SOBRE O TERROR MILITAR NO BRASIL: LEITURA DO CONTO O HOMEM CORDIAL, DE ANTÔNIO CALLADO

  • Cícero Émerson do Nascimento Cardoso SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO CEARÁ UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI - URCA
Palavras-chave: Terror militar, Conto, Antônio Callado.

Resumo

Este trabalho discorre sobre o conto O homem cordial, de Antônio Callado, e caracteriza-se pela realização de uma leitura que considera o contexto histórico, e sociopolítico, do Brasil no período em que impera o regime ditatorial impetrado pelo governo militar, especificamente no primeiro governo após o golpe de 1964. Com a intenção de apontar nessa obra a presença do terror militar que acometeu, sobretudo, pessoas que reivindicavam a retomada da democracia e, por isto, eram consideradas subversivas, observaremos como o autor em pauta transpõe para o texto ficcional esse período histórico complexo da política brasileira. Para isto, recorreremos a autores que discorrem sobre esse contexto histórico, como Ronaldo Costa Couto (1998), Denise Rollemberg e Samantha Viz Quadrat (2010), Maria Luiza Tucci Carneiro (2014), Evaldo Vieira (2014), também autores que discutem a obra de Antônio Callado, como Silviano Santiago (1993) e Arturo Gouveia (2012), de modo a observar aspectos estruturais que compõem sua contística.

 

 

Biografia do Autor

Cícero Émerson do Nascimento Cardoso, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO CEARÁ UNIVERSIDADE REGIONAL DO CARIRI - URCA

Cícero Émerson do Nascimento Cardoso é Graduado em Letras e Especialista em Ensino de Língua Portuguesa, Literaturas Brasileira, Portuguesa e Africanas de Língua Portuguesa, pela Universidade Regional do Cariri – URCA. É Mestre em Estudos Comparados – Literatura e Teoria Crítica, pela Universidade Federal da Paraíba – UFPB – e Professor de Língua Portuguesa da rede pública de ensino do Estado do Ceará. Realiza pesquisa nas áreas de Literatura e Filosofia da Educação com ênfase, no caso da Literatura, no Estudo de Gênero e Teoria Sociológica, tendo sido bolsista do CNPq com o Projeto: Adoráveis indesejados: os sujeitos da subalternidade em Morangos Mofados, de Caio Fernando Abreu. Na área de Filosofia da Educação, foi monitor do Projeto de Extensão Filosofia na Escola, quando era aluno do Curso de Filosofia da Universidade Federal do Ceará – UFC. Também é membro do NETLLI – Núcleo de Pesquisa em Estudos Linguísticos e Literários – do Curso de Letras da Universidade Regional do Cariri e do Grupo Sétima de Estudos Cinematográficos – do SESC de Juazeiro do Norte. Publicou em 2011 seu primeiro livro de contos: Breve estudo sobre corações endurecidos, e o folheto A Beata Luzia vai à guerra. Publicou em 2012 o folheto A artesã do chapéu ou pequena biografia de Dona Maria Raquel. Em 2012, 2013, 2014, 2015 e 2016 participou da Mostra de Poesia “Abril para a Leitura”, do Centro Cultural Banco do Nordeste – CCBNB – com os poemas, respectivamente: Soneto de quem espera esperantemente, Soneto que não é sobre nosso amor (ou as consequências dos amores revelados), Elegia para Clarice Lispector, Ode inconformada para Juazeiro do Norte e Acabou chorare (minha versão). Publicou, pela Revista Boca Escancarada, em 2014, o texto: Apólogo da mesa. No mesmo ano, publicou a primeira edição do livro de poesia Romanceiro do Norte Juazeiro. Em 2015, publicou a peça teatral A Revolta de Antonina e integrou a antologia do Festival Internacional de Sonetos “Chave de Ouro”, da Academia Jacarehyense de Letras, com o poema: Soneto para um sórdido e obsoleto catre: o amor! Participou novamente deste festival em 2016 com o poema: Soneto sobre dolorosas damas. Além disso, realiza trabalhos acadêmicos nas áreas de Literatura, Filosofia, Cinema e Educação.  

Publicado
18-12-2017
Como Citar
do Nascimento CardosoC. Émerson. (2017). SOBRE O TERROR MILITAR NO BRASIL: LEITURA DO CONTO O HOMEM CORDIAL, DE ANTÔNIO CALLADO. Revista (Entre Parênteses), 6(1). https://doi.org/10.32988/rep.v1i6.559
Seção
Dossiê Literatura e Resistência