Clones de batata-doce para criação de novos cultivares

Diego Alves Gomes, Fábio Sandro dos Santos, Kerolly Kedma Felix do Nascimento, Rayane Santos Leite, Guilherme Rocha Moreira, Frank Gomes-Silva, Cicero Carlos Ramos de Brito, Juliana Maria Costa de Araújo

Resumo



Com o objetivo de organizar grupos divergentes com clones de batata-doce e indicar genótipos superiores, a análise multivariada foi utilizada como meio preditivo nos valores médios de dezesseis clones de batata-doce. Foram avaliadas as seguintes características dos clones: produtividade de raízes tuberosas, peso de ramas, produtividade comercial e comprimento das raízes tuberosas. As técnicas multivariadas utilizadas foram a distância de Manhattan para gerar uma matriz com as distâncias entre os clones, posteriormente com o método hierárquico aglomerativo de ligação completa ajustou-se os clones em grupos. A validação dos grupos foi realizada com o coeficiente de correlação cofenética que resultou em um coeficiente de valor 0,9 indicando um bom ajuste de grupos.  O índice de Ratkowsky realizou um corte entre as alturas 20 e 22, no dendrograma gerando 4 grupos.  A análise multivariada conseguiu separar em 4 grupos divergentes os dezesseis clones de batata-doce e isolar os clones que são mais promissores em um único grupo o grupo 1



Palavras-chave


Ratkowsky; Distância de Manhattan; Preditivo

Texto completo:

PDF

Referências


ABUZAYED, M.; F. A.; D. S. Genetic diversity of some Palestinian and Turkish olive (Olea europaea L.) germplasm determined with SSR markers. IUG Journal of Natural Studies, v. 26, n. 1, 2018.

ALEIXO, S. S.; SOUZA, J. G.; FERRAUDO, A. S. Técnicas de análise multivariada na determinação de grupos homogêneos de produtores de leite. Revista Brasileira de Zootecnia, p. 2168-2175, 2007.

ALVES, B. M. et al. Divergência genética de milho transgênico em relação à produtividade de grãos e à qualidade nutricional. Ciência Rural, v. 45, n. 5, p. 884-891, 2015.

ANDRADE, E. K. V. et al. Genetic dissimilarity among sweet potato genotypes using morphological and molecular descriptors. Acta Scientiarum. Agronomy, v. 39, n. 4, p. 447-455, 2017.

CARDOSO, A. D. et al. Avaliação de clones de batata-doce em Vitória da Conquista. Horticultura Brasileira, v. 23, n. 4, p. 911-914, 2005.

CHARRA, M. et al. Package nbclust. Journal of statistical software, v. 61, p. 1-36, 2014.

DA FONSECA, A. F. A. et al. Divergência genética em café conilon. 2006.

DE ANDRADE JÚNIOR, V. C. et al. Potencial quantitativo e qualitativo de genótipos batata-doce. Scientia agraria, v. 19, n. 1, p. 28-35, 2018.

IBGE. Produção Agricola Municipal. Disponível em: < https://sidra.ibge.gov.br. Acesso em: 24 de março de 2019.

MAHAJAN, R.; J. A.; K., N. Characterization of genetic diversity of wild pomegranate collected from Himachal Pradesh, India. Annals Of Plant Sciences, [s.l.], v. 7, n. 2, p.2042-2046, 31 jan. 2018. Adhya Biosciences Pvt. Ltd.. http://dx.doi.org/10.21746/aps.2018.7.2.10.

MANTOVANI, E. C. et al. Eficiência no uso da água de duas cultivares de batata-doce em resposta a diferentes lâminas de irrigação. Horticultura Brasileira, v. 31, n. 4, p. 602-606, 2013.

NETO, S. et al. Produtividade de clones de batata doce em função de doses de nitrogênio. Horticultura Brasileira, 2017.

PRATES, C. J. N. et al. Caracterização morfológica de genótipos de mandioca (Manihot esculenta Crantz). Scientia Plena, v. 13, n. 9, 2017.

R CORE TEAM. {it R}: A language and environment for statistical computing. R Foundation for Statistical Computing, Vienna, Austria. 2012. ISBN 3-900051-07-0, URL url{http://www.R-project.org/}.

SILVA, J. et al. Características de raízes tuberosas de clones de batata-doce por meio de técnicas multivariadas para seleção de genótipos superiores. Revista Verde de Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável, [s.l.], v. 13, n. 1, p.33-38, 1 jan. 2018. Grupo Verde de Agroecologia e Abelhas. http://dx.doi.org/10.18378/rvads.v13i1.5120.