Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses <p>A Revista (Entre Parênteses) é uma publicação semestral, com submissão em fluxo contínuo, aberta a colaboradores do Brasil e do exterior, que estejam interessados em questões relativas à área de Estudos Linguísticos e Literários. Destina-se à publicação de trabalhos científicos, resultantes de pesquisa de caráter significativo para as áreas citadas e produzidos por docentes, discentes (devidamente orientados por um professor mestre ou doutor) e pesquisadores da UNIFAL-MG e de outras instituições que não tenham sido publicados anteriormente.</p> pt-BR Os direitos autorais para trabalhos científicos são do autor, com direitos de primeira publicação para a revista. Como esta é uma revista eletrônica de acesso público, os artigos são de uso gratuito, em aplicações educacionais e não-comerciais, devendo ser observada a legislação sobre direitos autorais, em caso de utilização dos textos publicados nesta revista.<div><div style="color: #000000; background-color: transparent; text-align: left; text-decoration: none;">No ato da submissão, o(s) autor(es) declaram que inexiste a prática de plágio ou de autoplágio.</div><div style="color: #000000; background-color: transparent; text-align: left; text-decoration: none;">Autores que publicam nesta revista concordam com os seguintes termos:<br /><br /><ol type="a"><ol type="a"><li>Autores mantém os direitos autorais e concedem à revista o direito de primeira publicação, com o trabalho simultaneamente licenciado sob a <a href="http://creativecommons.org/licenses/by/3.0/" target="_new">Licença Creative Commons Attribution</a> que permite o compartilhamento do trabalho com reconhecimento da autoria e publicação inicial nesta revista.</li></ol></ol><br /><ol type="a"><ol type="a"><li>Autores têm autorização para assumir contratos adicionais separadamente, para distribuição não-exclusiva da versão do trabalho publicada nesta revista (ex.: publicar em repositório institucional ou como capítulo de livro), com reconhecimento de autoria e publicação inicial nesta revista.</li></ol></ol><br /><ol type="a"><li>Autores têm permissão e são estimulados a publicar e distribuir seu trabalho online (ex.: em repositórios institucionais ou na sua página pessoal) a qualquer ponto antes ou durante o processo editorial, já que isso pode gerar alterações produtivas, bem como aumentar o impacto e a citação do trabalho publicado</li></ol></div></div> katia.oliveira@unifal-mg.edu.br (Katia Aparecida da Silva Oliveira) rosangelarborges@gmail.com (Rosângela Rodrigues Borges) ter, 13 out 2020 00:00:00 +0000 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 APRESENTAÇÃO https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1260 <p>Considerando o processo de ensino-aprendizagem de Línguas Estrangeiras e suas respectivas Literaturas no panorama brasileiro atual, é relevante refletir acerca das diversas práticas desenvolvidas a partir de diferentes perspectivas teórico-metodológicas. Nesse sentido, o presente Dossiê convida a apresentação de artigos que discutam o ensino de Línguas Estrangeiras e/ou de suas Literaturas nos distintos contextos educacionais e que tenham como foco temas referentes a práticas de leitura e escrita, currículo, letramento, entre outros tópicos pertinentes a essa discussão.</p> <p>&nbsp;</p> Elíria Quaresma Fugazza, Andrea Galvão de Carvalho Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1260 qua, 30 set 2020 17:56:16 +0000 O NÃO VERBAL NA LEITURA DE MEMES NO ENSINO-APRENDIZAGEM DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ADICIONAL https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1133 <p>Este artigo visa discutir a leitura de memes no ensino-aprendizagem de espanhol como língua adicional com foco no discurso não verbal. Nosso objetivo é pensar possibilidades de explorar o gênero digital meme em atividades de compreensão leitora. Como aporte teórico temos a Análise do Discurso (AD) com base nos estudos de Orlandi (2009, 2012) e Pecheux (2010, 2006) e para discutir o não verbal Souza (2001, 2011, 2018) e Courtine (2013). Para analisar o gênero meme nos baseamos nas autoras Lara (2017, 2020) e Candido; Gomes (2015). Nosso estudo nos permite entender o meme como um gênero que possibilita atividades de leitura diversificadas, críticas e, ao mesmo tempo, lúdicas. &nbsp;&nbsp;</p> Andrea Galvão de Carvalho Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1133 qua, 30 set 2020 17:09:01 +0000 DESENVOLVIMENTO PRAGMÁTICO DE BRASILEIROS APRENDIZES DE ESPANHOL COMO LÍNGUA ESTRANGEIRA. ESTRATÉGIAS PRAGMALINGUÍSTICAS DO ATO DE PETIÇÃO https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1259 <p>Este artigo apresenta um estudo exploratório sobre o desenvolvimento pragmático dos brasileiros que aprendem o espanhol como língua estrangeira quando apresentam uma petição. Para tal, procuramos identificar e analisar as estratégias pragmáticas que os estudantes universitários brasileiros selecionam quando emitem a ação de petição numa situação de comunicação acadêmica e no contexto de uma relação interpessoal assimétrica. O corpus é constituído por 20 produções que foram obtidas através do método de conclusão do discurso. Para a classificação das estratégias utilizamos a categorização proposta por Blum-Kulka, House e Kasper (1989) para o ato em estudo e analisamos especificamente o ato nuclear e os movimentos de apoio ao mesmo, bem como os recursos de atenuação e intensificação presentes na sua enunciação. Os dados indicam que os oradores brasileiros privilegiam estratégias indiretas e convencionalizadas na realização do ato principal e recorrem a fórmulas de atenuação morfológica. No que diz respeito aos movimentos de apoio, a justificação do pedido é a estratégia favorecida pelos lusófonos que optam pela sua implementação para intensificar os elementos léxicos. Conclui-se que os sujeitos informantes realizam um movimento estratégico de equilíbrio entre os recursos atenuantes e os elementos intensificadores. Por um lado, devem proteger a imagem <em>(face)</em> tanto do interlocutor como de si próprios e, por outro, alcançar o seu objetivo comunicativo.</p> Sonia Toledo Azócar Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1259 qua, 30 set 2020 16:36:21 +0000 CONTOS CLÁSSICOS INFANTIS EM VERSÕES POÉTICAS DE GABRIELA MISTRAL: UMA LEITURA INTERPRETATIVA https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1170 <p>No ano de 2012 foram editados pela primeira vez no Chile quatro contos em verso da escritora chilena Gabriela Mistral (1889-1957), Prêmio Nobel de Literatura em 1945, inspirados nos contos clássicos europeus: (Chapeuzinho Vermelho, A Bela Adormecida, Cinderela e Branca de Neve e os sete anões. Trata-se de um achado literário, pois a autora os publicou há quase cem anos em revistas literárias, suplementos culturais e livros no Chile, México, Costa Rica e Colômbia, de forma que estavam dispersos e não eram conhecidos. A editora Amanuta de Santiago do Chile os publicou em forma de livros independentes. Por essa coleção a editora recebeu prêmios nacionais e internacionais, graças à cuidadosa edição dos livros, ilustrados pelos principais ilustradores chilenos. O presente artigo analisa a origem do projeto, seu significado na poesia latino-americana e os simbolismos de cada um dos contos versificados.</p> Manuel Peña Muñoz Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1170 ter, 08 set 2020 18:40:34 +0000 LÍNGUA E LITERATURA: DISPUTAS DISCURSIVAS NOS CONTEXTOS DE FORMAÇÃO DOCENTE https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1125 <p>Com base em uma revisão bibliográfica e teórica advinda de estudos em Análise do Discurso (BAKHTIN, 2006; AUTHIER-REVUZ, 2004; MAINGUENEAU, 2013; FOUCAULT, 2014a; SERRANI, 1997) e da teoria dos campos de Bourdieu (1976, 2002), discutimos, neste trabalho, o caráter dialógico e heterogêneo da língua e do discurso, bem como a natureza fragmentada e contraditória dos sujeitos e sentidos. Além disso, almejamos problematizar os movimentos de aproximação e/ou cisão entre as formações discursivas e os campos epistemológicos relacionados aos estudos linguísticos e literários, a partir de Brait (2000) e Fiorin (2008), considerando a história dos processos de separação de ambos os saberes. Concluímos, nesse sentido, apontando tensões e imbricações que correspondem a um movimento simultâneo de reprodução da cisão língua vs. literatura e de diálogo entre esses campos nos contextos de formação docente em língua estrangeira.</p> Elíria Fugazza Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1125 ter, 08 set 2020 18:49:39 +0000 MÍO CID HISTÓRICO E LITERÁRIO: A CONSTRUÇÃO DO HERÓI CASTELHANO NO ROMANCE XX https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1131 <p>Por volta do século XV aparece na Espanha uma série de poemas épicos conhecidos como <em>romances</em> que refletiam o contexto histórico e cultural da sociedade da época. No decorrer dos séculos, estes poemas foram reproduzidos e se tornaram parte da identidade castelhana por resguardar traços historiográficos e personagens que foram importantes a este povo. No lugar de protagonistas de alguns destes poemas surgem heróis históricos e, dentro do gênero, este tipo de personagem adquire grande importância, já que tais textos (re)construíram estas figuras de modo a transformá-las em mitos do período histórico retratado. Assim, este artigo traça uma breve linha do tempo que evidencia algumas das principais manifestações heroicas no intuito de tentar demonstrar a universalidade desta figura ao mesmo tempo em que apresenta suas particularidades mais importantes. Além disso, realizou-se uma exposição sobre o protagonista do <em>romance</em> XX, Mío Cid, pelas óticas histórica e literária, a partir das quais se pode perceber diferenças e semelhanças na construção do herói castelhano. Ao final, compreende-se como se dá a representação da figura do herói no contexto da época e como esta figura mítica pode assumir um papel social e histórico significativo para o imaginário coletivo da época.</p> Gabrielly Aparecida Araújo Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1131 ter, 08 set 2020 18:44:08 +0000 O MALANDRO JOÃO GRILO: TRAÇOS DA COMICIDADE EM GUEL ARRAES https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1109 <p>A presente proposta investiga traços da malandragem no personagem João Grilo na obra cinematográfica, <em>O Auto da Compadecida</em>, dirigido por Guel Arraes e realizado com base na obra dramatúrgica de Ariano Suassuna, com o objetivo de descrever, estudar e identificar essas marcas pertinentes do típico malandro e sua comicidade. A análise é qualitativa de caráter biblio-filmográfico e ocorre a partir dos elementos risíveis que se apresentam na referida malandrice do protagonista que envolve todos os outros núcleos em seus imbróglios. Para fundamentar a análise, busca-se suporte em Suassuna (2005), que ressalta questões relacionadas ao caricato homem sertanejo; Candido (1993), o qual traz contribuições significativas no campo da temática do personagem malandro; Bergson (1983), que analisa o riso e o cômico na representação da sociedade. Como resultado, constata-se que a jocosidade presente na narrativa fílmica está marcada por estereótipos risíveis do personagem principal. Portanto, a astúcia do típico malandro acarreta em cenas de caráter cômico, os quais proporcionam o riso na citada filmografia.</p> Tatiana da Silva Santos, Marlucia Mendes da Rocha Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1109 ter, 08 set 2020 00:00:00 +0000 AS CANTIGAS DE SANTA MARIA DE ALFONSO, EL SÁBIO. https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1132 <p><span data-contrast="none">O trabalho que se apresenta tem como objetivo analisar a cantiga X das&nbsp;</span><em><span data-contrast="none">Cantigas de Santa Maria</span></em><span data-contrast="none">, atribuídas ao rei castelhano Don Alfonso X, conhecido como O Sábio. Para tanto, será feito um estudo prévio sobre o período medieval em que o rei vivia, meados do século XIII, considerando o período erudito de Don Alfonso X, sua religiosidade e suas escrituras literárias. A análise da cantiga X, extensamente conhecida pelo refrão:&nbsp;</span><em><span data-contrast="none">rosas das rosas/</span></em><em><span data-contrast="none">fror</span></em><em><span data-contrast="none">&nbsp;das&nbsp;</span></em><em><span data-contrast="none">frores</span></em><em><span data-contrast="none">, dona das donas/&nbsp;</span></em><em><span data-contrast="none">sennor</span></em><em><span data-contrast="none">&nbsp;das&nbsp;</span></em><em><span data-contrast="none">sennores</span></em><span data-contrast="none">, buscará reconhecer a forma como se constrói o conceito simbólico de mulher no universo do ocidente medieval, partindo, especialmente de uma mulher considerada divina no contexto da religião católica. Considera-se que, no poema, Maria é tomada como um símbolo do feminino e um modelo de conduta, tanto para a religião como para o âmbito social. O presente trabalho também vai abordar uma análise da tradição poética trovadoresca e sua relação com a lírica das cantigas marianas de Alfonso X.&nbsp;</span><span data-ccp-props="{&quot;134233117&quot;:true,&quot;134233118&quot;:true,&quot;201341983&quot;:0,&quot;335551550&quot;:6,&quot;335551620&quot;:6,&quot;335559731&quot;:720,&quot;335559740&quot;:240}" data-wac-het="1">&nbsp;</span></p> <p><span data-ccp-props="{&quot;201341983&quot;:0,&quot;335551550&quot;:6,&quot;335551620&quot;:6,&quot;335559731&quot;:720,&quot;335559739&quot;:200,&quot;335559740&quot;:240}" data-wac-het="1">&nbsp;</span></p> Lidiana Ferreira Gouvêa, Katia Aparecida da Silva Oliveira Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1132 qua, 30 set 2020 17:10:45 +0000 UMA LOUCURA E DUAS REALIDADES EM JOHN GABRIEL BORKMAN, DE HENRIK IBSEN https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1123 <p>Henrik Ibsen é o fundador do drama moderno. Conhecido pela escrita de <em>Casa de bonecas</em> – em que impulsiona a liberdade feminina com a personagem principal saindo da casa da família e enfrentando o mundo externo, que não é apresentado ao leitor/espectador – Ibsen dedica-se a apresentar, em <em>John Gabriel Borkman</em>, duas mulheres afundadas em suas realidades particulares, pessoais e imutáveis em torno da loucura fantasiosa do homem que dá título à peça. Este artigo pretende mostrar como, neste drama, diferentemente de <em>Casa de bonecas</em>, a dualidade feminina da realidade depende exclusivamente da loucura masculina assim como as sombras dependem da vela.</p> <p>&nbsp;</p> Vicentonio Regis do Nascimento Silva Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1123 ter, 06 out 2020 02:47:20 +0000 DUAS PIONEIRAS NO ESTUDO DA ANTIGUIDADE NO BRASIL https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1139 <p>Apresentamos, neste artigo, a trajetória intelectual de duas classicistas brasileiras do século XX. Após propormos uma reconstituição histórica sobre a formação das instituições de Ensino Superior no território brasileiro, destacamos a formação das professoras Ingeborg Braren e Maria da Glória Alves Portal na Universidade de São Paulo. Objetiva-se, por um lado, tornar patente o pioneirismo de sua contribuição intelectual de ambas as docentes para o ensino e pesquisa sobre a Antiguidade Clássica no Brasil. Por outro lado, pretende-se contribuir para uma melhor compreensão do papel de protagonismo das mulheres no desenvolvimento da ciência do país, em geral, e dos estudos clássicos, em particular.</p> Filipe N. Silva, Pedro Paulo A. Funari, Elaine Cristina Prado dos Santos Copyright (c) 2020 Revista (Entre Parênteses) https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/entreparenteses/article/view/1139 ter, 08 set 2020 18:36:55 +0000