LIQUEFAZER A PRÓPRIA VOZ PARA ENLAÇÁ-LA A OUTRAS: VIRGINIA AYLLÓN E ALGUMAS NOTAS SOBRE LIBERALIA

  • Flavia Krauss UNEMAT
Palavras-chave: literatura latino-americana, escrita feminista, saberes femininos, laços sociais

Resumo

Neste trabalho, partindo da noção de função-autor proposta por Foucault (2009), tecemos algumas notas que se sustentam na hipótese de que a escritura de Virginia Ayllón, narradora e poeta boliviana, representaria um deslocamento deste conceito, já que se trama a partir de uma memória discursiva (PÊCHEUX, 1999) que tensiona com a forma-sujeito da sociedade burguesa (HENRY, 1992) e se mostra mais próxima de formações discursivas (PÊCHEUX, 2000) que valorizam a oralidade, os saberes femininos (LACAN, 2008) e a coletividade. Assim sendo, nosso objetivo nesta reflexão se relaciona a um (re)conhecimento deste embate ideológico-discursivo presente em toda América Latina – mas ainda não suficientemente visibilizado – na materialidade textual (seja ela escrita ou falada) do saber-fazer de Virginia Ayllón. Para a escrita deste artigo, partimos dos pressupostos teóricos da Análise do Discurso materialista, entendida como uma disciplina de entremeio. Dentre os resultados obtidos, ainda parciais e não conclusivos, encontramos uma possível autoria que denominaremos feminina, analisada em Ayllón (e por ela percebida em Adela Zamudio) que, ao partir de uma noção menos jurídica de sujeito, entendido como um bloco monolítico e responsável por sua obra, impulsionaria uma constelação autoral e, assim, a construção de laços sociais via escritura.

Biografia do Autor

Flavia Krauss, UNEMAT

Professora de Língua Espanhola na Universidade do Estado de Mato Grosso, campus de Tangará da Serra. É doutora em Letras pela Universidade de São Paulo e coordenadora do Programa de Extensão Curupira Cartonera. Se interessa por temas relacionados às editoras cartoneras, literatura e tradução cartonera.

Referências

AYLLÓN, Virginia. Liberalia: diez fragmentos sobre la lectura. Bolívia: Yerba Mala Cartonera, 2006. Disponível em: https://issuu.com/yerbamalacartonera/docs/liberalia.

__________. El pensamiento de Adela Zamudio. La Paz: Plural, 2019.

__________. Epílogo: Federici en Latinoamérica y Bolivia. In: FEDERICI, Silvia. Caliban y la Bruja: mujeres, cuerpo y acumulación originaria. 1ª. Edición. Cochabamba: La Libre/Mujeres, territorios y resistencias/Excepción, 2019.

__________. Virginia Ayllón y Luis H. Antezana en la presentación del libro “El pensamiento de Adela Zamudio”. Comunicação oral. Cochabamba, La libre (Proyecto Social), 2019. Disponível em: https://www.ramonacultural.com/contenido-r/el-pensamiento-de-adela-zamudio-de-virginia-ayllon/. Acesso em: 07 maio 2021.

BORGES, Jorge Luis. Poesía. Trad. de Josely Vianna Baptista. São Paulo: Companhia das Letras, 2009.

CAZUZA. Maior abandonado. In: BARÃO VERMELHO. Maior abandonado. Rio de Janeiro: Opus Columbia, 1984.

FEDERICI, Silvia. Caliban y la Bruja: mujeres, cuerpo y acumulación originaria. 1ª. Edición. Cochabamba: La Libre/Mujeres, territorios y resistencias/Excepción, 2019.

FOUCAULT, M. O que é um autor? In: FOUCAULT, M. Ditos e Escritos III. Estética: Literatura e Pintura, Música e Cinema. 2ª. Edição. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2009. Disponível em: http://abdet.com.br/site/wp-content/uploads/2015/02/Ditos-e-escritos-III-Est%C3%A9tica.pdf

HENRY, P. A Ferramenta Imperfeita: Língua, Sujeito e Discurso. Campinas: Editora da Unicamp, 1992.

LACAN, J. Seminário, livro 20: mais, ainda. Rio de Janeiro: Zahar, 2008

PÊCHEUX, M. Remontemos de Foucault a Spinoza. Trad. Maria do Rosário V. Gregolin, mimeo., 2000.

________. Papel da memória. In: ACHARD, P. et al. Papel da memória. Campinas, SP: Pontes, 1999.

________. Semântica e Discurso: Uma crítica à afirmação do óbvio. 4ª. Edição. Campinas: Editora da Unicamp, 2009.

SEGATO, R. Género y colonialidad: en busca de claves de lectura y de un vocabulario estratégico descolonial. In: QUIJANO, A; NAVARRETE, J. (eds). La Cuestión Descolonial. Lima: Universidad Ricardo Palma – Cátedra América Latina y la Colonialidad de Poder, 2010.

Publicado
21-12-2021
Como Citar
KraussF. (2021). LIQUEFAZER A PRÓPRIA VOZ PARA ENLAÇÁ-LA A OUTRAS: VIRGINIA AYLLÓN E ALGUMAS NOTAS SOBRE LIBERALIA. Revista (Entre Parênteses), 10(2), 01-16. https://doi.org/10.32988/rep.v10n2.1513
Seção
DOSSIÊ LITERATURA DE AUTORIA FEMININA EM LÍNGUA ESPANHOLA EM PERSPECTIVA