O SINTOMA DO TEMPO ENTRE ILIÓN E LA HABANA

Português

  • Magalys Fernandez Pedroso Universidade Federal Fluminense/ Universidade Federal do Rio de Janeiro
Palavras-chave: Sintoma, Temporalidade, Anacronismo, Magali Alabau

Resumo

Este artigo faz parte do projeto de dissertação de Mestrado É preciso passar: diáspora, condição migrante e temporalidade em Magali Alabau que se desenvolve atualmente no Programa de Pós-graduação em Literaturas Hispânicas da Universidade Federal Fluminense. A proposta é estudar os desdobramentos das relações temporais como locus enunciativo no poema-livro Hemos llegado a Ilión. Magali Alabau (1945) tematiza neste poema de aproximadamente trinta páginas uma viagem de visita a Cuba – anunciada como Ílion – após vinte anos de diáspora. A constante flutuação entre passados e presentes no universo poético da obra nos levou a conjecturar a hipótese de um anacronismo sintomático que justapõe a cosmologia grega aos acontecimentos da viagem. A partir de um trabalho interpretativo caracterizado pela “leitura” (Todorov, 2003), tivemos por objetivo fundamentar a relação sintoma-temporalidade-anacronismo como locus enunciativo, exemplificando com trechos do poema. Os três conceitos teóricos que fundamentam o trabalho são: “sintoma” (Lacan, 1997), “tempo do haver” (Magno, 1997) e “anacronia” (Huberman, 2011).

Biografia do Autor

Magalys Fernandez Pedroso, Universidade Federal Fluminense/ Universidade Federal do Rio de Janeiro

Possui Mestrado e Graduação em Língua e Literatura Russas pelo
Instituto Superior Pedagógico de Voronezh, Rússia, 1998; Graduação em
Língua Inglesa pelo Instituto Superior Pedagógico Enrique José Varona,
Havana, Cuba; e Graduação em Psicologia pela Universidade Estácio de
Sá, Rio de Janeiro, Brasil. Consta com as seguintes publicações: “El (sin)
presente” - ensaio, ver. Grumo, Buenos Aires, 2008. Verbetes: Nicolás
Guillén e Fernando Ortiz – Enciclópedia Contemporânea de América
Latina e do Caribe, São Paulo, 2006. Livro de contos “Velorio a la
cubana”, Rio de Janeiro, 2016. Livro de poesia “Ña de sí”, Buenos Aires,
2021. Atualmente, é mestranda no Programa de Pós-graduação de
Estudos Neolatinos na UFF e na UFRJ

Referências

ALABAU, Magali. Hemos llegado a Ilión. In: Ir y Venir. Lieben: Ed. Bokeh, 2017. p. 143-167.

______. Me interesan las personas no la literatura. Diario de Cuba. ag. 2020. Disponible en: <>. Acceso en: 26 dic. 2020.

ALONSO, Aristides. Aspectos do verbo haver e seu uso na Nova Psicanálise. Revista TRANZ, v. 5, dez/ 2010. Disponible en: <>. Acceso en: 20 feb. 2021.

BAJTIN, Mijail, M. Teoría y estética de la novela. Madrid: Taurus, 1989.

BARQUET, Jesús. Círculos concéntricos de la violencia en la poesía de Magali Alabau. Revista hispanoamericana de poesía, Santiago de Chile/ Buenos Aires, v.3, n. 3, p. 18-28, 2000.

BOLAÑOS, Aimée. Poesía insular de signo infinito. Madrid: Betania, 2008.

BOURRIAUD, Nicolas. Radicante. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2009.

DIDI-HUBERMAN, Georges. Ante el tiempo. Buenos Aires: Adriana Hidalgo, 2011.

FREUD, Sigmund. Inhibición, síntoma y angustia. In: Obras Completas, vol. XX. Buenos Aires: Amorrortu Editores, 1976, p. 73-83.

______. Los caminos de la formación del síntoma. In: Obras Completas, vol. XVI Buenos Aires: Amorrortu Editores, 1976, p. 326-343.

LACAN, Jacques. O seminário, livro 23, o sinthoma. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1997.

______. O seminário, livro 5, as formações do inconsciente. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1998.

MAGNO, MD. Tempo do Haver. Revista do programa de pós-graduação em Letras. UF Santa Catarina, n. 5, jul./ dic. 1997. Disponible en <<https://periodicos.ufsm.br/letras/article/ >>. Acceso en: 18 feb. 2020.

PALMERO, Elena. Escritas em trânsito. Rio de Janeiro: Gravida, 2019.

RANCIÈRE, Jacques. Los nombres de la historia. Una poética del saber. Buenos Aires: Ediciones Nueva Edición, 1993.

TODOROV, Tzvetan. Poética da Prosa. São Paulo: Martin Fontes, 2003.

Publicado
21-12-2021
Como Citar
Fernandez PedrosoM. (2021). O SINTOMA DO TEMPO ENTRE ILIÓN E LA HABANA: Português. Revista (Entre Parênteses), 10(2), 01-15. https://doi.org/10.32988/rep.v10n2.1425
Seção
DOSSIÊ LITERATURA DE AUTORIA FEMININA EM LÍNGUA ESPANHOLA EM PERSPECTIVA