Liderança e massa feminina no mangá Suicide Club

  • Leonardo Vinícius Sfordi da Silva Universidade Estadual de Maringá
  • Maria Isabel Borges Universidade Estadual de Londrina
Palavras-chave: Psicanálise das massas. Suicídio. Mangá.

Resumo

O suicídio é um dos temas contemplados no mangá Suicide Club (Furuya, 2017), que atualmente também é uma questão de saúde pública. Trata-se de uma misteriosa história sobre jovens garotas, em idade colegial, formando grupos de suicídio coletivo. Pretende-se compreender a construção da liderança de um grupo de suicídio no mangá citado sob a ótica da psicanálise das massas, em conexão com a linguagem quadrinística. A análise de cunho interpretativista está organizada em três etapas: 1) apontamento de alguns princípios advindos dos estudos de Le Bon (1980), MacDougall (1928) e Freud (2011), para a construção de uma perspectiva psicanalítica sobre as massas, sobretudo em relação à constituição do coletivo e da liderança; 2) caracterização do mangá Suicide Club (Furuya, 2017), incluindo algumas especificidades da linguagem quadrinística (Acevedo, 1990; Cagnin, 2014; Chinen, 2013; Ramos, 2010); 3) análise, subdividida em duas partes, a caracterização da massa feminina e da liderança. Dentre os aspectos observados, destaca-se a força da liderança na composição, coesão e no direcionamento da massa feminina analisada.

Referências

ACEVEDO, J. Como fazer histórias em quadrinhos. Tradução de Sílvio Neves Ferreira. São Paulo: Global Editora, 1990. 214 p.

ARANHA, M. L. de A.; MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 4. ed. São Paulo: Moderna, 2009. 479 p.

BOCK, A. M. B.; FURTADO, O.; TEIXEIRA, M. de L. T. Psicologias: uma introdução ao estudo da Psicologia. 13. ed. São Paulo: Saraiva, 2001. 491 p.

BORGES, M. I. Algumas relações entre a linguagem dos quadrinhos e as histórias de suspense “Daruma” (2016) e “O sinal” (2017) de Orlandeli. In: 5AS JORNADAS INTERNACIONAIS DE HISTÓRIAS EM QUADRINHOS, 5, 2018, São Paulo. Anais... São Paulo, SP: USP, 2018. p. 1-15. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/jornadas/anais/5asjornadas/artigos.php?artigo=q_linguagem/maria_borges.pdf&jornada=5>. Acesso em: 27 nov. 2021.

CAGNIN, A. L. Os quadrinhos: um estudo abrangente da arte sequencial, linguagem e semiótica. São Paulo: Criativo, 2014. 288 p.

CHINEN, N. Linguagem mangá: conceitos básicos. São Paulo: Criativo, 2013. 96 p.

FREUD, S. Psicologia das massas e análise do eu e outros textos (1920-1923). Tradução de Paulo César de Souza. São Paulo: Companhia das Letras, 2011. 300 p.

FURUYA, U. Suicide Club. Tradução de Denis Kei Kimura. São Paulo,‎ NewPOP, 2017. 168 p.

HOBBES, T. Leviatã ou matéria, forma e poder de um estado eclesiástico e civil. Tradução de João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. 2. ed. São Paulo, Abril Cultural, 1979. 230 p.

LE BON, G. Psicologia das multidões. Tradução de Ivone Moura Delraux, Delraux, 1980. Disponível em: <https://filosoficabiblioteca.files.wordpress.com/2016/03/le-bon-gustave-psicologia-das-multidc3b5es.pdf>. Acesso em: 15 dez. 2021.

MACDOUGALL, W. The Group Mind: a sketch of the principles of collective Psychology. London: G. P. Putnam’s, 1928. 428 p.

ORGANIZAÇÃO PAN-AMAERICANA DA SAÚDE. Disponível em: <https://www.paho.org/pt>. Acesso em: 01 fev. 2022.

RAMOS, P. A leitura dos quadrinhos. São Paulo: Contexto, 2010. 160 p.

ROUSSEAU, J.-J. Do Contrato Social: princípios do Direito Político. Tradução de Antonio de P. Machado. São Paulo: Martins Fontes, 1996. 186 p.

SETEMBRO AMARELO. Disponível em: <https://www.setembroamarelo.com/>. Acesso em: 01 fev. 2022.

VERGUEIRO, W. A linguagem dos quadrinhos: uma “alfabetização” necessário. In: RAMA, A.; VERGUEIRO, W. (Org.). Como usar as histórias em quadrinhos na sala de aula. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2014. p. 31-64.

Publicado
07-03-2022
Como Citar
SilvaL. V. S. da; BorgesM. I. Liderança e massa feminina no mangá Suicide Club. Trem de Letras, v. 9, n. 1, p. e022003, 7 mar. 2022.
Seção
Artigos - Estudos linguísticos