REFORMA DO ENSINO MÉDIO E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA: UM ESTUDO SOBRE SECUNDARISTAS CARIOCAS
pdf

Palavras-chave

Reforma do Ensino Médio
Juventude secundarista
Ocupações de escolas

Como Citar

https://orcid.org/ 0000-0002-5425-5119. (2022). REFORMA DO ENSINO MÉDIO E PARTICIPAÇÃO POLÍTICA: UM ESTUDO SOBRE SECUNDARISTAS CARIOCAS. Indagações Em Educação, 118-135. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/indagacoesemeducacao/article/view/1894

Resumo

Esta pesquisa relaciona bibliografia sobre Juventude, Reforma do Ensino Médio, Ocupações de Escolas e Participação Política com 101 respostas de jovens do Rio de Janeiro, sobre os temas citados. Essas respostas foram obtidas a partir de um questionário aplicado de forma online, entre jovens do Rio de Janeiro que concluíram o Ensino Médio em escolas públicas, no ano de 2020. O artigo versa sobre a visão desses jovens a respeito da Reforma do Ensino Médio e sobre suas experiências de participação política enquanto secundaristas. O principal argumento deste artigo, baseado nos resultados alcançados, é de que uma maior participação dos alunos nas decisões escolares pode contribuir para a melhora dos índices de qualidade atualmente utilizados no Ensino Médio brasileiro. Essa narrativa se opõe ao ponto que sustenta à Reforma, de que essa melhora viria a partir da mudança e enxugamento curricular. Além disso, os resultados obtidos também nos apontam para uma insatisfação dos jovens participantes da pesquisa com a Reforma, principalmente em relação à redução de currículo, corroborando a narrativa de pesquisadores sobre o tema.

pdf

Referências

AZEVEDO, Francisco. A Ocupação do Colégio Pedro II - Campus Engenho Novo II: um debate sobre movimentos sociais e o Ensino Médio. 1. ed. São Paulo: Editora Dialética, 2022.
BARROSO, J. O Estado e a Educação: a regulação transnacional, a regulação nacional e a regulação local. In: BARROSO, J. (Org.) A regulação das políticas públicas de educação: espaços, dinâmicas e atores. Lisboa: Educa, 2006, p. 41-70.
BIESTA, Gert. Boa educação na era de mensuração. Cadernos de Pesquisa v.42 n.147 p.808-825 set./dez. 2012
Boletim Juventude em Dados nº 2, Maio 2021. Jovens na Educação Básica. Elaboração: Coordenadoria de Informações e Monitoramento da Juventude (JUV-RIO), 2021.
Boletim Juventude em Dados, nº 7 - Outubro, 2021. Juventude e Participação Política. Elaboração: Coordenadoria de Informações e Monitoramento da Juventude (JUV-RIO), 2021.
COSTA, Marilda. SILVA, Leonardo. Educação e democracia: Base Nacional Comum Curricular e novo ensino médio sob a ótica de entidades acadêmicas da área educacional. Revista Brasileira de Educação v. 24 e240047. 2019
FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 17ª Edição. São Paulo: Paz e Terra. 1996. 165 p.
LACRUZ, Adonai. AMÉRICO, Bruno. CARNIEL, Fagner. Indicadores de qualidade na educação: análise discriminante dos desempenhos na Prova Brasil. Revista Brasileira de Educação v. 24 e240002. 2019.
LIBÂNEO, José. Políticas educacionais no Brasil: Desfiguramento da escola e do conhecimento escolar. Cadernos de Pesquisa v.46 n.159 p.38-62 jan./mar. 2016.
NAZÁRIO, Murilo. SANTOS, Wagner. NETO, Amarílio. Netnografia da reforma curricular do ensino médio brasileiro. Revista Brasileira de Educação v. 26 e260002. 2021.
NUSSBAUM, M. Sem fins lucrativos. Por que a democracia precisa das humanidades. São Paulo: Martins Fontes, 2015 (1ª edição original: 2010).
PERONI, Vera. MÚLTIPLAS FORMAS DE MATERIALIZAÇÃO DO PRIVADO NA EDUCAÇÃO BÁSICA PÚBLICA NO BRASIL: sujeitos e conteúdo da proposta. Currículo sem Fronteiras, v. 18, n. 1, p. 212-238, jan./abr. 2018.
PINHEIRO, Diógenes. Escolas ocupadas no Rio de Janeiro em 2016: motivações e cotidiano. Iluminuras, Porto Alegre, v. 18, n. 44, p. 265-283, jan/jul, 2017.


PRADO, Ana Cristina; FERRO, Juliana. Do Ensino Fundamental ao Ensino Médio: transição ou sobrevivência? In Reforma do ensino médio: contexto, controvérsias e cenários / organização Diógenes Pinheiro ... [et al.]. Rio de Janeiro: Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO: Pró-Reitoria de Extensão e Cultura - PROExc, 2020. E-book
RATTO, Cleber. GRESPAN, Carla. HADLER, Oriana. “Ocupa 1º de Maio”: Ciberdemocracia, cuidado de si e sociabilidade na escola. ETD- Educação Temática Digital Campinas, SP v.19 n.1 p. 99-118 jan./mar. 2017.
SILVA, Thaís. Dificuldades para a implantação de práticas interdisciplinares em escolas estaduais, apontadas por professores da área de ciência da natureza. Investigações em Ensino de Ciências – V12(1), pp.139-154, 2016.
SOUTO, Anna. Juventude e Participação. In: Agenda Juventude Brasil: leituras sobre uma década de mudanças. Org: Diógenes Pinheiro (et al.). Rio de Janeiro. UNIRIO. 2016. 185p.
STRECK, Danilo. QUAL O CONHECIMENTO QUE IMPORTA? Desafios para o currículo. Currículo sem Fronteiras, v. 12, n. 3, p. 8-24, Set/Dez. 2012.
ZIBAS, Dagmar. A revolta dos pinguins e o novo pacto educacional chileno. Revista Brasileira de Educação, v. 13, n. 38, p. 199-220, maio/ago. 2008.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.