Além da superfície

Por que os recursos educacionais abertos são mais do que apenas arquivos da internet?

Autores

Palavras-chave:

Recursos Educacionais Abertos, Educação Inclusiva, Educação

Resumo

O avanço da internet promoveu uma transformação significativa no acesso à informação e possibilitou a disponibilidade de uma ampla variedade de recursos educacionais on-line. Dentre esses recursos, destacam-se os Recursos Educacionais Abertos (REA), os quais apresentam oportunidades valiosas para enriquecer o processo de ensino e aprendizagem no âmbito da educação básica, especialmente em relação à Educação Inclusiva. No entanto, é crucial estabelecer distinções claras entre os REA e outros tipos de arquivos disponíveis na internet, além de superar possíveis obstáculos legais que possam restringir a utilização desses recursos. Este artigo tem como objetivo geral fornecer informações práticas com o intuito de auxiliar os professores nesse processo. Para tanto, a pesquisa adotada possui natureza descritiva e bibliográfica, com resultados que visam contribuir para a compreensão dos REA como um conhecimento coletivo e propriedade social, além de explorar sua aplicabilidade no contexto da inclusão escolar.

Biografia do Autor

Heverton Ferreira de Oliveira, Universidade Federal de Alfenas

Mestrando em Gestão Pública e Sociedade pela Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL) e  Graduado em Letras - Português e Inglês pelo Centro Universitário de Belo Horizonte. Atualmente é professor efetivo-regente de Língua Portuguesa-Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais.

Luiz Antonio Staub Mafra, Universidade Federal de Alfenas

Doutor em Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade pela Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (2008) e Docente do Instituto de Ciências Aplicadas (ICSA) da Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG).

Referências

BRASIL. Lei nº 13.146, de 6 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/lei/l13146.htm. Acesso em: 28 mai. 2023.

FURTADO, D. F. Guia de bolso da educação aberta. Brasília, DF: Iniciativa Educação Aberta, 2019.

MANTOAN, M. T. E. Inclusão escolar – O que é? Por quê? Como fazer? São Paulo: Summus, 2015

STAROBINAS, L. REA na educação básica: a colaboração como estratégia de enriquecimento dos processos de ensino-aprendizagem. In: Recursos Educacionais Abertos. Práticas colaborativas e políticas públicas. (Orgs) SANTANA, B.; ROSSINI, C.; PRETTO, N.L. São Paulo/Salvador: Casa de Cultura Digital/EDUFBA, 2012. p. 121-129. Disponível em: http://www.aberta.org.br/livrorea/livro/home.html. Acesso em: 27 mai. 2023.

UNESCO. Report. In: Forum on the impact of Open Courseware for higher Education in developing countries. Final report. Paris: Unesco, 2002. p. 1 - 30. Disponível em: http://unesdoc.unesco.org/images/0012/001285/128515e.pdf. Acesso em: 26 mai. 2023.

VEIGA, M. G. Direito à Educação e os recursos educacionais abertos (REA) no auxílio às coordenações pedagógicas em época de pandemia. Revista Educação Pública, Rio de Janeiro, v. 22, nº 14, 19 de abril de 2022. Disponível em: https://educacaopublica.cecierj.edu.br/artigos/22/14/direito-aeducacao-e-os-recursos-educacionais-abertos-rea-no-auxilio-as-coordenacoes-pedagogicas-em-epoca-de-pandemia Acesso em 28 mai. 2023

Arquivos adicionais

Publicado

10-07-2023

Como Citar

Oliveira, H. F. de, & Mafra, L. A. S. . (2023). Além da superfície: Por que os recursos educacionais abertos são mais do que apenas arquivos da internet?. Cadernos De Estudos Interdisciplinares, 5(2), 36–41. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/cei/article/view/2147