FÉ E VIRTUALIDADE NO SÉCULO XXI:

NOVAS TERRITORIALIDADES E PRÁTICAS DE DEVOÇÃO AO SAGRADO NA ERA DIGITAL

Palavras-chave: Geografia da Religião, Territorialidade Religiosa, Igreja Católica, Protestantismo, Lugaridade

Resumo

O presente artigo tem por objetivo apresentar as novas práticas de difusão da fé através dos meios de comunicação e no ciberespaço, em especial no período pandêmico vivenciado pelo mundo, no final de 2019, e sua permanência em 2021, com a COVID-19. A pandemia intensificou a necessidade do uso das tecnologias na comunicação em suas diferentes esferas – sociais, políticas e econômicas. Desta maneira, abordaremos neste trabalho o processo de intensificação do uso destas tecnologias de comunicação para a difusão da fé, à luz do conceito de hipermodernidade, que apresenta uma característica marcante no século XXI: o aumento da individualidade, a busca pelo self, a diversidade dos processos capitalistas, que favoreceram a criação de novas inter-relações entre o homem e a tecnologia, por meio das diferentes interações no ciberespaço. À vista disto, as novas interações espaciais digitais favorecem a criação de novos territórios e territorialidades religiosas no ciberespaço. A Igreja Católica e grupos político-religiosos de outras denominações / ritos, como as de origem protestante, rompem a barreira do templo físico para o virtual.

Biografia do Autor

Jefferson Rodrigues de Oliveira, SEEDUC-RJ / NEPEC em Rede (CNPq/UERJ)

É Graduado, Mestre, Doutor e Pós-Doutor em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ). Atualmente é Professor da Secretaria de Estado de Educação do Rio de Janeiro - Seeduc RJ; Professor Universitário pela Ânima Educação - IBMR/UAM e; Vice-líder do NEPEC em Rede (CNPq) da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

Paulo Afonso Dias de Lima, Pesquisador do NEPEC em Rede (CNPq)

Mestre em Planejamento do Desenvolvimento pelo Núcleo de Altos Estudos Amazônicos (NAEA/UFPA). Possui graduação em Geografia pela Universidade do Estado do Pará (UEPA). Tendo experiência na área de Geografia Humana, com ênfase em Geografia Cultural, Geografia da Religião e áreas afins como Geografia Urbana

Referências

CORRÊA, J. S. Festas Silenciosas: formas de cultuar perante à pandemia. In: Anais do 4° Workshop de Geografia Cultural: Territorialidades do Sagrado: abordagens da geografia da religião. Unifal-MG, 2020.

FLORES, F. C. Espacialidad y religiosidad en tiempos de covid-19: apuntes preliminares desde la geografía de las religiones. Espaço e cultura, UERJ, RJ, jun./jul de 2020, n. 47, p. 37–54, 2020.

FRENTE DE EVANGÉLICOS PELO ESTADO DE DIREITO. (2016) “Manifesto Missão na Íntegra”. Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito, Documento Google Docs. Disponível em: https://docs.google.com/forms/d/1_cX_NWSpA4dd_icb0Bi3_iBl2JhAWFshOOOeckJr_IA/viewform?edit_requested=true. Acesso em: 28/09/2020.

GRECO, C. A experiência religiosa – essência, valor, verdade. São Paulo: Loyola, 2009.

HERVIEU-LÉGER, D; WILLAME, J-P. Sociologia e religião: abordagens clássicas. Aparecida – SP: Ideias e Letras, 2009.

LEMOS, A. Ciberespaço e tecnologias móveis: processos de territorialização e desterritorialização na cibercultura. Imagem, visibilidade e cultura midiática. Livro da XV COMPÓS. Porto Alegre: Sulina, 2007.

LIMA, P. A. D. de. Religião e mídias sociais: Des(re)territorializações no ciberespaço. Espaço e Cultura, UERJ, RJ, Jul./Dez. N. 42, P.44 – 61, 2017.

LIMA, P. A. D. de. “SE EM NOME DE CRISTO ELES DESTROEM, EM NOME DE CRISTO NÓS VAMOS RECONSTRUIR”: a experiência geográfica da ação da Pastoral da Juventude (PJ-PA) e da Frente de Evangélicos pelo Estado de Direito (FEED-PA) no espaço público em Belém-Pará. Dissertação (Mestrado em Planejamento do Desenvolvimento) – UFPA/NAEA, Belém, 2020.

LIPOVETSKY, G.; CHARLES, S. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Barcarolla, 2004.

MERLEAU-PONTY, M. Fenomenologia da percepção. 2 ed. - São Paulo: Martins Fontes, 1999.

MOREIRA, E. V.; HESPANHOL, R. A. O lugar como uma construção social. Formação (Online), v. 2, n. 14, 2007.

MOSCOVICI, S. A invenção da sociedade: sociologia e psicologia. Petrópolis – RJ: Vozes, 2011.

OLIVEIRA, J. R. de. Canção Nova e as Peregrinações Pós-Modernas: Hierópolis Carismática de Cachoeira Paulista - SP. São Paulo: Paco Editorial, 2015.

OLIVEIRA, J. R. de. O on e o off da fé na hipermodernidade: a religião e novas interfaces do sagrado na era 2.0. O exemplo no Vale do Paraíba (SP). Tese (Doutorado em Geografia) - UERJ, Rio de Janeiro, 2017.

OLIVEIRA, J. R. de. Geografia, religião e mídia: novas interfaces do sagrado na era hipermoderna. Rever – Revista de Estudos da Religião (PUC-SP), v. 19, n. 3, p.55-77, 2019. Disponível em: revistas.pucsp.br/rever/article/view/46927/31373.

OLIVEIRA, J. R. de; ROSENDAHl, Z. Religião, Política e Espaço: a difusão da fé através do Mass Media e as Online Communities. In: MOREIRA, Alberto da [et al.]. Religião, espetáculo e intimidade: múltiplos olhares. Goiânia: Ed. da PUC Goiás, 2014.

ROSENDAHL, Z. Espaço, Cultura e Religião: Dimensões de Análise. In: ROSENDAHL, Z.; CORRÊA, R. L (orgs.), Introdução à Geografia Cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003

ROSENDAHL, Z. Primeiro a Obrigação, Depois a Devoção: estratégias da Igreja Católica no Brasil, de 1500 a 2005. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2012.

SACK, R. D. Human territoriality: its theory and history. Cambridge: Cambridge University Press, 1986.

SERPA, Â. Por uma Geografia dos espaços vividos. São Paulo: Editora Contexto, 2019.

SIMMEL, G; DE MORAES FILHO, E (org). Georg Simmel: Sociologia. Ática, 1983.

SIMMEL, G. Zur Philosophie der Geschlechter. Philosophische Kultur. Gesammelte Essays. Potsdam, v. 31923, [1911] 2014.

TUAN, Y-F. Espaço e lugar: A perspectiva da experiência. SciELO-EDUEL, 2013.

Publicado
29-09-2021
Como Citar
Rodrigues de OliveiraJ.; Dias de LimaP. A. FÉ E VIRTUALIDADE NO SÉCULO XXI:: NOVAS TERRITORIALIDADES E PRÁTICAS DE DEVOÇÃO AO SAGRADO NA ERA DIGITAL. Boletim Alfenense de Geografia, v. 1, n. 1, p. 110-123, 29 set. 2021.