“LONGE DOS DETRITOS PRIVADOS DA VIDA”: O DESENRAIZAMENTO DE KAUSHIK EM TRÊS CONTOS DE TERRA DESCANSADA, DE JHUMPA LAHIRI

O DESENRAIZAMENTO DE KAUSHIK EM TRÊS CONTOS DE TERRA DESCANSADA, DE JHUMPA LAHIRI

  • José Vilian Mangueira Universidade Estadual da Paraíba
Palavras-chave: Espaço, Diáspora Indiana, Jhumpa Lahiri

Resumo

Levando em conta o destaque que a crítica especializada dá à obra de Jhumpa Lahiri, como a representação da diáspora do indiano em solo ocidental, procuramos interpretar as três narrativas da segunda parte de Terra descansada, “Parte II – Hema e Kaushik”, dando ênfase ao modo como Kaushik Choudhuri, o protagonista masculino, lida com os espaços geográficos nos quais está inserido. Suas sucessivas mudanças de locais de moradia, aliadas à perda da mãe, que é símbolo do espaço de nascimento, fazem com que o protagonista fuja de tudo aquilo que possa lhe oferecer uma possibilidade de se enraizar (DELEUZE & GUATTARI, 1995). Isso se evidencia no afastamento do país onde nasceu; na fuga da casa onde a família morou nos Estados Unidos; na escolha profissional que ele faz; e na falta de desejo de construir algo oficializado com a mulher que ama. Desse modo, os espaços identificados como pátria (Estados Unidos), terra adotiva (Índia), espaços de trabalho (diferentes países) e espaço de sepultamento (Tailândia) oferecem um entendimento para a leitura que empreendemos aqui. Como não consegue fincar raízes e florescer (metáforas utilizadas para marcar o ajustamento em solo dos personagens das narrativas desse livro), Kaushik termina sua história sendo engolido pelo espaço das águas, elemento que representa morte e renascimento (CHEVALIER & GHEERBRANT, 2009) (BACHELARD, 1997).

Biografia do Autor

José Vilian Mangueira, Universidade Estadual da Paraíba

Doutor em Letras pela Universidade Federal da Paraíba. Professor de Literatura Anglo-Americana do curso de Letras do Campus III da Universidade Estadual da Paraíba - UEPB.

Referências

BACHELARD, Gaston. A água e os sonhos. São Paulo: Martins Fontes, 1997.

CHEVALIER, Jean; GHEERBRANT, Alain. Dicionário de símbolos: mitos, sonhos, costumes, gestos, formas, figuras, cores, número. Rio de Janeiro: José Olympio, 2009.

DELEUZE, Gille & GUATTARI, Felix. A thousand plateaus. Mineapolis: University of Minnesota Press, 1987.

______. Mil platôs - capitalismo e esquizofrenia. vol. 1. Trad. Aurélio Guerra Neto e Célia Pinto Costa. Rio de Janeiro: Editora 34, 1995.

GÁMEZ-FERNÁNDEZ, Cristina M. Delusion and defeat in the short-story sequence ‘Hema and Kaushik’ from Jhumpa Lahiri’s Unaccustomed Earth. Routledge Taylor & Francis Group. South Asian Diaspora. Department of English and German. Córdoba, 2016. v. 08, n. 01, p. 49-62. Consultado em: 18 de março de 2019.

HALL, Stuart. A identidade cultural na Pós-modernidade. Trad. Tomaz Tadeu da Silva, Guaracira Lopes Louro. 11. ed. Rio de Janeiro: DP & A, 2006. Consultado em: 19 de abril de 2019.

LAHIRI, Jhumpa. Terra Descansada: contos. Trad. Fernanda Abreu. São Paulo: Companhia das Letras, 2009. Consultado em: 06 de agosto de 2018.

RAHMAN, Srijoni. From Roots to Rhizomes: Hybrid, Diasporic Identities in Hema and Kaushik. York Centre for Asian Research. New Voices in Asian Research. York University. Toronto, 2017. v. 01, n. 02, p. 01-13. Consultado em: 25 de março de 2019.
Publicado
08-12-2020
Como Citar
MangueiraJ. V. (2020). “LONGE DOS DETRITOS PRIVADOS DA VIDA”: O DESENRAIZAMENTO DE KAUSHIK EM TRÊS CONTOS DE TERRA DESCANSADA, DE JHUMPA LAHIRI: O DESENRAIZAMENTO DE KAUSHIK EM TRÊS CONTOS DE TERRA DESCANSADA, DE JHUMPA LAHIRI. Revista (Entre Parênteses), 2(9). https://doi.org/10.32988/rep.v2n9.1121
Seção
DOSSIÊ ESCRITORES (E) MIGRANTES NA NARRATIVA DE LÍNGUA INGLESA CONTEMPORÂNEA