ANÁLISE DA ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE ESPÉCIES UTILIZADAS POPULARMENTE EM INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO

  • Mariana Piana URI
  • Camila Kupski
  • Michele Beerbaum Heidmann Possebom Universidade Integrada do Alto Uruguai e Das Missões, campus Santo Ângelo.

Resumo

As plantas medicinais estão cada vez mais sendo utilizadas pela população, com diversas finalidades, como prevenção e tratamentos de algumas doenças, e também como uma alternativa para evitar a resistência bacteriana. Existem relatos do uso popular de algumas espécies de plantas medicinais como Matricaria recutita, Calendula officinalis L, Bauhinia forficata Link e Equisetum arvense L, para tratamento e profilaxia de infecções do trato urinário. Este trabalho teve como objetivo verificar, a ação antibacteriana de diferentes espécies medicinais (M. recutita, C. officinalis LB. forficata Link e E. arvense L), frente as bactérias Escherichia coli, Klebsiella pneumoniae, Enterococcus spp. e Enterobacter spp. que são causadoras da infecção do trato urinário, pelo método de disco difusão.As bactérias testadas não demonstraram sensibilidade frente aos extratos testados nas concentrações de 100, 500 e 1000 mg/mL, mesmo possuindo relatos do uso popular para esse fim. Este resultado pode estar associado a utilização das espécies B. forficata e E. arvense não porque atuam como antibacterianas, mas porque estimulam a diurese.No caso das espécies M. recutitae e C. officinalis é possível que seja utilizada na ITU pelo efeito anti-inflamatório e não ao efeito antibacteriano como o esperado, indicando o uso dessas espécies como profilático na ITU.Além disso é possível que fatores climáticos durante o desenvolvimento da planta, tenham reduzido a quantidade de metabólitos secundários como por exemplo, os flavonoides, interferindo na possível atividade antibacteriana. Então, sugere-se novos estudos com uso de diferentes metodologias extrativas.

Publicado
30-06-2021
Como Citar
PianaM., KupskiC., & Beerbaum Heidmann PossebomM. (2021). ANÁLISE DA ATIVIDADE ANTIBACTERIANA DE ESPÉCIES UTILIZADAS POPULARMENTE EM INFECÇÕES DO TRATO URINÁRIO. Revista Farmácia Generalista / Generalist Pharmacy Journal, 3(1), 1-13. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/revistafarmaciageneralista/article/view/1255
Seção
Artigos Originais