NORMA E POLÍTICA LINGUÍSTICAS BRASILEIRAS

  • Ana Carolina de Aguiar Gonçalves Timóteo Universidade Federal de Ouro Preto
Palavras-chave: PALAVRAS-CHAVE: norma linguística; ensino de Língua Portuguesa; política linguística.

Resumo

RESUMO

Na caminhada acadêmica, as questões, muitas vezes, são mais importantes do que suas próprias respostas. Formular uma questão precisa, que abarque a prática e fomente o estudo permite que a trajetória seja tão significativa quanto o ponto de chegada. É este o movimento neste estudo: a questão da norma linguística e a institucionalização de políticas linguísticas. Partindo da descrição histórica da institucionalização da Língua Portuguesa no Brasil, perpassamos também os caminhos da fixação dessa língua como disciplina a ser ensinada nas escolas. Discorremos sobre a legislação brasileira no que se refere às prescrições curriculares (PCN e BNCC) para ensino de Língua Portuguesa no Brasil, e procuramos mostrar como essas prescrições nos parecem imprecisas no que concerne à ideia de norma linguística. Analisamos, então, as ideias de norma para alguns teóricos, partindo dos preceitos estruturalistas de Saussure e atingindo linguistas brasileiros que investigam a questão da norma linguística da Língua Portuguesa.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Aguiar Gonçalves Timóteo, Universidade Federal de Ouro Preto
Mestra em Estudos da Linguagem: Linguística Aplicada pela Universidade Federal de Ouro Preto, licenciada em Letras pela mesma universidade e professora de língua portuguesa em instituições públicas e privadas de ensino.
http://lattes.cnpq.br/7757621051672314

Referências

ALVES, Manoel. A histórica contribuição do ensino privado no Brasil. Educação. v. 32, n. 1, p. 71-78, 2009.
BAGNO, M. A norma oculta: língua & poder na sociedade brasileira. São Paulo: Parábola, 2003.
BAUER, Otto. A nação. In. ___________. Um mapa da questão nacional. Rio de Janeiro: Contraponto, 2000.
BRASIL, Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Versão homologada. Brasília, MEC/CONSED/UNDIME, 2018. Disponível em: http://basenacionalcomum.mec.gov.br/. Acesso em: fev. 2020.
________. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, LDB. 9394/1996.
________. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: terceiro e quarto ciclos do ensino fundamental: língua portuguesa. Brasília: MEC/SEF, 1998
________. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.
CHAVES DE MELO, Gladistone. Alencar e a “língua brasileira”. In: ALENCAR, José de. Senhora. Perfil de mulher. Rio de Janeiro: José Olympio. 1953. P. 17-88.
COSERIU, Eugênio. Sistema, Norma e Fala. In: ______Teoria da linguagem e linguística Geral. SP: Presença/USP, 1979, p. 13-85;
FARACO, Carlos A. Norma culta brasileira: construção e ensino. In: ZILLES, A. M.; FARACO, C. A. Pedagogia da variação linguística: língua, diversidade e ensino. SP: Parábola, 2015.
________. Norma culta brasileira: desatando alguns nós. São Paulo: Parábola, 2008.
GARCEZ, P. Observatório de políticas linguísticas no Brasil: Metas para a linguística aplicada. In: NICOLAIDES, C.; et al. Política e politicas linguísticas. p. 79-92. Campinas: Pontes, 2013.
LOUZADA, M. S. O. A interação Língua e Literatura na perspectiva dos currículos. In: GREGOLIN, M. R. V.; LEONEL, M. C. M. (orgs.) Araraquara-SP: UNESP. 1997
LUCCHESI, Dante. Norma linguística e realidade social. In: BAGNO, M. (Org.). Linguística da Norma. São Paulo: Loyola, 2002, p. 63-91.
MACIEL, R. Políticas linguísticas, conhecimento local e formação de professores. In: NICOLAIDES, C.; et al. Política e politicas linguísticas. p. 237-261. Campinas: Pontes, 2013
PERINI, Mário A. A língua do Brasil amanhã e outros mistérios. São Paulo: Ed. Parábola, 2004.
________. Sofrendo a Gramática: ensaios sobre a linguagem. São Paulo: Ed. Ática, 2003.
SOUZA, Mércia Cardoso de. O direito fundamental de se expressar na própria língua: realidade ou utopia? Disponível em: http://www.publicadireito.com.br/artigos/?Cod=500d2e6424f6fe03. S/ data. Acesso em 24/06/2019.
TEYSSIER, Paul. História da língua portuguesa. São Paulo: Martins, 2014
VENTURI, I. V. G.; JÚNIOR, D. G. A construção histórica da disciplina escolar Língua Portuguesa no Brasil. Cadernos de História da Educação, v. 3, 2004.
Publicado
10-12-2020
Como Citar
de Aguiar Gonçalves TimóteoA. C. (2020). NORMA E POLÍTICA LINGUÍSTICAS BRASILEIRAS. Revista (Entre Parênteses), 2(9). https://doi.org/10.32988/rep.v2n9.1214