Diálogo Linguística e ensino: revisitando a questão do erro no ensino de língua materna

  • Quezia dos Santos Lopes Oliveira Universidade Estadual do Rio de Janeiro
Palavras-chave: A questão do “erro”. Ensino de língua materna. Diálogo educação superior e básica. Linguística e ensino.

Resumo

Diversos estudos em Linguística contemporânea (Geraldi (1984); Possenti (1996); Antunes (2006); Bagno (2007); Travaglia (2009); Faraco (2008)) têm apontado os problemas do ensino de português na educação básica, que costuma ser classificado como uma “pedagogia do erro”, responsável por produzir e reforçar o preconceito linguístico e o sentimento de incompetência linguística nos alunos. Neste artigo, que é de natureza qualitativa e bibliográfica, propõe-se revisitar a questão do “erro” no ensino tradicional em língua materna nos seus principais eixos (análise gramatical, escrita, leitura e oralidade), a partir de um referencial teórico da Linguística contemporânea, de modo a redirecionar o seu tratamento. O objetivo deste trabalho é problematizar esta noção e advogar em favor de um maior diálogo entre educação superior e básica e da indissociabilidade entre teoria e prática, que se acredita aqui ser a chave para superação dos problemas atualmente identificados no ensino de língua materna centrado no “erro”. Com isso, espera-se subsidiar o professor em sua prática docente e, ao mesmo tempo, fomentar este debate no meio acadêmico-científico, a fim de provocar novas reflexões e investigações dentro do diálogo Linguística e ensino.

Biografia do Autor

Quezia dos Santos Lopes Oliveira , Universidade Estadual do Rio de Janeiro

Doutora em Linguística pela UFRJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro/ Brasil),com bolsa sanduíche no exterior, concedida pelo programa Capes/DGPU, de 2016 a 2017, para cursar parte do doutorado na USC (Universidade de Santiago de Compostela-Espanha). Mestre em Linguística pela UFRJ e graduada (Bacharelado e Licenciatura) em Letras (Português/ Literaturas) pela mesma universidade. Foi bolsista de Iniciação Científica do CNPq, na área de linguística, de 2008 a 2010, e bolsista de Pós-graduação em Linguística pela CAPES no mestrado (2011-2012-Capes/DS) e no doutorado Sanduíche (2016-2017-Capes/DGPU). Desenvolveu, nesse período, pesquisas na área de Linguística com interesse especial pelos temas de concordância verbal, língua e sociedade, processos de variação e mudança linguísticas e aspectos verbais do português. Foi investigadora visitante no Instituto de língua galega, durante o doutorado sanduíche, atuando no projeto "Gallego y portugués brasileiro: historia, variación y cambio"-USC/ILG. Também integrou, como voluntária (de 2007 a 2008), o projeto de pesquisa sobre letramento social e escolar em jovens e adultos vinculado ao PEUL/UFRJ. Possui experiência como professora da educação básica e superior, nas redes pública e privada, e como consultora pedagógica de exames nacionais de larga escala. Atualmente é professora de Linguística da UERJ, integra o grupo de pesquisa do NEPSOL-UFRR e coordena três projetos pela UERJ, dois de Extensão e outro de Iniciação à Docência, nas áreas de Neurociência da linguagem e educação e (socio)linguística e ensino.

Referências

ALMEIDA, Milton. Ensinar português? In.: GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel: Assoeste, 1984. p. 9-15.

ANTUNES, Irandé. Aula de Português: encontro e interação. São Paulo: Parábola, 2003.

ANTUNES, Irandé. “Avaliação da produção textual no ensino médio”. In: BUNZEN, C. & MENDONÇA, M. (Orgs.); KLEIMAN, A. [et al.]. Português no ensino médio e formação do professor- São Paulo: Parábola Editorial, 2006. p. 163-180

BAGNO, Marcos. Preconceito linguístico: o que é, como se faz. São Paulo: Loyola, 2007.

BRASIL. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/portugues.pdf. Acesso em: 30 jan 2021.

BRITO, Percival. Em terra de surdos-mudos (um estudo sobre as condições de produção de textos escolares). In: GERALDI, J. (Org.). O texto na sala de aula. CASCAVEL, Assoeste, 1984. p.109-119.

BORTOLANZA, Ana Maria. (Org. e coord.). Entrevista com João Wanderley Geraldi. Revista Profissão Docente Uberaba, v. 16, n.35, p. 110-120, ago.- dez., 2016.

CALVET, Louis-Jean. Sociolinguística: uma introdução crítica. [Tradução de Marcos Marcionilo] 2 ed. São Paulo: Parábola Editorial, 2002.

CEZÁRIO, Maria Maura. & VOTRE, Sebastião. Sociolinguística. In.: MARTELOTTA, M. (org.) Manual de linguística. 1 ed., 2ª reimpressão. - São Paulo: Contexto, 2009. p. 141-155.

DA SILVA, Kleber; PILATI, Eloisa.; & DIAS, Juliana. O ensino de gramática na contemporaneidade: delimitando e atravessando as fronteiras na formação inicial de professores de língua portuguesa. In: RBLA, Belo Horizonte, v. 10, n. 4, p. 975-994, 2010.

DIONÍSIO, Angela P. & MARCUSCHI, Luiz Antônio. Fala e escrita. 1. ed., 1. reimp. - Belo Horizonte: Autêntica, 2007.

FARACO, Carlos. Alberto. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola Editorial, 2008a.

__________. “A língua portuguesa no ensino médio”. Revista Trama - Volume 4 - Número 7 - 1º Semestre de 2008b. p. 97-114.

______. “As sete pragas do ensino de português”. In: GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel: Assoeste, 1984. p.17-23.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia. São Paulo: Paz e Terra, 1996.

GEBARA, Ester.; ROMUALDO, Jonas & ALKMIN, Tânia. A Linguística e o ensino de língua materna. In.: GERALDI, J. W. (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel: Assoeste, 1984.p.25-29.

GERALDI, João W. (Org.). O texto na sala de aula: leitura e produção. Cascavel: Assoeste, 1984.

______. A Aula como Acontecimento. São Paulo: Pedro & João Editores, 2015a.

______. Atividades epilinguísticas no ensino de língua materna. Revista de Humanidades e Letras. vol. 2, Nº. 1, p. 55-64, 2015b.

______. O ensino de língua portuguesa e a Base Nacional Comum Curricular. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 9, n. 17, p. 381-396, jul./dez. 2015c.

KENEDY, Eduardo. “Possíveis contribuições da linguística gerativa à formação do professor de língua portuguesa”. Rev. de Letras – Nº 72. 32 - Vol. (1) - jan./jun., p. 72-79 – 2013.

KLEIMAN, Ângela. Oficina de leitura: teoria e prática. Campinas: Pontes, 2007.

KOCH, Ingedore. G. V. Parâmetros curriculares nacionais, linguística textual e ensino de línguas. Revista do GELNE, v. 4, n. 1, p. 1-12, 23 fev. 2001.

______. O texto e a construção dos sentidos. 10 ed., 2ª reimpressão- São Paulo: Contexto, 2013.

KOCH, Ingedore. & ELIAS, Vanda. Ler e escrever: estratégias de produção textual. 2. ed., 3ª reimpressão. - São Paulo: Contexto, 2015.

LAJOLO, Marisa. Texto não é pretexto. In.: ZILBERMAN, R. (Org.) Leitura em crise na escola: as alternativas do professor. Porto Alegre: Mercado aberto, 1982, p.52-62.

MARCUSCHI, Elizabeth. Os destinos da avaliação no Manual do Professor. In.: DIONÍSIO, Angela.; BEZERRA, Maria. A. (Org.). O livro didático de Português: múltiplos olhares. Rio de Janeiro: Lucerna, 2001. p. 207-224.

MARCUSCHI, Luiz Antônio. Produção textual: análise de gêneros e compreensão. São Paulo: Parábola Editorial, 2008.

______. Gêneros textuais: definição e funcionalidade. In: DIONISIO, Ângela Paiva; MACHADO, Ana Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora. Gêneros Textuais & Ensino. 4. ed. Rio de Janeiro: Lucerna, 2005. p. 19-36.

PILATI, Eloisa. N. et al. “Educação linguística e ensino de gramática na educação básica”. Revista Linguagem & Ensino, v. 14, p. 395-425, 2011.

POSSENTI, Sírio. Por que (não)ensinar gramática na escola? São Paulo: Mercado de Letras, 1996.

SALOMÃO, Margarida. “Linguística e Ensino de Português: variações sobre um tema recorrente”. In: SILVA, R. Virgínia. M. Contradições no ensino de português. São Paulo: Contexto, 1995. P. 139-155.

SOARES, Magda. Português na escola: história de uma disciplina curricular. SOARES, Magda. Português na escola: história de uma disciplina curricular. In: BAGNO, Marcos (Org.). Linguística da norma. São Paulo: Loyola, 2002. p.155-177.

SOLÉ, Isabel. Estratégias de leitura. 5 ed. Porto Alegre: ArtMed, 1998.

TRAVAGLIA, Luiz Carlos. Gramática e interação: uma proposta para o ensino de gramática. São Paulo: Cortez, 2009.

Publicado
23-09-2022
Como Citar
Oliveira Q. dos S. L. (2022). Diálogo Linguística e ensino: revisitando a questão do erro no ensino de língua materna. Revista (Entre Parênteses), 11(1), e022002. https://doi.org/10.32988/rep.v11n1.1574
Seção
Artigos - Estudos Linguísticos