A dinâmica econômica do Sul de Minas: um estudo sobre a cafeicultura em São Sebastião do Paraíso e região em 1902 e 1920

  • Fábio Francisco de Almeida Castilho Instituto Federal de Alagoas - IFAL
  • Alexandre Macchione Saes FEA/USP

Resumo

O presente artigo pretende avaliar a expansão da produção de café no Sul de Minas, região cuja disseminação da atividade de exportação se firmou em território marcado pelo comércio de abastecimento. Neste sentido, a chegada do café gerou um processo de rearticulação dos municípios sulmineiros, não somente com seus mercados externos, como também com atividades produtivas internas. A acumulação resultante desta cultura do café ampliava o espaço para diversificação de novos negócios, garantindo um ambiente para a construção de um “complexo econômico”. Neste cenário destacamos a preponderância do município de São Sebastião do Paraíso, que próximo as divisas com o estado de São Paulo e cortado pelas estradas de ferro Muzambinho e Mogiana, rapidamente especializou-se na produção cafeeira e destacou-se no cenário regional.

 

Biografia do Autor

Fábio Francisco de Almeida Castilho, Instituto Federal de Alagoas - IFAL
Professor de História do Instituto Federal de Alagoas. Possui doutorado em História pela UNESP e Pós-doutorado em História Econômica pela FEA/USP. Tem experiência na área de História, com ênfase em História do Brasil Império e Primeira República, atuando principalmente nos seguintes temas: republicanismo, elites políticas, culturas políticas e transição da mão de obra.
Publicado
29-09-2014