RESENHA CRÍTICA DA OBRA FORMAS DE VOLTAR PARA CASA DE ALEJANDRO ZAMBRA

Resenha crítica

  • Raul Ignacio Arriagada Centro Universitário Sumaré
Palavras-chave: Alejandro Zambra; literatura chilena; ditadura; metalinguagem

Resumo

Alejandro Zambra é um dos jovens autores celebrados na literatura chilena e da América hispânica, tendo seus textos traduzidos e integrados em coletâneas como a da conceituada revista literária Granta. Em Formas de voltar para casa, Zambra constrói um romance emocionante no qual nos apresenta um Chile ainda sob os fantasmas da ditadura em dois momentos, em duas engenhosas narrativas: a infância, marcada por um fato peculiar e a idade adulta quando esses fatos são revistos. A narrativa de Zambra é envolvente, principalmente quando o protagonista é o menino da narrativa. A metalinguagem usada pelo autor revela-nos um escritor maduro, seguro e sem temor de inovar. 

Referências

ALLENDE, Isabel. La casa de los espíritus. Barcelona: Debolsillo/Mondadori, 2012.
BOLAÑO, Roberto. Los detectives salvajes. Barcelona: Anagrama, 2007.
FUGUET, Alberto. Mala onda. Santiago de Chile: Alfaguara, 1996.
GASPAR, Mauro. “Música do declínio, sons do poente” in VOLPATO, Cadão. Os discos do crepúsculo. Rio de Janeiro: Numa, 2017. p.12-13.
LISPECTOR, Clarice. A hora da estrela. Rio de Janeiro: Rocco, 1999.
SALINGER, J. D. O apanhador no campo de centeio. Trad. Álvaro Alencar, Antônio Rocha e Jório Dauster. Rio de Janeiro: Editora do Autor, s/d.
SKÁRMETA, Antonio. El cartero de Neruda. Barcelona: Plaza & Janés, 2002.
ZAMBRA, Alejandro. Formas de voltar para casa. Trad. José Geraldo Couto. São Paulo: Tusquets, 2019.
__________________ Bonsai & A vida privada das árvores. Trad. Josely Vianna Baptista. São Paulo: Tusquets, 2018.
___________________ “Jeitos de voltar para casa” Trad. Ivone C. Benedetti in GRANTA 7, Os melhores jovens escritores em espanhol. Rio de Janeiro: Alfaguara, 2011. p. 291.
Publicado
18-12-2020
Seção
Literaturas