PROEJA: EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA, POR QUE E PARA QUÊ?
Capa da Revista Indagações em Educação
PDF

Palavras-chave

Educação ao longo da vida. Educação de Jovens e Adultos. Intenções e ideologias políticas. Educação 2030. Políticas públicas.

Como Citar

Jacqueline Litcanov, & Luiz Carlos Leal Júnior. (2021). PROEJA: EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA, POR QUE E PARA QUÊ?. Indagações Em Educação, 1(1), 66-93. Recuperado de https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/indagacoesemeducacao/article/view/1622

Resumo

A modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA) e suas possibilidades, como o PROEJA, expressam formas de Educação ao longo da vida (ELV) e requerem produção de sentido, unidade, análises e diálogos que as fortaleçam. O texto busca fomentar discussões e promover pensamentos acerca de possíveis compreensões sobre aspectos que permeiam e engendram a dimensão do campo educacional enquanto política pública social, cujas práticas, teorias e políticas são tensionadas por disputas ideológicas. Intenta apresentar um movimento analítico discursivo, apreciando práticas discursivas por meio da Arqueogenealogia – Análise de Discurso, através de relações contraditórias que se estabelecem e perpassam cenário e diretrizes da ELV. Discursos de interlocutores e tempos distintos apontaram semelhanças a despeito de intenções e ideologias envolvendo as relações indissociáveis entre educação e política, mostrando que educação é sobre poder, embate de forças e tensões. Muitas estruturas influenciam o campo educacional e a temática é ampla. Contudo, as discussões fazem-se urgentes e indispensáveis às transformações da sociedade que almeja equilíbrio e justiça social.

PDF

Referências

AGÊNCIA BRASIL. Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre. 2020. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/economia/noticia/2020-11/taxa-de-desemprego-passa-de-13-para-14-no-terceiro-trimestre. Acesso em: 04/02/2021.
AGÊNCIA IBGE NOTÍCIAS. PNAD Educação 2019: Mais da metade das pessoas de 25 anos ou mais não completaram o ensino médio. 2020. Disponível em: https://agenciadenoticias.ibge.gov.br/agencia-sala-de-imprensa/2013-agencia-de-noticias/releases/28285-pnad-educacao-2019-mais-da-metade-das-pessoas-de-25-anos-ou-mais-nao-completaram-o-ensino-medio. Acesso em: 09/10/2020.
AMORIM, Rodrigo de Freitas. Educação de jovens e adultos integrada à educação profissional: história, discursos e diálogos. Curitiba: Appris, 2018.
ANTUNES, R. Os sentidos do trabalho: ensaio sobre a qualificação e a negação do trabalho. São Paulo: Boitempo, 1999.
BRASIL. Congresso Nacional. Constituição Federal da República Federativa do Brasil. 5 de outubro 1988.
BRASIL. Programa Nacional de Integração da Educação Profissional com a Educação Básica na modalidade da Educação de Jovens e Adultos. Documento Base, Brasília: Agosto de 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/setec/arquivos/pdf2/proeja_medio.pdf. Acesso em: 20/06/2020.
CRESWELL, J. W. Projeto de pesquisa: Métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Artmed, Vol. 1, 2007.
CROTTY, M. The foundations of social research: Meaning and perspective in the research process. SYDNEY: ALLEN & UNWIN, 1998.
DANTAS, Aline Cristina de Lima. O PROEJA como estratégia política para efetivação do direito à Educação de Jovens e Adultos. In: III COLÓQUIO NACIONAL, 2015, Natal. Anais do III Colóquio Nacional - Eixo Temático I – Políticas em educação profissional. Natal: IFRN, 2015. p. 1-10.
DARDOT, P.; LAVAL, Christian. A nova razão do mundo: ensaio sobre a sociedade neoliberal. São Paulo: Boitempo, 2016.
DELLA FONTE, S. S. Formação omnilateral e a dimensão estética em Marx. Curitiba: Appris, 2020.
DI PIERRO, M. C. Os desafios para garantir a Educação de Jovens e Adultos. 2014. Disponível em: https://gestaoescolar.org.br/conteudo/114/os-desafios-para-garantir-a-educacao-de-jovens-e-adultos. Acesso em: 15/07/2020.
FÁVERO, O; FREITAS, M. A educação de adultos e jovens e adultos: um olhar sobre o passado e o presente. Revista Interação, Goiânia, v. 36, p. 365-392, 2011.
FERNANDES, S. Se quiser mudar o mundo. São Paulo: Planeta, 2020.
FOUCAULT, M. A Ordem do Discurso. 24. ed. São Paulo: Loyola Ed., 2014. 78 p.
FOUCAULT, M. Aesthetics, method, and epistemology. Nova Iorque: New Press, 1994.
FOUCAULT, M. Arqueologia do Saber. 8. ed. Rio de Janeiro: Forense Universitária Ed., 2015.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. Tradução de Raquel Ramalhete. 35. ed. Petrópolis: Vozes, 2008/1987.
FÓRUM MUNDIAL DE EDUCAÇÃO. Educação 2030: Declaração de Incheon e Marco de Ação, Rumo a uma Educação de Qualidade Inclusiva e Equitativa e Educação ao Longo da Vida para Todos. Incheon: Unesco, 2016.
FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 63 ed. Rio de Janeiro / São Paulo: Paz e Terra, 2020.
FREITAS, A. V.; LEAL JUNIOR, L. C.; POWELL, A. B. Etnografia dos Sentidos de Currículo de Matemática na Perspectiva dos Estudantes da EJA: Uma pesquisa interinstitucional. In: Anais XIII ENEM. Cuiabá, 2019. P.1-13.
FRIGOTTO, G.; CIAVATTA, M. & RAMOS, M. (orgs.) Ensino Médio Integrado: concepção e contradições. São Paulo: Cortez, 2005.
GADOTTI, Moacir. Educação Popular e Educação ao longo da vida. In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Coletânea de textos CONFINTEA Brasil+6: tema central e oficinas temáticas. Brasília: MEC, 2016.
INSTITUTO BRASILEIRO DE PLANEJAMENTO E TRIBUTAÇÃO. Brasil escala ranking mundial das maiores cargas tributárias. Disponível em: https://ibpt.com.br/brasil-escala-ranking-mundial-das-maiores-cargas-tributarias/. Acesso em: 06 fev. 2021.
IRELAND, Timothy Denis. Educação ao longo da vida: aprendendo a viver melhor. Sysiphus: Journal of Education, João Pessoa, v. 7, n. 2, p. 48-64, 2019.
KUBITSCHEK DE OLIVEIRA, J. Discurso na abertura do II Congresso Nacional de Educação de Adultos. Associação Brasileira de Educação. Revista Educação, n. 61, p. 3. 1958.
LEAL JUNIOR, L. C.; ONUCHIC, L. R. A way to do research in Mathematics Education as an Archeogenealogy: Report, challenge and opportunities wearing the lens of a Discourse Analysis. International Journal of Latest Research in Humanities and Social Science (IJLRHSS). Volume 03 - Issue 05, 2020. www.ijlrhss.com. PP. 01-14.
LIBÂNEO, J. C. Democratização da escola pública: A pedagogia crítico-social dos conteúdos. 28 ed. São Paulo: Loyola, 2014.
LIMA, L. C. Educação ao longo da vida: entre a mão direita e a mão esquerda de Miró. São Paulo: Cortez, 2007.
MACHADO, M. M.; RODRIGUES, M. E. C. Educação de jovens e adultos. Relação educação e trabalho. Revista Retratos da Escola, Brasília, v. 7, n. 13, p. 373-385, jul./dez. 2013.
MOLL, J. et. al. Educação profissional e tecnológica no Brasil Contemporâneo: desafios, tensões e possibilidades. Porto Alegre: Artmed, 2010.
OLIVEIRA, Francisco de. Crítica à razão dualista / O ornitorrinco. São Paulo: Boitempo, 2003.
RUMMERT, S. M; ALVES, N. Jovens e adultos trabalhadores pouco escolarizados no Brasil e em Portugal: alvos da mesma lógica de conformidade. Revista Brasileira de Educação, [s. l], v. 15, n. 45, p. 511-528, 2010.
SAVIANI, D. O choque teórico da politecnia. Trabalho, educação e saúde, 1(1), 131-152, 2003.
SAVIANI, D. Política Educacional brasileira. Limites e perspectivas. Revista de Educação PUC, Campinas, 2008.
SAVIANI, D. Escola e democracia. Campinas: Autores associados, 2018.
Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-ShareAlike 4.0 International License.