Práticas de retextualização e reescrita na aula de PLE:

os blogs e outras novas tecnologias

Palavras-chave: Português Língua Estrangeira (PLE), Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC)), Ensino de Línguas, Blog

Resumo

As novas tecnologias de informação e comunicação (TIC) se tornaram ferramentas importantes no ensino de língua materna e de língua estrangeira (LE). Da mesma maneira, as diversas práticas de retextualização e reescrita têm se provado técnicas de ensino eficazes. Assim, o objetivo deste artigo é propor uma atividade de natureza comunicativa para o ensino de Português Língua Estrangeira (PLE), com ênfase no uso de blogs, que relacione essas novas tecnologias (que o blog, a internet e vários outros recursos virtuais estão inclusos) com as tarefas de retextualização e reescrita. Desta maneira, após a introdução, em (1), discutimos alguns princípios básicos de PLE e TIC, em (2); em seguida, em (3), descrevemos nossa proposta de atividade de ensino de PLE por meio de blog; para, em (4), apresentarmos nossas considerações finais.   

Biografia do Autor

Davi Albuquerque, NELIM/ Universidade Federal de Goiás

Professor da Secretaria de Estado da Educação de Sergipe.

Aurilie Marie Franco Nascimento , Estimular - Centro de Desenvolvimento Infantil

Fonoaudióloga infantil na Estimular - Centro de Desenvolvimento Infantil

Referências

ALBUQUERQUE, D. O ensino de português língua estrangeira como diplomacia cultural: atividades de cultura brasileira. Signum: Estudos da Linguagem, v. 23, n.1, p133-150, 2020.

ALBUQUERQUE, D.; NASCIMENTO, A. M. F. Ensino de PLE e as novas tecnologias: o uso dos blogues. In: GONÇALVES, L. (Org.). Fundamentos do ensino de português como língua estrangeira. Roosevelt: Boavista Press, 2016. p. 415-426.

ALMEIDA FILHO, J. C. P. Dimensões comunicativas no ensino de línguas. Campinas: Pontes Editores, 1993.

______. O planejamento de um curso de língua: a harmonia do material-insumo com os processos de aprender, ensinar e refletir sobre a ação, 2007. Disponível em: www.let.unb.br/jcpaes/artigos_publicados.html. Acesso em: 02 de abr. de 2020.

______. Fundamentos de abordagem e formação de professores de línguas. Campinas: Pontes Editores, 2011.

______. Ensinar línguas começando pelo plano de curso. Revista de Estudos de Cultura, v. 7, n.1, p. 71-82, 2017.

ANTHONY, E. M. Approach, method and technique. English Language Teaching, v. 17, n. 1, p. 57-63, 1963.

BARBIRATO, R. C; SILVA, V. L. Planejamento de cursos de Línguas: Traçando Rotas e Explorando Caminhos. Campinas: Pontes Editores, 2016.

BEGLAR, D.; HUNT, A. Implementing task-based language teaching. In: RICHARDS, J.; RENANDYA, W. (Eds.). Methodology in Language Teaching: An Anthology of Current Practice. Nova York: Cambridge University Press, 2002. p. 2276-2280.

BYRNES, H. Content-based foreign language instruction. In: SANZ, C. (Ed.). Mind and context in adult second language acquisition: Methods, theory, and practice. Washington: Georgetown University Press, 2005. p. 282-302.

CHAMOT, A. U. Issues in language learning strategy research and teaching. Electronic Journal of Foreign Language Learning, v. 1, n. 1, p. 14-26, 2004.

D’ANDREA, C. F.; RIBEIRO, A. E. Retextualizar e reescrever, editar e revisar: Reflexões sobre a produção de textos e as redes de produção editorial. Revista de Estudos Linguísticos – Veredas, v. 14, n. 1, p. 64-74, 2010.

D’EÇA, T. O blog como elemento de motivação para a leitura e escrita na língua estrangeira. Proformar Online, v. 15, p. 1-14, 2006.

DELL’ISOLA, R. L. Retextualização de gêneros escritos. Rio de Janeiro: Lucerna, 2007.

ESCOBAR, J. Deu no post: blogs como nova categoria de webjornalismo: um estudo de caso sobre o Blog do Noblat, 2007. Dissertação (Mestrado em Comunicação). Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

FAIRCLOUGH, N. Analysing discourse: textual analysis for social research. Londres/ Nova York: Routledge, 2003.

HAIDT, R. Curso de didática geral. São Paulo: Ática, 2004.

KRASHEN, S. D. Principles and Practice in Second Language Acquisition. Oxford: Pergamon, 1982.

______. Explorations in Language Acquisition and Use. Portsmouth: Heinemann, 2003.

LAMB, A. Multimedia and the Teaching-Learning Process in Higher Education. In: ALBRIGHT, M. J.; GRAF, D. L. (Eds.). Teaching in the Information Technology Age: The Role of Educational Technology. São Francisco: Jossey-Brass Publishers, 1992. p. 33-42.

LANZA, H. Uso pedagógico do blog no ensino-aprendizagem de espanhol. Elaboração e avaliação de uma tarefa. 2007. Dissertação (Mestrado em Linguística Aplicada e Estudos da Linguagem). Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, São Paulo. 2007.

LEFFA, V. Metodologia do ensino de Línguas. In: BOHN, H.; VANDRESEN, P. (Orgs.). Tópicos em linguística aplicada: o ensino de línguas estrangeiras. Florianópolis: EdUFSC, 1988. p. 211-236.

MAFRA, G.; BARROS, E. Revisão coletiva, correção do professor e autoavaliação: atividades mediadoras da aprendizagem da escrita. Diálogo das Letras, v. 6, n. 1, p. 33-62, 2017.

MARCUSCHI, L. A. Da fala para a escrita: atividades de retextualização. Cortez Editora, 2000.

______. Produção textual, análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola, 2009.

MIRANDA, A.; FERRAZ, M. A produção textual sob a perspectiva do ISD: a reescrita em foco. Eutomia, v.1, n.14, p. 144-166, 2014.

OLIVEIRA, S. A.; CARDOSO, E. L. Novas perspectivas no ensino da língua Inglesa: blogues e podcasts. Educação, Formação & Tecnologias, v. 2, n. 1, p. 87-101, 2009.

OXFORD, R.; CROOKALL, D. Vocabulary Language: A critical Analysis of Teaching. TESL Canada Journal, v. 7, n. 2, p. 9-30, 1990.

OXFORD, R.; SCARCELLA, R. Second language vocabulary learning among adults: state of art in vocabulary instruction. System, v. 22, n. 1, p. 231-243, 1994.

PRIMO, A.; SMANIOTTO, A. M. Comunidades de blogs e espaços conversacionais. In: Anais do 3º Encontro Nacional e 1º Encontro Luso-Galaico sobre Weblogs. Porto: Universidade do Porto, 2006.

RICHARDS, J.; RODGERS, T. Method: Approach, design and procedure. TESOL Quarterly, v. 16, n. 1, p. 153-168, 1982.

SACRISTÁN, J. G. Teoria de la ensenanza y desarollo del curriculum. Madri: Anaya, 1981.

SANCHO, J. M. A tecnologia: um modo de transformar o mundo carregado de ambivalência. In: SANCHO, J. (Org.). Para uma tecnologia educacional. Porto Alegre: ArtMed, 2001. p. 23-49.

SANTOS, K. C. O uso do blog como estratégia motivadora no processo de (multi)letramento digital nas aulas de língua estrangeira moderna (LEM). 2015. Dissertação (Mestrado em Linguística e Ensino). Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2015.

SANTOS, J. S.; LACERDA, N. A. A linguagem dos alunos na escrita colaborativa em blog educacional para o ensino-aprendizagem de língua portuguesa. In: SOUSA, I. V. (Org.). Letras, Linguística e Artes: Perspectivas Críticas e Teóricas. Ponta Grossa: Atena, 2019. p. 108-123.

TRAVAGLIA, L. C. et al. Gêneros orais: conceituação e caracterização. In: Anais do SILEL, v. 3, n. 1. Uberlândia: EDUFU, 2013.

VIANA, N. Planejamento de cursos de línguas – pressupostos e percurso. In: ALMEIDA FILHO, J. C. P. (Org.). Parâmetros Atuais para o Ensino de Português Língua Estrangeira. Campinas: Pontes, 1997. p. 29-48.

Publicado
30-06-2021
Como Citar
AlbuquerqueD., & Franco NascimentoA. M. (2021). Práticas de retextualização e reescrita na aula de PLE: : os blogs e outras novas tecnologias. Revista (Entre Parênteses), 10(1), e021002. https://doi.org/10.32988/rep.v10n1.1217