Gestão por competências nas Câmaras Municipais

Palavras-chave: competência, desenvolvimento humano, recurso humano, legislativo

Resumo

O conceito de “gestão por competências” pode ser definido como um modelo teórico-metodológico destinado ao manejo do conhecimento, habilidades e atitudes de um indivíduo em seu ambiente laboral. Assim, é dever da instituição identificar as competências necessárias para que o indivíduo exerça sua função com alto desempenho. Este estudo conduziu uma revisão teórica sobre o modelo de gestão por competência em ambientes públicos, em especial nas câmaras municipais, com o objetivo de compreender a importância da gestão por competências nesse ambiente. A gestão por competência pretende promover o desenvolvimento humano e organizacional, de modo a melhor alinhar os profissionais a missão, a visão e aos valores da instituição e aos desígnios inerentes a condição humana. A literatura sobre gestão por competência em órgãos públicos ainda é extremamente escassa. No Brasil, os modelos de gestão por competência em câmaras municipais alertam para a necessidade de entrosamento entre os setores de gestão de pessoas e as chamadas “escolas do legislativo”, com apoio das mesas diretoras. Além de estabelecer programas de educação continuada eficientes e capazes de conscientizar funcionários novos e sensibilizar os efetivos mais antigos, assim como estabelecer uma política de reconhecimento e remuneração baseada nas em competências desenvolvidas de forma efetiva.

Biografia do Autor

André Guarda Rezende, Universidade Federal de Alfenas

Mestre em Educação pela UNIFAL-MG e Pós-graduando em Gestão Pública Municipal pela UNIFAL-MG.

Aline Lourenço de Oliveira, Universidade Federal de Alfenas

Doutora em Administração pela Universidade Federal de Lavras (UFLA) e docente do Instituto de Ciências Sociais (ICSA) da UNIFAL-MG.

Referências

ADRIANO, A. Z.; ACCORDI, I. de A. Perspectivas para a implantação da gestão por competências no Poder Legislativo de Blumenau, Santa Catarina. Revista eletrônica Ciências da Administração e Turismo, [S.L.], v. 8, n. 1, p. 50–70, 2020. Disponível em: http://incubadora.periodicos.ifsc.edu.br/index.php/ReCAT/article/view/50%E2%80%9370%20-%20PDF. Acesso em: 16 out. 2022.

AULETE, C. Novíssimo Aulete. 1. ed. Rio de Janeiro: Lexikon, 2011. v. 1.

BRANDÃO, H. P.; GUIMARÃES, T. de A. Gestão de competências e gestao de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo construto? Revista de Administração de Empresas, [S.L.], v. 41, n. 1, p. 8–15, 2001.

BRASIL. Decreto 9.991, de 28 de agosto de 2019. Dispõe sobre a Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoas da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e regulamenta dispositivos da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990, quanto a licenças e afastamentos para ações de desenvolvimento. Brasilia: [s.n.], 2019.

CAPUANO, E. A. Gestão por competências no setor público: experiências de países avançados e lições para o Brasil. Revista do Serviço Público, [S.L.], v. 66, n. 3, p. 371–394, 2 set. 2015. Disponível em: http://revista.enap.gov.br/index.php/RSP/article/download/574/724. Acesso em: 16 out. 2022.

DUTRA, J. S.; HIPÓLITO, J. A. M.; SILVA, C. M. Gestão de pessoas por competências: o caso de uma empresa do setor de telecomunicações. Revista de Administração Contemporânea, [S.L.], v. 4, n. 1, p. 161–176, abr. 2000. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rac/a/tk4FyX6qsSdDTZ4tH46YXHQ/?format=html&stop=next&lang=pt. Acesso em: Acesso em: 16 out. 2022.

FADUL, E.; SOUZA, A. Reformas da administração pública brasileira: uma compreensão a partir de seus mapas conceituais. 2005, Rio de Janeiro: [s.n.], 2005. p. 22.

FEVORINI, F. B.; SILVA, R. T.; CREPALDI, A. M. Gestão por competências no setor público: exemplos de organizações que adotaram o modelo. Revista de Carreiras e Pessoas, [S.L.], v. 4, n. 2, 8 set. 2014. Disponível em: https://revistas.pucsp.br/ReCaPe/article/download/20577/15194. Acesso em: 16 out. 2022.

FLEURY, M. T. L.; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, [S.L.], v. 5, n. spe, p. 183–196, 2001. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rac/a/C5TyphygpYbyWmdqKJCTMkN/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 16 out. 2022.

GOMES, G. P. S. et al. A governança pública e sua aplicação nos regimes próprios de previdência social. Brazilian Journal of Development, [S.L.], v. 7, n. 4, p. 40136–40149, 18 abr. 2021. Disponível em: https://www.brazilianjournals.com/index.php/BRJD/article/download/28476/22509. Acesso em: 16 out. 2022.

GONÇALVES, E. Gestão de Pessoas e Tecnologia. In: LEME, R. (Org.). Gestão por Competências no Set. Público. 1. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2011. v. 1. p. 208.

HILLESHEIN, B. C.; VENDRAMINI, P. Competências na câmara municipal de Antônio Carlos–SC: uma análise da trajetória dos vereadores no exercício parlamentar. Concepções teórico-metodológicas e modelos de administração e gestão pública – ENEPCP ANAIS., v. 0, n. 8, p. 1386–1402, 2020.

JUNIOR, E. B.; SINACHI, R. Gestão por Competências: da teoria para a prática. In: LEME, R. (Org.). Gestão por Competências no Set. Público. 1. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2011. v. 1. p. 208.

KLERING, L. R.; PORSSE, M. de C. S.; GUADAGNIN, L. A. Novos caminhos da administração pública brasileira. Análise: a Revista de Administração da PUCRS, [S.L.], v. 21, n. 1, p. 14, 2010. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/index.php/iberoamericana/N%C3%83%C6%92O%20https:/www.scimagojr.com/index.php/face/article/view/8231/5903. Acesso em: 16 out. 2022.

LAWLER, E. E. From job-based to competency-based organizations. Journal of Organizational Behavior, [S.L.], v. 15, n. 1, p. 3–15, jan. 1994. Disponível em: https://ceo.usc.edu/wp-content/uploads/1993/07/1993_08-g93_8-From_Job_Based_to_Competency.pdf. Acesso em: 16 out. 2022.

LE BOTERF, G. Desenvolvendo a competência dos profissionais. 3. ed. Porto Alegre: Artmed, 2003. v. 1.

MCCLELLAND, D. C. Testing for competence rather than for “intelligence”. American Psychologist, [S.L.], v. 28, n. 1, p. 1–14, 1973. Disponível em: https://psycnet.apa.org/journals/amp/28/1/1.pdf?casa_token=fq3qaaDmkUUAAAAA:gSL44GDGtclhYHB2NJedcM2YJ6CIK-_MgQrI83fEOKvTUhqyI-hF1tyQ37CKJ-peL2P1IneDEytvRIBHJcaNuo6mGg. Acesso em: 16 out. 2022.

OP DE BEECK, S.; HONDEGHEM, A. Managing competencies in government: state of the art practices and issues at stake for the future. 1. ed. [S.L.]: GOV/PGC/PEM, 2010. v. 1.

PIRES, A. K. Gestão por competências em organizações de governo: mesa-redonda de pesquisa-ação. 1. ed. Brasilia: Escola Nacional de Administração Pública – ENAP, 2005. v. 1.

PRAHALAD, C. K.; HAMEL, G. The core competence ofthe corporation. Harvard Business Review, v. 1, n. 1, p. 16, 1990.

SECCHI, L. Modelos organizacionais e reformas da administração pública. Revista de Administração Pública, [S.L.], v. 43, n. 2, p. 347–369, abr. 2009. Disponível em: https://www.scielo.br/j/rap/a/ptr6WM63xtBVpfvK9SxJ4DM/?format=pdf&lang=pt. Acesso em: 16 out. 2022.

SILVA, A. B. da. Gestão de pessoas por competências nas instituições públicas brasileiras. 2. ed. João Pessoa: Editora UFPB, 2021.

TORRES, M. D. de F. Estado, democracia e administração pública no Brasil. 1. ed. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2014. v. 1.

VESPA, M. Educação contemporânea nas organizações: o desafio de um sistema de desenvolvimento humano competitivo. In: LEME, R. (Org.). Gestão por Competências no Set. Público. 1. ed. Rio de Janeiro.: Qualitymark, 2011. v. 1. p. 208.

ZARIFIAN, P. A gestão da e pela competência. 1996, Rio de Janeiro: Mimeo., 1996.

ZARIFIAN, Philippe. Objetivo Competência. Por Uma Nova Lógica. 1. ed. [S.L.]: Atlas, 2001. v. 1.

Publicado
21-11-2022
Como Citar
Guarda RezendeA., & Lourenço de OliveiraA. (2022). Gestão por competências nas Câmaras Municipais. Caderno De Estudos Interdisciplinares, 4(1), 104-119. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/cei/article/view/1972