Análise Fatorial e Estatística Espacial dos Crimes Registrados em Municípios de Mato Grosso

Névio Lotufo Neto, Nadja Gomes Machado, Elkeaeer de Souza Peres Ruvieri, Juliana Barbosa da Silva Lotufo, Luciana Vilela Pereira Laub, Kuang Hongyu

Resumo


A criminalidade é um dos problemas que mais afeta a sociedade atualmente, de tal modo, o número de bens subtraídos, de feridos e mortos vem crescendo no decorrer dos anos em todos estados do Brasil. O presente estudo teve como objetivo analisar dados de crimes em municípios do estado de Mato Grosso por meio de técnicas estatísticas. Para esse fim, aplicou-se a técnica multivariada de análise fatorial a fim de se obter um resumo e escores dessas variáveis que combinadas com a estatística espacial servem para ilustrar a situação espaço-temporal desses crimes em relação à área de estudo. As técnicas multivariadas aplicadas foram eficientes, pois conseguiram reduzir as 16 (dezesseis) variáveis estudadas compostas por diferentes tipos de crimes para apenas 3 (três) fatores e a estatística espacial identificou regiões críticas para cada fator.

Palavras-chave


criminalidade; análise de componentes principais; análise fatorial; estatística espacial.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, E. C.; URIBE-OPAZO, M. A.; JOHANN, J. A. Modelo de regressão espacial para estimativa da produtividade da soja associada a variáveis agrometeorologias na região oeste do estado do Paraná. Eng. Agric., Jaboticabal, v. 34, n. 2, p. 286-299, abr. 2014.

BATITUCCI, E.C. 2007. As limitações da contabilidade oficial de crimes no brasil: o papel das instituições de pesquisa e estatística. São Paulo em Perspectiva, 21(1): 7-18.

BRITO, L. T. L.; SILVA, A. S.; SRINIVASAN, V. S.; GALVÃO, C. O.; GHEYI, H. R. Uso de análise multivariada na classificação das fontes hídricas superficiais da Bacia Hidrográfica do Salitre. Engenharia Agrícola, v.26, n.1, p.58-66, 2006.

CÂMARA, G. et al. Análise espacial de áreas. Análise espacial de dados geográficos. 1ª ed. São José dos Campos: INPE, 2002.

CERQUEIRA, D.; LOBÃO, W. Determinantes da criminalidade: Arcabouços teóricos e resultados empíricos. Revista de Ciências Sociais, 47(2):233-269, 2007.

DASSOW, C.; COSTA, R.M.G.S.; Figueiredo, A. M. R. 2012. Nexus Econômicos, 10: 1-24.

FARIAS, C.A.; FIGUEIREDO, A.M.; LIMA, J.E. 2008. Dependência Espacial e Análise de Agrupamento de Municípios para Diferentes Tipos de Crime em Minas Gerais. Reuna, 13 (3): 67-83, 2008.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP / DATAFOLHA. Pesquisa Instinto de Vida - 2017. Disponível em [http://www.forumseguranca.org.br/publicacoes/pesquisa-instinto-de-vida/]. Acesso em: 10 outubro 2018.

FÓRUM BRASILEIRO DE SEGURANÇA PÚBLICA – FBSP. 11º Anuário Brasileiro de Segurança Pública 2017. 107 p.

HAIR JUNIOR, J. F.; ANDERSON, R. E.; TATHAM, R. L.; BLACK, W. C. Análise multivariada de dados. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2005.

KAISER, H. F., The varimax criterion for analytic rotation in factor analysis. Psychometrika, 23, 187–200, 1958.

KING, G. How not to lie with statistics [Online]. Disponível em: Acesso em: 02 nov. 2018, 2001.

MACEDO, D.A. Fronteira Brasil – Bolívia em Mato Grosso: segurança pública, desenvolvimento social e a construção da identidade nacional. Revista Brasileira de Estudos de Defesa, 4(2): 219-239, 2017.

MACHADO, L. V.; BOARINI, M. L. Políticas Sobre Drogas no Brasil: a Estratégia de Redução de Danos. Psicologia: Ciência e Profissão, 33(3), 580-595, 2013.

MANLY, B. F. J., “Multivariate Statistical Methods: a Primer”, 3ª. Edição, Chapman & Hall/ CRC, 2004.

MARQUES, A. F. Aplicação da análise multivariada na infraestrutura e no desempenho das escolas públicas do Ensino Fundamental e Médio pertencentes ao Núcleo Regional de Educação de Paranavaí. Acta Scientiarum Tecnology, 32, 75-81, 2010.

MIRABETE, J.F.; FABBRINI, R. Manual de direito penal – parte geral, v. I. 23ª ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MORATO, A.S. Uma abordagem sobre as teorias do crime. Revista Brasileira de Direito e Gestão Pública, 1(4): 07-12, 2013.

NUNES, F. G. Análise exploratória espacial de indicadores de desenvolvimento socioambiental das regiões de planejamento do norte e nordeste goiano. Ateliê Geográfico, Goiânia-GO, v.7, n.1, p.237-259. Abril/2013

OZERENKO, A.A., et al, Factorial analysis in selecting the zeolite catalyst for 2,6- dimethylnaphthalene synthesis. Coke and Chemistry, 50, 200–206, 2007.

PAIVA, C. Dependência Espacial: Setores censitários, Zonas OD, Distritos, Sub Prefeituras, etc. Carlos Eduardo de Paiva Cardoso, comunicação pessoal, CET/SP e PUC/SP, 2007.

PASQUALI, L. Análise fatorial: um manual teórico-prático. Brasília: Editora da UnB, no prelo, 1998.

PEKNY, A.C.; RICARDO, C.M. Mapeamento dos principais desafios de violência e criminalidade no Brasil. Friedrich-Ebert-Stiftung. 49 p, 2017.

R DEVELOPMENT CORE TEAM. R: A language and environment for statistical computing. Vienna: R Foundation for Statistical Computing, Vienna, 2014.

RAMÃO, F.P.; WADI, Y.M. Espaço urbano e criminalidade violenta: análise da distribuição espacial dos homicídios de Cascavel/PR. Revista de Sociologia e Política, 18(35): 207-230, 2010.

SARAIVA, M. V.; CONCEIÇÃO, O. C.; FRANÇA, M. T. A. Os determinantes da criminalidade nos municípios gaúchos: evidências de um modelo econométrico espacial. Ensaios FEE, v. 38, n. 3, p. 521-552, 2017.

SEFFRIN, R; ARAÚJO, E.C; BAZZI, C.L. Spatial analysis of area applied to soybean productivity in the west region of Paraná using software R. Brazilian Journal of Geomatics, v. 6, n. 1, p. 23-43, 2018.

SEPLAN. Produto Interno Bruto do Estado do Mato Grosso – Contas Regionais – Ano de 2014. Ano 2. 2º Edição. Novembro, 2016.

SANTOS, M.J.; SANTOS-FILHO, J.I. Convergência das Taxas de Crimes no Território Brasileiro. Revista Economia, 12(1): 131-147, 2011.

TOLEDO, F.A. Princípios básicos do direito penal. 5 ed. São Paulo: Saraiva: 1994.

UNITED NATIONS – UN. World Drug Report. New York, 2013. 115 p, 2013.