Boletim Alfenense de Geografia https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia <p>O <strong>Boletim Alfenense de Geografia</strong> é uma Revista da Associação dos Geógrafos Brasileiros - Seção Local Alfenas (AGB Alfenas) associada ao Programa de Pós-graduação em Geografia da UNIFAL-MG (PPGEO UNIFAL-MG) , com caráter científico-acadêmico que tem como objetivo proporcionar um espaço de divulgação e debates de trabalhos&nbsp; na área de Geografia (e/ou de outras áreas, desde que estabeleçam diálogo com a Geografia), na forma de artigos, resenhas, traduções, entrevistas, notas de pesquisa, relatos de experiência/trabalhos de campo.</p> <p>ISSN: <strong data-removefontsize="true" data-originalcomputedfontsize="16">2764-1422</strong></p> <p>DOI: <a href="https://doi.org/10.29327/243949" target="_blank" rel="noopener">https://doi.org/10.29327/243949</a></p> <p><strong>Periodicidade:</strong></p> <p>A revista tem periodicidade semestral com publicação em fluxo contínuo.</p> pt-BR boletimalfenensedegeografia@gmail.com (Flamarion Dutra Alves) suportenti@unifal-mg.edu.br (Núcleo de Tecnologia da Informação) qua, 22 dez 2021 03:25:18 +0000 OJS 3.1.2.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 Editorial https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1724 <p>O Boletim Alfenense de Geografia publica seu segundo número em 2021 recebendo trabalhos em fluxo contínuo e com a publicação de artigos dos palestrantes e ministrantes de minicursos da 6ª Jornada Científica da Geografia da UNIFAL-MG, que foi realizada nos dias 8 a 11 de novembro de 2021, de forma remota.</p> <p>A realização de eventos científicos é de extrema importância para a divulgação do conhecimento produzido pela ciência brasileira, e que tem a função de socializar os resultados das reflexões teóricas e estudos aplicados para a sociedade brasileira. Nesse sentido, o Boletim Alfenense de Geografia busca fomentar esses resultados e ser um canal de divulgação e ampliação da produção geográfica brasileira.</p> <p>Destacamos ainda que o Boletim Alfenense de Geografia procura disseminar os artigos aqui publicados em várias bases de pesquisas e diretórios, nos chamados indexadores. Citamos alguns que constam o Boletim Alfenense de Geografia em suas bases: Google Scholar, Crossref, WorldCat, Scilit, CiteFactor, Aura, Livre, BASE e DRJI.</p> <p>Esperamos uma ótima leitura e contamos com a participação da comunidade geográfica nos próximos volumes da revista, ampliando os debates e socialização da produção geográfica brasileira.</p> Felipe Gomes Rubira, Flamarion Dutra Alves Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1724 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 INTELIGÊNCIA GEOGRÁFICA E OS PROBLEMAS ESPACIAIS CONTEMPORÂNEOS https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1713 <p>A IG e suas aplicações na forma de IT e a ITE foram utilizadas no País, embora nem sempre com esse nome. Visavam materializar o modelo de país produtor de <em>commodities</em> agropecuárias, além dos minerais, destinadas a exportação para o mundo desenvolvido. Certamente, isso foi determinante para sua organização territorial e continua determinando. Há muitos artigos e livros sobre isso. Os dados não decidem. Quem planeja tem uma ideia de mundo e determina o que fazer com os dados para materializar essa ideia. Precisamos reterritorializar o País, mas numa outra direção – a de um país mais humanizado, em acordo com os 17 objetivos da Sustentabilidade propostos pelos 149 países integrantes da ONU em 2015<strong>. </strong></p> Selma Simões de Castro Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1713 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 PRODUÇÃO DO ATLAS AMBIENTAL DIGITAL DE MONTES CLAROS/MG https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1716 <p>O contexto pandêmico expôs a escassez de material didático digital para suporte às aulas no ensino básico. Dessa forma, oferecer material de apoio, em ambiente virtual, do espaço local, como o Atlas Ambiental, é uma forma de incentivar a melhoria do ensino e desenvolver a educação ambiental. Portanto, esse texto tem como objetivo apresentar o processo de elaboração do o Atlas Ambiental Digital de Montes Claros.</p> Marcos Esdras Leite Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1716 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 DIMENSÕES DOS CONFLITOS TERRITORIAIS DO BRASIL – QUILOMBOS E TERRITÓRIO https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1723 <p>Neste trabalho, buscamos refletir sobre as dimensões dos conflitos territoriais no Brasil a partir dos territórios quilombolas. Sobre perdas e ressignificações que ensejam resistências históricas ao desaparecimento, agora frente à urbanização e seus conteúdos recentes que avançam sobre o campo e a cidade, sob a forma de condomínios fechados, em espaços da Região metropolitana de Sorocaba. A história da formação territorial brasileira é marcada por lutas e violências contra os povos que formam a sociedade. O debate é concernente à construção do Estado nacional e seu território à maneira colonialista do poder. Entendemos que essa formação é até hoje profundamente marcada por séculos de escravidão, seguidos por estratégias estatais e privadas, cujos fundamentos operam segundo um território branqueado, articulado/inseparável e prenhe de riquezas a serem expropriadas e exploradas. O projeto se dá pelo descolamento do mundo vivido por inúmeros grupos sociais, modos de vida, territórios étnicos e singulares e de relações sociais culturalmente constituídas, comportando a dinâmica da totalidade social, natureza, vida e trabalho, símbolos e representações.</p> Lourdes Carril Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1723 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 DESENVOLVIMENTO HUMANO E SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1768 <p>Empregando a ‘abordagem de capacidades’, em um primeiro momento, o presente trabalho busca esclarecer o vínculo conceitual entre o desenvolvimento e a garantia da Segurança Alimentar e Nutricional (SAN) demonstrando que a realização desse direito implica na obtenção de um estado de bem-estar nutricional, que permite ao titular usufruir de outros direitos plenamente, como o direito à educação, à saúde, à participação, entre outros. A segunda parte ocupa-se em apresentar o processo de conformação do espaço agrário brasileiro, com o intuito de fomentar a discussão sobre os ciclos que culminaram na reorientação do desenvolvimento rural brasileiro para a agricultura e para a ação estatal, articulando políticas sociais e de fomento a este segmento de combate à pobreza e geração de renda a partir da garantia da SAN. Buscou-se, então, analisar políticas públicas voltadas à agricultura familiar, nomeadamente o Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (PRONAF) e o Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE). Observou-se que as políticas públicas analisadas apresentam comportamentos variados em relação às Regiões Administrativas (RA) do estado de São Paulo, reagindo à desigualdade dos índices de desenvolvimento socioeconômicos em conjunto com suas realidades agrárias. A partir de suas delimitações e propósitos e atuando de maneira complementar, constatou-se que a estratégia nacional de combate à pobreza baseada no estabelecimento de circuitos curtos de produção, comercialização e consumo que, por sua vez, contribui para a consolidação de sistemas alimentares locais e para a garantia da SAN nas áreas mais socialmente vulneráveis.</p> Jonatan Alexandre de Oliveira, Fábio Donato de Almeida Tardim Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1768 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 USO DE MODELOS TRIDIMENSIONAIS NO ENSINO DA GEOGRAFIA FÍSICA E PALEONTOLOGIA https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1730 <p>O presente trabalho tem como objetivo principal demonstrar a aplicabilidade da impressão 3D de modelos digitais do terreno e paleontológicos para serem utilizados na Educação Básica e Superior, em especial, nas disciplinas de Geografia Física, Geologia e Paleontologia. Os procedimentos metodológicos incluíram revisão de literatura, seleção das feições e materiais fósseis ou reconstruções paleontológicas a serem impressas e escolha de software para geração dos modelos digitais. Os resultados apontaram que a impressão em 3D demonstrou ser uma maneira rápida, econômica e eficaz de construir modelos digitais do terreno e modelos fósseis ou reconstruções de formas de vida do passado para serem utilizados no ensino de disciplinas das Ciências da Terra. Além disso, percebe-se que o uso dessa tecnologia pode dar mais materialidade a alguns conceitos dentro dos estudos cartográficos, geológicos, geomorfológicos e paleontológico, propiciando, dessa forma, uma melhor compreensão de representação das características da natureza transformando o que é abstrato em algo mais concreto e de fácil acesso.</p> Luiz Eduardo Panisset Travassos, Lucas Diniz de Arêda, Pedro Oliveira Paulo Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1730 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 A ABORDAGEM DO CONCEITO PAISAGEM AO LONGO DO SÉCULO XXI NO PERIÓDICO FINISTERRA https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1663 <p>Os registros materiais e imateriais das várias formas de apropriação da realidade pelas sociedades humanas são expressos na vida cotidiana como um produto das interações sociais e culturais no ambiente físico. Nesse sentido, paisagem possui códigos e modelos distintos, exigindo a correta interpretação de sua linguagem como forma de integração com o mundo que a cerca. A paisagem como manifestação de ações antrópicas sobre a natureza revela aspectos físicos, econômicos, culturais e ambientais das sociedades que a habitaram ao longo do tempo. A análise por meio desses recortes determina diferentes abordagens de captação da realidade, porém, são complementares e não devem ser dissociadas. Nesse contexto, este trabalho levantou informações sobre o conceito de Paisagem na Revista Finisterra de 2001 a 2020, distinguindo padrões de abordagens teórico-metodológicas. Conclui-se que o estar no mundo é correlacionado às práticas de ocupação e transformação da paisagem, tanto urbana quanto rural, ambas forjadas entre o homem e a natureza.</p> <p>&nbsp;</p> Cleide Mara Martins de Oliveira Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1663 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 AGRICULTURA URBANA NA CIDADE DE MONTES CLAROS-MG https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1677 <p>O presente ensaio apresenta parte do referencial teórico sobre o desenvolvimento da agricultura urbana na cidade de Montes Claros-MG. Esse referencial é fruto da pesquisa de dissertação de mestrado, que se adotou como metodologia o estudo de caso em consonância com os elementos da pesquisa participante. Nota-se que as práticas inerentes à Agricultura Urbana (AU) vêm se tornando uma realidade nos grandes centros urbanos, através da produção de diversos alimentos, sendo praticada em quintais, áreas públicas e privadas. Nesse sentido, tais análises permitem concluir que a prática de AU é desenvolvida no espaço urbano há muito tempo por agricultores(as) de origem rural e urbana, visto que o cultivo de alimentos é praticado por eles(as) em áreas próprias, públicas e cedidas; espaços pequenos em que são cultivados uma diversidade significativa de alimentos a partir de uma transição agroecológica, marcada por uma campesinidade plural, seja na comercialização por meio das alternativas nos mercados locais, bem como no autoconsumo.</p> Deyvison Lopes Siqueira, Gustavo Henrique Cepolini Ferreira Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1677 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 A ATUAÇÃO DOS GEÓGRAFOS NA GESTÃO AMBIENTAL https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1680 <p>Este artigo é um estudo de caso da atividade dos geógrafos e das geógrafas com relação ao combate dos impactos ambientais causados pela empresa STARLUBRIFICANTES LTDA localizada em Presidente Prudente/SP e voltada ao rerrefino de óleo lubrificante. Tal atividade produz uma grande quantidade de dejetos, o que contamina o solo se não for destinado adequadamente, com isso, é fundamental que o geógrafo e geógrafa possam atuar de forma a mitigar os danos ocasionados por esta atividade industrial, não trazendo problemas ambientais e jurídicos para a empresa. Por esse estudo realizado, foi possível apresentar metodologias e procedimentos metodológicos que buscam facilitar o trabalho dos especialistas, com o intuito de contribuir para a dinâmica industrial e o meio ambiente. Ao final, faremos uma análise das atividades realizadas e quais foram os principais pontos de análise que ficam para a reflexão</p> Felipe César Augusto Silgueiro dos Santos Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1680 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 DA DIVERSIDADE AGRÍCOLA À COMMODITIZAÇÃO DO TERRITÓRIO: OS EFEITOS DO AGRONEGÓCIO NA REGIÃO IMEDIATA DE ALFENAS – MINAS GERAIS https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1776 <p>O presente artigo tem como objetivo analisar a estrutura fundiária e a questão agrária regional, bem como o papel da agricultura familiar e do agronegócio, caracterizar as atividades agrícolas na região ao longo de 30 anos e entender o processo de commoditização do território, e ainda discutir as transformações ocorridas no espaço agrário da Região Imediata de Alfenas – Minas Gerais. Para atingir esses objetivos, foram consultados trabalhos realizados sobre a Geografia Agrária do Sul de Minas, e ainda utilizados dados secundários dos Censos Agropecuários do IBGE de 1995/96, 2006 e 2017, e da Pesquisa Agrícola Municipal do IBGE de 1988 a 2017. A agricultura não familiar corresponde a 24,2% do total de estabelecimentos e ocupa uma área de 61,3% do espaço rural. Já a agricultura familiar tem 75,8% dos estabelecimentos rurais e ocupa uma área correspondente a 38,7% do espaço rural regional. No contexto da comoditização do território, observa-se um crescimento da área plantada do café, em 12,4 %, o milho de 31,5% e a soja em mais de 1800%. Essas três culturas agrícolas em 1988 ocupavam 64,9% do território, em 2017 atingiu 86,6% do total, confirmando assim uma commoditização do território.</p> Flamarion Dutra Alves Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1776 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000 Expediente e Sumário https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1778 Copyright (c) 2021 Boletim Alfenense de Geografia https://creativecommons.org/licenses/by/4.0 https://publicacoes.unifal-mg.edu.br/revistas/index.php/boletimalfenensedegeografia/article/view/1778 ter, 21 dez 2021 00:00:00 +0000