Cobrança de mensalidade nas universidades federais: para que e para quem?

  • Wolfgang Lenk Instituto de Economia e Relações Internacionais, Universidade Federal de Uberlândia
  • Fernando Batista Pereira Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Alfenas.

Resumo

Nós últimos anos, voltou-se a debater a cobrança de mensalidades nas universidades públicas brasileiras. O presente trabalho aprecia as premissas e resultados esperados da proposta, partindo da evolução recente das universidades federais. Baseou-se em pesquisas do IBGE e da Andifes, dados financeiros das IFES, bem como estatísticas da educação superior em outros países. Demonstrou-se que: as universidades privadas têm estudantes em média mais ricos que aqueles das universidades públicas; os estudantes das universidades federais têm perfil socioeconômico similar ao da sociedade brasileira; a cobrança de mensalidade contribuiria pouco, se tanto, para o financiamento da educação superior; a cobrança de taxas e mensalidades em outros países observou problemas importantes; a relação entre desigualdade social e educação superior é diferente do que a proposta em geral supõe.

Biografia do Autor

Wolfgang Lenk, Instituto de Economia e Relações Internacionais, Universidade Federal de Uberlândia
Doutor em História Econômica pela Universidade Estadual de Campinas e Professor do Instituto de Economia e Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia
Fernando Batista Pereira, Instituto de Ciências Sociais Aplicadas, Universidade Federal de Alfenas.
Doutor em Economia pelo CEDEPLAR – UFMG e Professor do Instituto de Ciências Sociais Aplicadas da Universidade Federal de Alfenas.
Publicado
23-06-2017