TRABALHO, RELIGIÃO E JUSTIÇA: UM ESTUDO DO POEMA “OS TRABALHOS E OS DIAS” DE HESÍODO
Capa da Revista Indagações em Educação
PDF

Palavras-chave

Hesíodo. Os trabalhos e os dias. Trabalho. Justiça.

Como Citar

Jarbas Mauricio Gomes. (2021). TRABALHO, RELIGIÃO E JUSTIÇA: UM ESTUDO DO POEMA “OS TRABALHOS E OS DIAS” DE HESÍODO. Indagações Em Educação, 1(1), 30-45. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/indagacoesemeducacao/article/view/1632

Resumo

O texto apresenta os resultados de uma pesquisa exploratória sobre o poema Os trabalhos e os dias de Hesíodo que investigou a gênese do processo de transição do discurso mítico-religioso para a racionalidade filosófica. O poema é um ponto de inflexão que marca o abandono das tradicionais narrativas da história dos deuses e dos heróis em favor da narrativa do cotidiano, das relações sociais e políticas e da relação do homem comum com a natureza por meio da vida no campo. Diante de uma sociedade decadente, dada a riqueza fácil, e em uma época em que o trabalho era um castigo imposto aos homens pelos deuses, Hesíodo coloca em evidência a ação do homem e suas consequências. Por isso criticou a ideia de justiça dos deuses e imputou aos homens a responsabilidade de promover ou não a justiça. Do mesmo modo, ressignificou o conceito de trabalho e o apresentou como um modo de vida honrado e honesto, pautado na capacidade humana de observar, interagir, dominar e transformar a natureza. Assim entendido, o trabalho passou a figurar como meio de criação das condições necessárias à existência humana, um princípio formativo e um meio de emancipação do homem diante da vontade dos deuses.

PDF

Referências

ABBAGNANO, N. Dicionário de Filosofia. 2 ed. São Paulo: Mestre Jou, 1982.

ADRADOS, F. R. La composición de los poemas hesiódicos. Emerita – Revista de lingüística y filología clássica. Madrid. v. 69, n. 2, p. 197-223. Jul./Ago. 2001.

CAMBI, F. História da Pedagogia. São Paulo: Unesp, 1999.

CHAUÍ, M. Introdução à história da filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. 2 ed. rev. e ampl. São Paulo: Companhia das letras, 2002.

ELIADE, M. Mito e realidade. São Paulo: Perspectiva, 2002.

FOLSCHEID, D.; WUNERBURGUER, J.-J. Metodologia filosófica. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

GOERGEN, P. De Homero e Hesíodo ou das origens da filosofia e da educação. Pro-Posições, Campinas, v. 17, n. 3, p. 181-198. Set./Dez. 2006.

HESÍODO. Os trabalhos e os dias. Edição, tradução, introdução e notas de Alessandro Rolim de Moura. Curitiba: Segesta, 2012.

HESÍODO. Os trabalhos e os dias. Introdução, tradução e comentários de Mary de C. N. Lafer. 5 ed. São Paulo: Iluminuras, 2006.

HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. Estudo e tradução de JaaTorrano. 7 ed. rev. e acrescida do original grego. São Paulo: Iluminuras, 2007.

HUISMAN, D. Dicionário dos filósofos. São Paulo: Martins Fontes, 2004.

JAEGER, W. Paideia: A formação do homem grego. 4.ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003.

KRAUSZ, L. S. As Musas: poesia e divindade na Grécia Arcaica. São Paulo: EdUSP, 2007.

LAFER, M. de C. N. Introdução. In: HESÍODO. Os trabalhos e os dias. Introdução, tradução e comentários de Mary de C. N. Lafer. 5 ed. São Paulo: Iluminuras, 2006. p. 11-18.

LLOVERAS, M. A. C. Introducción. In: HESÍODO. Poemas Hesiódicos. Ed. de M. Antonia Corbera Lloveras. Madrid: AKAL, 1990. p. 9-35.

LUZURIAGA, L. História da Educação e da Pedagogia. 19 ed. São Paulo: Ed. Nacional, 2001.

MANACORDA, M. A. História da educação: da Antiguidade aos nossos dias. 12 ed. São Paulo: Cortez, 2006.

TORRANO, J. Mito e verdade em Hesíodo e Platão. Letras clássicas. São Paulo, n. 2, p. 11-26, Jul./Dez., 1998.

TORRANO, J. O mundo como função de musas. In: HESÍODO. Teogonia: a origem dos deuses. Estudo e tradução de JaaTorrano. 7 ed. rev. e acrescida do original grego. São Paulo: Iluminuras, 2007.

VERNANT, Jean P. As origens do pensamento grego. Rio de Janeiro: Difel, 2002.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.