O crescimento de frutos de pêssegos caracterizados por modelos de regressão não lineares

Édipo Menezes da Silva, Victor Ferreira da Silva, Felipe Augusto Fernades, Joel Augusto Muniz, Tales Jesus Fernandes

Resumo


O pêssego é um fruto nativo da China com os primeiros registros indicando 20 séculos a.C. No mundo o continente que mais produz esse fruto é a Ásia, sendo a China o país que mais produz, no Brasil, os estados do sul concentram 74% da produção nacional. Entender o desenvolvimento dos frutos é extremamente importante para um manejo mais adequado antes e após a colheita e os modelos de regressão não lineares podem ser um grande aliado para pesquisadores e produtos, pois estes modelos possuem interpretação prática de seus parâmetros, ajudando assim, a entender de forma mais objetiva as fases do crescimento desse e de outros frutos. O objetivo deste estudo foi caracterizar, via modelos de regressão não lineares, o desenvolvimento dos frutos de pêssego, em ciclo médio e longo. Como entroncado na literatura para o crescimento de pêssego, os frutos de pêssego possuí uma curva de crescimento sigmoide duplo, sendo o modelo duplo Logístico o mais adequado para o ciclo longo e o duplo Gompertz para o ciclo médio.

Palavras-chave


Desenvolvimento de frutos; Qualidade de ajuste; Sigmoide duplo.

Texto completo:

PDF

Referências


BOME, H. R. A cultura do pessegueiro no Rio Grande do Sul no processo de integração do MERCOSUL. 1994.

SILVA, D. F. P. et al. Curva de crescimento e padrão respiratório de frutos de genótipos de pessegueiro em região de clima subtropical. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 35, n. 2, 2013.

CUNHA JUNIOR, Luis Carlos et al. Caracterização da curva de maturação de pêssegos' Aurora-1', na região de Jaboticabal-SP. Revista Brasileira de Fruticultura, p. 661-665, 2007.

DANTAS, A. L. et al. Desenvolvimento, fisiologia da maturação e indicadores do ponto de colheita de frutos da umbugueleira (Spondias sp.). Revista Brasileira de Fruticultura, Jaboticabal, v. 38, n. 1, p. 33-42, 2016.

FERNANDES, T.J. et al. Seleção de modelos não lineares para a descrição das curvas de crescimento do fruto do cafeeiro. Coffee Science, Lavras, v.9, n.2, p. 207-215, 2014.

FERNANDES, T.J. et al. Parameterization effects in nonlinear models to describe growth curves. Acta Scientiarum, Maringá, v.37, n.4, p. 397, 2014.

FERNANDES, T. J.; PEREIRA, A. A.; MUNIZ, J. A. Double sigmoidal models describing the growth of coffee berries. Ciências Rural, Santa Maria, v.47, n.8, 2017.

MAZZINI, AR de A. et al. Análise da curva de crescimento de machos Hereford. Ciência e Agrotecnologia, v. 27, n. 5, p. 1105-1112, 2003.

McATEE, P.; KARIM, S.; SCHAFFER, R.; DAVID, K. A dynamic interplay between phytohormones is required for fruit development, maturation, and ripening. Frontiers in Plant Science, Lausanne, v.4, n.79, p.1-7, 2013.

MENDES, Patrícia Neves et al. Modelo logístico difásico no estudo do crescimento de fêmeas da raça Hereford. Ciência Rural, v. 38, n. 7, p. 1984-1991, 2008.

MUIANGA, Carlos Alberto et al. Descrição da curva de crescimento de frutos do cajueiro por modelos não lineares. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 38, n. 1, p. 22-32, 2016.

PRADO, T. k.; SAVIAN, T. V.; MUNIZ, J. A. Ajuste dos modelos Gompertz e Logístico aos dados de crescimento de frutos de coqueiro anão verde. Ciência Rural, Santa Maria, v. 43, n. 5, p. 803-809, 2013.

R Core Team (2019). R: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. URL https://www.R-project.org/.

SILVA, D. F. P. et al. Curva de crescimento e padrão respiratorio de frutos de genótipos de pessegueiro em região de clima subtropical. Revista Brasileira de Fruticultura, v. 35, n. 2, 2013.