DUAS PIONEIRAS NO ESTUDO DA ANTIGUIDADE NO BRASIL

  • Filipe N. Silva UNICAMP
  • Pedro Paulo A. Funari Universidade Estadual de Campinas
  • Elaine Cristina Prado dos Santos Universidade Presbiteriana Mackenzie
Palavras-chave: Estudos clássicos, cientistas pioneiras, contribuição feminina

Resumo

Apresentamos, neste artigo, a trajetória intelectual de duas classicistas brasileiras do século XX. Após propormos uma reconstituição histórica sobre a formação das instituições de Ensino Superior no território brasileiro, destacamos a formação das professoras Ingeborg Braren e Maria da Glória Alves Portal na Universidade de São Paulo. Objetiva-se, por um lado, tornar patente o pioneirismo de sua contribuição intelectual de ambas as docentes para o ensino e pesquisa sobre a Antiguidade Clássica no Brasil. Por outro lado, pretende-se contribuir para uma melhor compreensão do papel de protagonismo das mulheres no desenvolvimento da ciência do país, em geral, e dos estudos clássicos, em particular.

Biografia do Autor

Filipe N. Silva, UNICAMP

Doutorando em História, Universidade Estadual de Campinas.

Pedro Paulo A. Funari, Universidade Estadual de Campinas

Universidade Estadual de Campinas.

Elaine Cristina Prado dos Santos, Universidade Presbiteriana Mackenzie

Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Referências

BARBOSA, E. M., & MACHADO, C. J. Gênese do direito do voto feminino no Brasil: uma análise jurídica, política e educacional. Revista HISTEDBR On-Line, 12(45), 89-100. 2012.

BARROSO, C.L.M.; MELLO, G.N. O acesso da mulher ao ensino superior brasileiro, Cadernos de Pesquisa FGV, 15, 1975, 47-77.

BEOZZO, J. O. Pacto das Catacumbas. Por uma Igreja servidora e pobre. São Paulo, Paulinas, 2015.

BRAREN, I. A Epistolografia em Roma. 1992.

_____. Antologia Bilingue de Escritores Latinos. Catão, 1988. (Tradução/Artigo).

_____. Componentes polifónicos em el discurso epistolográfico de Séneca. Auster Revista Del Centro de Estudios Latinos, La Plata, n.2, p. 121-128, 1996.

_____. Da Clemência de Sêneca. Textos Latinos. SBEC, São Paulo, 1989.

_____. Direção da Coleção Grécia-Roma, 1991.

_____. O jocoso nas Epístolas Morais de Sêneca. Polis. Revista de Ideas y Formas Políticas de La Antigüedad Clásica, Alcalá, n.4, p. 33-42, 1992.

_____. O mausoléu de Augusto e a Apocolocintose de Sêneca. Clássica. São Paulo, p. 169-173, 1995.

_____. Os ouvidos atentos de César (Horácio Sat. II, I). Clássica. Araraquara, v. 2, p. 21-27, 1993.

_____. Por que Sêneca escreveu epístolas? Letras Clássicas, São Paulo, p. 39-44, 1999.

_____. Sêneca. Epístola a Lucílio. Epístola 1. Letras Clássicas, São Paulo, p. 291-292, 1999.

_____. Sêneca. Epístola a Lucílio. Epístola 41. Letras Clássicas, São Paulo, p. 193-194, 1999.

_____. Sêneca/Salústio. Tratado sobre a Clemência. A Conjuração de Catilina. A guerra de Jugurta. Petrópolis, 1990. (Prefácio, Pósfacio/Introdução).

Cunha, L. Diretrizes para o estudo histórico do ensino superior no Brasil, v. 3 n. 23 (1984): História da Educação Brasileira, pp. 6-26.

FAVERSANI, F. A pobreza no Sayricon de Petrônio. Ouro Preto, UFOP, 1999.

FLORES, S. R. A democratização do ensino superior no Brasil, uma breve história: da Colônia a República. Revista Internacional De Educação Superior, 3(2), 401-416. 2017. https://doi.org/10.22348/riesup.v3i2.7769

FUNARI, P. P. A.; A Anforologia: Uma Nova Disciplina Arqueológica. Revista de História (USP), v. 118, p. 161-170, 1985.

_____. La cultura popular en la Antigüedad Clásica. Écija: Editorial Sol, 1991.

_____. Arqueologia. São Paulo, Ática, 1988.

_____. Cultura Popular na Antiguidade Clássica. São Paulo, Contexto, 1989.

_____. Pesquisa e Ensino da Antiguidade Ibérica no Brasil. Porque estudar a Antiguidade da Península Ibérica no Brasil? Uma contribuição para o debate. Palestra proferida na Universidade Federal de Alfenas, 2019. DOI: 10.13140/RG.2.2.12004.01927.

_____. GARRAFONI, R.S. A aculturação como modelo interpretativo: o estudo de caso da Romanização. Revista Heródoto. Unifesp, Guarulhos, v. 3, n. 2, Dezembro, 2018. p. 246-255.

GARRAFFONI, Renata Senna. História Antiga e as Camadas Populares: Repensando o Império Romano. Separata da Revista Cadmo. Nº.18. Lisboa, 2008. p.169-180.

LOPES, M.M; SOUZA, L.G. P; SOMBRIO, M.M.O. A construção da invisibilidade das mulheres nas ciências: a exemplaridade de Bertha Maria Júlia Lutz (1894-1976). Gênero, Niterói, v. 5, n.1, p. 97-109, 2004.

PORTAL, M.G.A. A colonização romana na Dácia e no Baixo Danúbio. In: Anais do IV Simpósio Nacional de Professores Universitários de História. 1967.

_____. A escravidão na Dácia Romana. In: Anais do VI Simpósio Nacional de Professores Universitários de História. 1967.

_____. A evolução dos direitos do homem na Antiguidade. In: Anais da FFLC de Bauru, 1964.

_____. Alguns pontos controversos em torno da Coluna Trajana. Revista de História. nº.72. São Paulo, 1967.

_____. Análise de Documentos Concernentes à Estrutura Agrária na primeira colônia Teuta em Terra Capixaba (1847-1920). In: Anais do VIII Simpósio Nacional dos Professores Universitários de História. 1975.

_____. Os altos rendimentos da Mineração na Hispânia Romana (206-166 a.C). Revista de História. nº 111. São Paulo, 1978. p.03-17.

_____. Resenha: La minería hispana e Iberoamericana. Revista de História da USP. 1975.

_____. Sobre a escravidão no Império Romano, 152 documentos epigráficos, Revista de História da USP, 1983, 114, 135-166.

RAGO, L. M. Feminizar é preciso: por uma cultura filógina. São Paulo Perspec. São Paulo. v. 15, n. 3, p. 53-66, Julho, 2001.

SAID, Edward. Culture and Imperialism. New York: Vintage Books, 1994.

SAVIANI, D. (2011). A expansão do Ensino Superior no Brasil: Mudanças e continuidades. Poiesis Pedagógica. 8(2), 4-17.

SCHWARTZMAN, Simon. A universidade primeira do Brasil: entre intelligentsia, padrão internacional e inclusão social. Estud. Av. São Paulo. v. 20, n. 56, p. 161-189, Abril de 2006.

SILVA, Glaydson José da. Os avanços da História Antiga no Brasil. In: Renata Lopes Biazotto Venturini. (Org.). História Antiga I: Fontes e Métodos. 1ed. Maringá: Eduem, 2010, v. 01, p. 73-94.

TRINDADE, Hélgio. Saber e poder: os dilemas da universidade brasileira. Estud. Av. São Paulo. v. 14, n. 40, p. 122-133. Dez. 2000.

FONTES

Arquivo Geral da Universidade de São Paulo

Maria da Glória Alves Portal:

ARQUIVO GERAL DA USP. Maria da Glória Alves Portal. Processo: 80.1.21612.01.5 Caixa: 7131. Setor: FFLCH/USP. “Afastamento”. 21/08/1987.

ARQUIVO GERAL DA USP. Maria da Glória Alves Portal. Processo: 79.1.29697.1.8 Caixa: 7028. Setor: FFLCH/USP. “Contrato – Docente”. 15/09/1987.

ARQUIVO GERAL DA USP. Maria da Glória Alves Portal. Processo: 77.1.1405.01.8 Caixa: 6400. Setor: FFLCH/USP. “Comissionamento”. 21/09/1987.

ARQUIVO GERAL DA USP. Maria da Glória Alves Portal. Processo: 77.1.19293.1.0 Caixa: 6512. Setor: FFLCH/USP. “Contagem de Tempo de Serviço”. 22/04/1988.

Ingeborg Braren:

Processo n. 80.1.40348.1.8

Interessado: Ingeborg Braren

Título: Sobre acumulação de cargos exercidos, Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 80.1.30407.1.1

Interessado: Ingeborg Braren

Título: Contrato docente Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 90.1.28100.1.0

Interessado: Ingeborg Braren

Título: Credenciamento para orientadores da área de Letras Clássicas Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 86.1.2207.1.7

Interessado: Ingeborg Braren

Título: Curso de pós-graduação. Expedição de título Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 92.1.1815.8.7

Interessado: Ingeborg Braren

Título: Requer sua inscrição no concurso para provimento de cargo de professor assistente, área de Língua e Literatura Latina Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 91.1.49907.1.0 v.3 [do processo n. 76.1.16053.1.7]

Interessado: FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas)

Título: Nomeação por concurso de professor assistente Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 71.1.1271.1.9 v.1

Interessado: FFLCH

Título: Solicita autorização para o funcionamento do curso de pós-graduação da área de Letras Clássicas Setor. FFLCH/UP.

Processo n. 90.1.28108.1.0 v. 2 [do Processo n. 71.1.1271.1.9 v.1]

Interessado: FFLCH

Título: Solicita autorização para o funcionamento do curso de pós-graduação da área de Letras Clássicas Setor. FFLCH/USP

Publicado
08-09-2020
Como Citar
SilvaF. N., Pedro Paulo A. Funari, & Elaine Cristina Prado dos Santos. (2020). DUAS PIONEIRAS NO ESTUDO DA ANTIGUIDADE NO BRASIL. Revista (Entre Parênteses), 9(1). https://doi.org/10.32988/rep.v1n9.1139