ANÁLISE DA DINÂMICA DAS QUEIMADAS NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CANASTRA ENTRE 2016-2021 ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO EM IMAGENS ORBITAIS

Autores

  • Claudia Vanessa dos Santos Corrêa Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) - Unidade Acadêmica de Passos
  • Lucas Fiorin de Souza Universidade do Estado de Minas Gerais - Passos

DOI:

https://doi.org/10.29327/243949.3.6-11

Palavras-chave:

Índice espectral, Parque Nacional da Serra da Canastra, Eventos de queimadas, BDQueimadas, Bioma Cerrado.

Resumo

O Parque Nacional da Serra da Canastra (PNSC) situa-se no sudoeste de Minas Gerais e é coberto em sua totalidade pelo Bioma Cerrado. Sua preservação é fundamental para manter a biodiversidade de um bioma que passa por intensos processos de desmatamento. Este trabalho tem como objetivo identificar eventos de queimadas utilizando técnicas de Sensoriamento Remoto baseadas em Índices Espectrais de Vegetação, complementados por preceitos de Fotointerpretação, aplicados a imagens orbitais da plataforma Landsat 8 com foco nos anos de 2016 a 2022. O ano de 2020 possui os maiores registros de fontes de calor. Os índices espectrais utilizados mostraram-se eficazes para a identificação de incêndios no PNSC, sendo que o NBR possui uma menor variação em relação ao NDVI. O timelapse elaborado corrobora a eficácia dos índices ao mostrar os efeitos do fogo na área analisada.

Biografia do Autor

Claudia Vanessa dos Santos Corrêa, Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) - Unidade Acadêmica de Passos

Doutora em Geociências e Meio Ambiente, Pós-doutorado em Geociências, Professora de Educação Superior da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) - Unidade Acadêmica de Passos - Área de Geoprocessamento, Departamento de Ciências Agrárias e da Terra (DCAT)

Lucas Fiorin de Souza, Universidade do Estado de Minas Gerais - Passos

Discente do curso de Ciências Biológicas Bacharelado da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) - Unidade Acadêmica de Passos

Referências

BERLINCK, C.N.; AUGUSTO-LIMA, L.H.; CARVALHO-JUNIOR, E.A.R. The Pantanal is on fire and only a sustainable agenda can save the largest wetland in the world. Biota Neotropica, v. 21, n. 3, e20201144, 2021. DOI: https://doi.org/10.1590/1519-6984.244200

BOARDMAN, J. The value of Google Earth™ for erosion mapping. Catena, v. 143, p. 123– 127, 2016. DOI: https://doi.org/10.1016/j.catena.2016.03.031

BOWMAN, D.M.J.S.; BALCH, J.K.; ARTAXO, P.; BOND, W.J.; CARLSON, J.M.; COCHRANE, M.A.; D’ANTONIO, C.M.; DEFRIES, R.S.; DOYLE, J.C.; HARRISON, S.P. Fire in the earth system. Science, v. 324, p. 481–484, 2009. DOI: https://doi.org/10.1126/science.1163886

BRASIL. Lei n°. 9.985, de 18 de julho de 2000. Regulamenta o art. 225, § 1o, incisos I, II, III e VII da Constituição Federal, institui o Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza e dá outras providências. 2000. Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9985.htm>. Acesso em: 23 ago. 2023.

BRUNO, S.V.; OLIVEIRA-SOUZA, R.; VIEIRA-RIBEIRO, P.; SIMÕES-CARVALHO, C.M.; VIEIRA-BARBOZA, D. Fogo na Canastra: Reflexões sobre o fogo no Cerrado. MMA: Brasília, 2018.

COSTA, I.G.; RODRIGUES, W.F. Danos ambientais provocados por incêndios no Cerrado: uma análise entre os anos de 2004 e 2019 no Parque Nacional da Serra da Canastra – MG. Ensaios de Geografia, v. 7, n. 14, p. 163-188. 2021. DOI: https://doi.org/10.22409/eg.v7i14.48500

COUTO-JÚNIOR, A.F.; SOUZA, V.V.; CARVALHO-JÚNIOR, O.A.; MARTINS, E.S.; SANTANA, O.A.; FREITAS, L.F.; GOMES, R.A.T. Integração de parâmetros morfométricos e imagem ASTER para a delimitação das fitofisionomias da Serra da Canastra, Parque Nacional da Serra da Canastra, MG. Revista Brasileira de Geomorfologia, v. 11, n. 1, p.57- 68. 2010. DOI: https://doi.org/10.20502/rbg.v11i1.142

FERREIRA, M.C.; MESSIAS, C.G. Metodologia para mapeamento da probabilidade de ocorrência de fogo no bioma do cerrado brasileiro baseada em variáveis relacionadas ao perigo de propagação do fogo. Territorium: Revista Internacional de Riscos, n. 29 (I), p. 89-98, 2022. DOI: https://doi.org/10.14195/1647-7723_29-1_8

FRANÇA, H. Os incêndios de 2010 nos parques nacionais do Cerrado. Relatório técnico. Universidade Federal do ABC, 2010. 16 p.

G1 - O PORTAL DE NOTÍCIAS DA GLOBO. Chega ao fim incêndio na Serra da Canastra após 6 dias de combate e quase 24 mil hectares atingidos. Disponível em: <https://g1.globo.com/mg/centro-oeste/noticia/2020/08/20/chega-ao-fim-o-incendio-na-serra- da-canastra-apos-6-dias-de-combate-e-quase-24-mil-hectares-atingidos.ghtml>. Acesso em: 02 out. 2023.

HARDESTY, J.; MYERS, R.; FULKS, W. Fire, ecosystems, and people: a preliminary assessment of fire as a global conservation issue. The George Wright Forum, v. 22, p. 78- 87. 2005.

IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Plano de Manejo do Parque Nacional Serra da Canastra. MMA: Brasília, 2005. 828 p.

IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Plano Operativo de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais do Parque Nacional Serra da Canastra. Prevfogo. MMA: São Roque de Minas – MG. 2007.

IBAMA - INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS. Relatório de ocorrências de incêndios em Unidades de Conservação Federais 2005-2008. MMA: Brasília, 2009.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Sistema de referência geocêntrico para a América do Sul. Relatório Final Grupos de trabalho I e II. Rio de Janeiro: CDD IBGE, 1997. 122 p. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/>.

ICMBIO - INSTITUTO CHICO MENDES DE CONSERVAÇÃO DA BIODIVERSIDADE. Informações Sobre Visitação - Parna da Serra da Canastra. 2022. Disponível em: <https://www.gov.br/icmbio/pt-br/assuntos/biodiversidade/unidade-de-conservacao/unidades-de-biomas/cerrado/lista-de-ucs/parna-da-serra-da-canastra/informacoes-sobre-visitacao-parna-da-serra-da-canastra>. Acesso em: 09 out. 2023.

KLINK, C.A.; SATO, M.N.; CORDEIRO, G.G.; RAMOS, M.I.M. The Role of Vegetation on the Dynamics of Water and Fire in the Cerrado Ecosystems: Implications for Management and Conservation. Plants, v. 9, n. 12, p. 1803. 2020. DOI: https://doi.org/10.3390/plants9121803

MAGALHÃES, S.R.; LIMA, G.S.; RIBEIRO, G.A. Avaliação do combate aos incêndios florestais no Parque Nacional da Serra da Canastra. Floresta e Ambiente, v. 18, n. 1, p. 80- 86. 2011. DOI: http://dx.doi.org/10.4322/floram.2011.025

MEDEIROS, M.B. Efeitos do fogo nos padrões de rebrotamento em plantas lenhosas, em campo sujo. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal), Universidade de Brasília, Brasília, 2002. 122 p.

MEDEIROS, M.B.; FIEDLER, N.C. Incêndios florestais no Parque Nacional da Serra da Canastra: desafios para a conservação da biodiversidade. Ciência Florestal, v. 14, n. 2, p. 157-168. 2004. DOI: https://doi.org/10.5902/198050981815

PEREIRA, A.A.; CARVALHO, L.M.T.; LOBONATI, R.; JUNIOR, F.W.A.; MORELI, F. Avaliação de nove índices espectrais quanto a separabilidade entre queimadas e diferentes alvos. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 17., João Pessoa. Anais... São José dos Campos: INPE, p. 3105-2112, 2015.

PEREIRA, A.A.; TEIXEIRA, F.R.; LIBONATI, R.; MELCHIORI, E.A.; CARVALHO, L.M.T. Avaliação de índices espectrais para identificação de áreas queimadas no cerrado utilizando dados LandSat TM. Revista Brasileira de Cartografia, v. 8, n. 68, p. 1665-1680, 2016.

PEREIRA, G.H.A; LOHMANN, M; DEPPE, F. Monitoramento de incêndios utilizando imagens Landsat 8: Um estudo de caso para o estado do Tocantins. In: Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto, 18., Santos. Anais... São José dos Campos: INPE, p. 2700-2707, 2017.

PEZZOPANE, J.E.M.; NETO, S.N.O.; VILELA, M.F. Risco de incêndios em função da característica do clima, relevo e cobertura do solo. Floresta e Ambiente, v. 8, p. 161-166, 2012.

PIVELLO, V.R. The use of fire in the Cerrado and Amazonian Rainforests of Brazil: past and present. Fire Ecology, v. 7, n. 1, p. 24-39. 2011. DOI: https://doi.org/10.4996/fireecology.0701024

SILVA, F.C.S.; PINHEIRO, F.R.; SOUZA, I.V.; DUARTE, V.B.R.; SILVA, M.V.C.; PORTELLA, A.C.F.; GIONGO, M. Técnicas de sensoriamento remoto para delimitação de áreas queimadas no Tocantins através do processamento digital de imagens Landsat 8-TM. Journal of Biotechnology and Biodiversity, v. 8, n. 1, p. 6-11. 2020. DOI: https://doi.org/10.20873/jbb.uft.cemaf.v8n1.silva

SIMON, M.F.; GRETHER, R.; QUEIROZ, L.P.; SKEMA, C.; PENNINGTON, R.T.; HUGHES, C.E. Recent assembly of the Cerrado, a neotropical plant diversity hotspot, by in situ evolution of adaptations to fire. Proceedings of the National Academy of Sciences of the United States of America, v. 106, p. 20359-20364. 2009.

SETZER, A.; MORELLI, F.; SOUZA, J.C. O Banco de Dados de Queimadas do INPE. Biodiversidade Brasileira-BioBrasil, n. 1, p. 239-239, 2019.

SOARES, R.V.; BATISTA, A.C. Incêndios florestais: controle, efeitos e uso do fogo. UFPR: Curitiba, 2007.

SOARES, R.V. Estatísticas dos incêndios florestais no Brasil. In: SOARES, R.V.; NUNES, J.R.S.; BATISTA, A.C. (Eds). Incêndios florestais no Brasil – o estado da arte. UFPR: Curitiba, 2009. p. 1-20.

SOUZA, I.M.P. Identificação de áreas queimadas por meio de índices espectrais em regiões do cerrado tocantinense. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais Ambientais) - Universidade Federal do Tocantins, Gurupi, 2017.

Downloads

Publicado

22-11-2023

Como Citar

DOS SANTOS CORRÊA, Claudia Vanessa; FIORIN DE SOUZA, Lucas. ANÁLISE DA DINÂMICA DAS QUEIMADAS NO PARQUE NACIONAL DA SERRA DA CANASTRA ENTRE 2016-2021 ATRAVÉS DE TÉCNICAS DE SENSORIAMENTO REMOTO EM IMAGENS ORBITAIS. Boletim Alfenense de Geografia, [S. l.], v. 3, n. 6, p. 185–200, 2023. DOI: 10.29327/243949.3.6-11. Disponível em: https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/2293. Acesso em: 1 mar. 2024.