Esquecidos ou não escritos

uma interpretação sobre os Bartlebys

  • Ariel Elias Nascimento Universidade Federal do Tocantins / UFT
Palavras-chave: bartleby, arquivo, obra aberta

Resumo

Pretende-se com este texto propor algumas reflexões sobre obra Bartleby e companhia, escrita por Enrique Vila-Matas em 2010. Vila-Matas é um renomado escritor espanhol com mais de vinte livros publicados e traduzidos em vinte e nove idiomas. Para subsidiar esta análise, utilizaremos as ideias de Reinaldo Marques, Jacques Derrida e Eneida Souza.

Referências

BIRMAN, Joel. Arquivo e Mal de Arquivo: uma leitura de Derrida sobre Freud. Nat. hum., São Paulo , v. 10, n. 1, p. 105-128, jun. 2008 . Disponível em:
. Acesso em 11 jul. 2018.
DERRIDA, Jacques. Mal de arquivo: uma impressão Freudiana. Rio de Janeiro: Relume Dumará, 2001.
FREUD, Sigmund. O Ego, o Id e outros trabalhos (1923-1925). Obras Completas, vol. XIX. Rio de Janeiro: Imago, 1997.
MARQUES, Reinaldo. O arquivo literário como figura epistemológica. Matraga. Rio de Janeiro, v.14, n.21, p.13-p.23, jul./dez. 2007.
MARQUES, Reinaldo. Ficções de arquivo: o literário e o contemporâneo. in. COELHO, Haydée Ribeiro; VIEIRA, Elisa Amorim. Modos de arquivo: literatura, crítica, cultura. Rio de Janeiro: Batel, 2018.
SOUZA, Eneida Maria de. A biografia, um bem de arquivo. ALEA. Vol. 10, n. 1, janeiro-junho 2008, p. 121-129.
VILA-MATAS, Enrique. Bartleby e companhia. São Paulo: Cosac & Naif, 2000.
Publicado
28-03-2021
Seção
Literaturas