infraestrutura e no desempenho das escolas públicas do Ensino Fundamental e Médio pertencentes ao Núcleo Regional de Educação de Paranavaí. Acta Scientiarum Tecnology, 32, 75-81, 2010.

MIRABETE, J.F.; FABBRINI, R. Manual de direito penal – parte geral, v. I. 23ª ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MORATO, A.S. Uma abordagem sobre as teorias do crime. Revista Brasileira de Direito e Gestão Pública, 1(4): 07-12, 2013.

NUNES, F. G. Análise exploratória espacial de indicadores de desenvolvimento socioambiental das regiões de planejamento do norte e nordeste goiano. Ateliê Geográfico, Goiânia-GO, v.7, n.1, p.237-259. Abril/2013

OZERENKO, A.A., et al, Factorial analysis in selecting the zeolite catalyst for 2,6- dimethylnaphthalene synthesis. Coke and Chemistry, 50, 200–206, 2007.

PAIVA, C. Dependência Espacial: Setores censitários, Zonas OD, Distritos, Sub Prefeituras, etc. Carlos Eduardo de Paiva Cardoso, comunicação pessoal, CET/SP e PUC/SP, 2007.

PASQUALI, L. Análise fatorial: um manual teórico-prático. Brasília: Editora da UnB, no prelo, 1998.

PEKNY, A.C.; RICARDO, C.M. Mapeamento dos principais desafios de violência e criminalidade no Brasil. Friedrich-Ebert-Stiftung. 49 p, 2017.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, Vienna, 2014.

RAMÃO, F.P.; WADI, Y.M. Espaço urbano e criminalidade violenta: análise da distribuição espacial dos homicídios de Cascavel/PR. Revista de Sociologia e Política, 18(35): 207-230, 2010.

SARAIVA, M. V.; CONCEIÇÃO, O. C.; FRANÇA, M. T. A. Os determinantes da criminalidade nos municípios gaúchos: evidências de um modelo econométrico espacial. Ensaios FEE, v. 38, n. 3, p. 521-552, 2017.

SEFFRIN, R; ARAÚJO, E.C; BAZZI, C.L. Spatial analysis of area applied to soybean productivity in the west region of Paraná using software R. Brazilian Journal of Geomatics, v. 6, n. 1, p. 23-43, 2018.

SEPLAN. Produto Interno Bruto do Estado do Mato Grosso – Contas Regionais – Ano de 2014. Ano 2. 2º Edição. Novembro, 2016.

SANTOS, M.J.; SANTOS-FILHO, J.I. Convergência das Taxas de Crimes no Território Brasileiro. Revista Economia, 12(1): 131-147, 2011.

TOLEDO, F.A. Princípios básicos do direito penal. 5 ed. São Paulo: Saraiva: 1994.

UNITED NATIONS – UN. World Drug Report. New York, 2013. 115 p, 2013.

Publicado
29-07-2019