Uma análise espacial da dinâmica da desigualdade de renda em Minas Gerais em 1991, 2000 e 2010.

Walef Machado Mendonça, Patrícia de Siqueira Ramos, Lincoln Frias

Resumo


Este artigo busca analisa a dinâmica espacial da desigualdade de renda nas cidades de Minas Gerais através do índice de Palma. O estado de Minas Gerais foi escolhido devido a sua grande diversidade socioeconômica. O objetivo é verificar se cidades com maior desigualdade tendem a estar próximas de outras cidades também desiguais. Para isso, foi aplicada a análise exploratória de dados espaciais para descrever os padrões de associação espacial através do coeficiente de autocorrelação I de Moran. Foram utilizados dados dos censos demográficos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), consultados através do Atlas de Desenvolvimento Humano no Brasil 2013. Os valores encontrados nos testes do I de Moran indicam a existência de dependência espacial, ou seja, cidades desiguais tendem a estar próximas de cidades desiguais. Também, foi possível observar, através dos valores do índice de Palma, que houve uma queda nos níveis de desigualdade entre os anos de 1991 e 2010 (embora tenha havido um aumento em 2000). Porém, de 2000 a 2010, houve uma concentração espacial da desigualdade de renda (voltando a níveis semelhantes aos de 1991).


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .