A DUALIDADE EM VALENTIA: RECURSO ESTILÍSTICO COM PROPÓSITO CRÍTICO

  • Juliano Saccomani The University of Georgia
Palavras-chave: Romance histórico, reescrita, dualidade, Cabanagem, História

Resumo

Deborah Goldemberg, no romance Valentia, trata de dualidades que dão um novo significado à Revolta da Cabanagem que tomou lugar no estado brasileiro hoje conhecido como Pará. O gênero do romance histórico tem forte significado visto que tem como um de seus objetivos oferecer uma nova visão acerca de algum discurso histórico formado e fomentado por discursos oficiais que acabam por diminuir os impactos sociais de tais acontecimentos. Ao recontar essa história, Goldemberg mostra que há diversos pontos de vista que auxiliam na melhor e mais completa compreensão da Revolta. O tempo narrativo é duplo, assim como também é dupla a personalidade do personagem principal, Samaúma. A duplicidade da narrativa e do personagem dialogam com a defesa de um discurso que questiona o discurso histórico oficial, consequentemente trazendo mais peculiaridades e vozes a uma história pouco contada, principalmente vozes daqueles que perderam essa batalha e hoje em dia continuam sofrendo as consequências. Discute-se o gênero do romance histórico, a duplicidade da narrativa e dos personagens com o intuito de se mostrar que Valentia, ao fazer uso de técnicas discursivas, fomenta um diálogo entre discurso oficial e realidade no qual os perdedores têm a sua voz.

Biografia do Autor

Juliano Saccomani, The University of Georgia
Departamento de Línguas RomânicasPortugues e espanhol

Referências

ANDERSON, Benedict R. (org). Imagined communities: reflections on the origin and spread of nationalism. Londres: Verso, 1991.

BOTOSO, Altamir. Romance histórico E pós-modernidade. Revista De Letras Da Universidade Católica De Brasília, Brasília - DF, v. 3, n. 1/2, p. 37-47, dezembro de 2010.

CAM, Helen M. Historical novels. Londres: Historical Association, 1961.

FREYRE, Gilberto. Casa-grande e senzala: Formação Da Familia Brasileira Sob O Regime De Economia Patriarcal. Rio De Janeiro: J. Olympio, 1943.

GOLDEMBERG, Deborah. Valentia. São Paulo: Grua Livros, 2012.

___. Valentia, o romance. 2016. Disponível em: http://valentiaoromance.blogspot.com. Acesso em: 28 out. 2018.

GROOT, Jerome De. The historical novel. London, Routledge, 2009.

LUKÁCS, Georg. The historical novel. Lincoln and London, University of Nebraska Press, 1983

MCDONALD, Lauren. Duality in Dr. Jekyll and Mr. Hyde, the picture of Dorian Gray, and "Dionea". Student Writing Awards, University of Northern Iowa: UNI ScholarWorks, p. 1-13, dez 2008.

OLIVEIRA, Cristiano Mello De. O romance histórico brasileiro na atualidade. Revista Científica Vozes dos Vales, Minas Gerais, n. 06, p. 1 - 33, outubro de 2014.

SAINTSBURY, George. The historical novel. Folcroft, PA, Folcroft Library Editions, 1971.

SUMIYA, Cleia da R. O romance histórico no Brasil: um breve panorama da produção ficcional. Letrônica, Porto Alegre, V. 9, N. 1, p. 150-164, janeiro-junho de 2016.

STEWART, David O. Historical fact, historical fiction. Publishers Weekly 9, Nov. 2015.

WEINHARDT, Marilene. Considerações sobre o romance histórico. Revista Letras, Curitiba, N. 43, p. 49-59, 1994.

Publicado
08-05-2019
Como Citar
SaccomaniJ. (2019). A DUALIDADE EM VALENTIA: RECURSO ESTILÍSTICO COM PROPÓSITO CRÍTICO. Revista (Entre Parênteses), 7(2). https://doi.org/10.32988/rep.v2i7.749
Seção
Dossiê Literatura e Subalternidade