Domínios da qualidade de vida associados á percepção de saúde em idosos: comparação do modelo de Regressão Logística com o de Regressão de Poisson

  • Jaqueline Trentino Silva Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Ediney Magalhães Junior Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
  • Mariano Martínez Espinosa
  • Dayane de Carvalho Rodrigues
Palavras-chave: Qualidade de vida, percepção de saúde, idoso, regressão logística, regressão de Poisson.

Resumo

O objetivo do presente estudo foi analisar a associação entre percepção de saúde negativa e escores dos domínios do WHOQOL-BREF e WHOQOL-OLD menor que a mediana e comparar o modelo de regressão logística múltiplo com o modelo de regressão de Poisson múltiplo. Na população de idosos de quatro Centro de Convivência de Pessoa Idosa (CCI) existentes no Município de Cuiabá-MT com uma amostra constituída por 317 idosos. A variável dependente principal foi a percepção de saúde, avaliada por meio do WHOQOL-BREF com a seguinte questão: O quanto você está satisfeito(a) com a sua saúde? As variáveis independentes foram os escores dos domínios do WHOQOLBREF e WHOQOL-OLD menores que a mediana. Razões de chances brutas e razões de prevalências brutas. Para verificação da distribuição normal dos dados dos escores dos domínios foi utilizado o teste de Shapiro, identificando que estes escores não foram simétricos. Devido a isto, para a análise dos dados, foi considerada uma análise categórica bivariada utilizando a razão de chances bruta e razão de prevalência bruta e uma análise múltipla categórica utilizando uma regressão logística binária e uma regressão de Poisson. Neste estudo, ambos os modelos foram adequados aos dados, no entanto o modelo de Poisson foi mais preciso que o modelo logístico e com estes modelos foi constatado que os domínios que conjuntamente apresentaram riscos na percepção de saúde negativa foram: os escores dos domínios físico e atividades passadas, presentes e futuras; ambos menores que a mediana.

Biografia do Autor

Jaqueline Trentino Silva, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Graduanda em Estatística, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
Ediney Magalhães Junior, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Graduando em Estatística, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
Mariano Martínez Espinosa
Professor Adjunto do Departamento de Estatística, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT
Dayane de Carvalho Rodrigues
Doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva do ISC, Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT

Referências

BARROS, A. J.; HIRAKATA, V. N. Alternatives for Logistic Regression in Cross-Sectional Studies: An Empirical Comparison of Models That Directly Estimate the Prevalence Ratio. BMC Medical Research Methodology. 2003.

DRAPER, N. R.; SMITH, H. Applied regression analysis. Third edition. New York: John Wiley & Sons, inc., 1998.

ESPINOSA, M. M.; RODRIGUES, D. C.; MARCON, S. R.; Planejamento amostral probabilístico em estudos comparativos com grupos de idosos. Conection Line 2015.

FARQUHAR, M. Elderly people’s definitions of quality of life. Soc Sci Med. 1995;41(10):1439-46.

FLECK, M. P. A.; LOUZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L.; PINZON, V. Aplicação da versão em português do instrumento de avaliação de qualidade de vida da Organização Mundial da Saúde (WHOQOL-100). Rev Saúde Pública. 1999;33(2): 198-205.

FLECK, M. P. A.; LOUZADA, S.; XAVIER, M.; CHACHAMOVICH, E.; VIEIRA, G.; SANTOS, L. Aplicação da versão em português do instrumento abreviado de avaliação da qualidade de vida ``WHOQOL-BREF''. Rev Saúde Pública. 2000.

FLECK, M. P. A.; CHACHAMOVICH, E.; TRENTINI, C. Development and validation of the Portuguese version of the WHOQOL-OLD module. Rev. Saúde Pública. 2006.

FONSECA, A. M. O envelhecimento: uma abordagem psicológica. Lisboa: Universidade Católica Portuguesa; 2006.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Síntese de indicadores sociais. 2010.

KUTNER, M. H.; NACHTSHEIM, C. J.; NETER, J. Applied Linear Statistical Models. Fifth edition. New York: Mc Graw Hill, Companies, Inc., 2005.

Le CT. Introductory Biostatistics. New Jersey: Published by John Wiley & Sons, Inc., Hoboken. Published simultaneously in Canada, 2003.

MOURÃO, C. A.; SILVA, N. M. Influência de um programa de atividades físicas recreativas na autoestima de idosos institucionalizados. RBCEH [Internet] 2010 [acessado 2015 jan 16];7(3):324-334. Disponível em: http://www.upf.br/seer/index.php/rbceh/article/view/494/pdf].

PARK, S. H.; HAN, K. S.; KANG, C. B. Effects of exercise programs on depressive symptoms, quality of life and self-esteem in older people: A systematic review of randomized controlled trials. Applied Nursing Research 2014; 26(4):219-226.

PASKULIN, L. M.; MOLZAHN, A. Quality of life of older adults in Canada and Brazil. West J Nurs Res. 2007;29(1):10-26; discussion 27-35.

RODRIGUES, C. D. Influência do Centro de Convivência na qualidade de vida de idosos: estudo comparativo. Dissertação (mestrado). Cuiabá: Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal de Mato Grosso, 2013.

SILVA, L. W. S.; SANTOS, R. G.; SQUARCINI, C. F. R.; SOUZA, A. L.; AZEVEDO, M. P.; BARBOSA, F. N. M. Perfil do estilo de vida e autoestima da pessoa idosa. Perspectivas de um programa de treinamento físico. Revista Temática Kairós Gerontologia [Internet] 2011 [acessado 2014 dez 20]; 14(3):145-166. Disponível em: http://revistas.pucsp.br/index.php/kairos/article/view/6497].

The World Health Organization Quality of Life assessment (WHOQOL): position paper from the World Health Organization. Soc Sci Med. 1995;41(10):1403-9.

Publicado
29-07-2019